Pular para o conteúdo principal

Copa do Mundo FIFA de 1998

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_do_Mundo_FIFA_de_1998

Ir para: navegação, pesquisa
Copa do Mundo FIFA de 1998
Coupe du Monde - France 98
Dados
Participantes 32 (172 nas eliminatórias)


Anfitrião  França
Período 10 de Junho12 de Julho
Gol(o)s 171 (média de 2,7 por partida)
Jogos
Média gols por partida
Campeão Bandeira da França França
Vice-campeão Brasil Brasil


Melhor marcador Croácia Davor Šuker (6)
Maior goleada (diferença)
Público 2.785.100 (média de 43.517 por partida)
Média pessoas por partida
Outras divisões






Premiações
Melhor jogador Brasil Ronaldo




◄◄ Estados Unidos Estados Unidos 1994   Soccerball.svg   KOR / JPN 2002 Coreia do Sul/Japão ►►
A Copa do Mundo FIFA de 1998 foi a décima sexta edição da Copa do Mundo FIFA de Futebol, que ocorreu de 10 de junho até 12 de julho de 1998. O evento foi sediado na França, pela segunda vez, tendo partidas realizadas nas cidades de Saint-Denis, Marselha, Paris, Lens, Lyon, Nantes, Toulouse, Saint-Étienne, Bordeaux e Montpellier. Trinta e duas seleções nacionais foram qualificadas para participar desta edição do campeonato, sendo 15 delas europeias (França, Alemanha, Itália, Holanda, Romênia, Espanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Dinamarca, Inglaterra, Noruega, Escócia e Iugoslávia), 8 americanas (Brasil, Argentina, Jamaica, México, Estados Unidos, Chile, Colômbia e Paraguai), 5 africanas (Camarões, Marrocos, Nigéria, África do Sul e Tunísia) e 4 asiáticas (Irã, Japão, Coreia do Sul e Arábia Saudita).
Dentre algumas goleadas, destacam-se França 4 x 0 Arábia Saudita, Espanha 6 x 1 Bulgária, Holanda 5 x 0 Coreia do Sul e Argentina 5 x 0 Jamaica, além da final França 3 x 0 Brasil. A copa teve vários destaques, como Dennis Bergkamp e Edgar Davids da Holanda, Brian Laudrup e Michael Laudrup da Dinamarca, Davor Šuker da Croácia, Ronaldo, Rivaldo, Dunga e Roberto Carlos do Brasil e Lilian Thuram, Marcel Desailly, Fabien Barthez e o destacado Zinédine Zidane da França.
A final da Copa do Mundo FIFA de 1998 foi disputada pela França, que havia eliminado a Croácia, a Itália e o Paraguai; e o Brasil, que havia eliminado a Holanda, a Dinamarca e o Chile. A partida foi realizada em 12 de julho às 21h, no Stade de France, com um público estimado em 80 000 pessoas. Sob o apito do árbitro marroquino Said Belqola, Zinédine Zidane marcou duas vezes no primeiro tempo e Emmanuel Petit ampliou aos 48 minutos do 2º tempo, terminando a partida em 3 x 0, eliminando, em goleada, a seleção brasileira, atual campeã do mundo e única tetracampeã da época. O capitão francês Didier Deschamps levantou a taça do primeiro título da França em copas do mundo.

O torneio

A fase inicial da competição teve sua fórmula modificada em relação à edição anterior. Enquanto 24 equipes divididas em 6 grupos competiram em 1994, 32 seleções divididas em 8 grupos disputaram o último certame do século XX. Apenas o campeão e o vice de cada grupo se classificavam para a segunda fase, em oposição a torneios predecessores onde alguns terceiros colocados também garantiam vaga na fase final. A fase final não se alterou: os 16 classificados se reúnem em oitavas-de-final e jogam o mata-mata.
No Grupo A, o Brasil, um dos favoritos ao título, estava acompanhado por Escócia, Marrocos e Noruega, equipes de nível mais limitado. O time mesclava a experiência de Dunga e Taffarel com alguns jovens talentos, como Roberto Carlos, Rivaldo e Ronaldo "Fenômeno", e acabou se classificando em primeiro lugar no grupo, mesmo após uma derrota contra a Noruega, que ficou em segundo lugar no grupo.
No equilibrado Grupo B, a Itália, vice-campeã da última edição, confirmou o favoritismo e classificou-se na última rodada após um empate com o Chile. A combinação de resultados garantiu aos sul-americanos a segunda colocação. Áustria (retornando oito anos após o Mundial de 1990) e Camarões não tiveram sucesso. No grupo C estava a França, dona da casa. O time de Zidane, Barthez e Deschamps avançou em primeiro no grupo, enquanto a Dinamarca, liderada pelos irmãos Michael e Brian Laudrup ficou com a outra vaga. A África do Sul, estreante em Copas, despediu-se de forma decepcionante, e a Arábia Saudita não conseguiu repetir o sucesso de 1994, não conquistando sequer uma vitória.
No Grupo D, a favorita Espanha, formada principalmente por jogadores do Real Madrid, amargou a desclassificação já na primeira fase. A Bulgária, na despedida de Hristo Stoichkov, também decepcionou os especialistas, ficando na última colocação. O destaque positivo ficou para Nigéria e Paraguai (retornando a uma Copa após 12 anos sem disputar o torneio), que classificaram-se de forma surpreendente para as oitavas-de-final. Já a Holanda e o México classificaram-se no disputado Grupo E, enquanto Coreia do Sul e Bélgica não conseguiram passar de fase.
O Grupo F representava um tom político na Copa. Irã e Estados Unidos, rivais no campo diplomático, fizeram uma disputa leal em campo, mas nenhuma das duas seleções garantiu a classificação. As vagas ficaram com Alemanha e Iugoslávia, que empataram e venceram os dois adversários. No Grupo G, holofotes para a Inglaterra e seus dois jovens jogadores, David Beckham e Michael Owen. Em campo, a classificação se deu no segundo lugar, atrás da Romênia de Gheorghe Hagi. A Colômbia e a Tunísia (voltando após vinte anos após sua última participação) foram eliminadas.
No Grupo H, a Argentina, dirigida por Daniel Passarella, venceu suas três partidas e garantiu a classificação para as oitavas-de-final. A Croácia, liderada por Davor Šuker, ficou com a segunda vaga, enquanto o Japão e a Jamaica, ambos estreantes em Copas, não classificaram-se.
Nas oitavas-de-final, a Argentina classificou-se nos pênaltis após um empate no tempo normal com a Inglaterra, em um jogo que ficou marcado pela expulsão de Beckham, irritado pelas provocações de Diego Simeone. O Brasil também passou de fase após uma goleada sobre o Chile, com dois gols de Ronaldo. Em uma partida empolgante, a Croácia bateu a Romênia pelo placar simples. E os donos da casa só bateram o Paraguai no segundo tempo da prorrogação, com um gol de ouro do zagueiro Laurent Blanc. A Dinamarca, com um futebol envolvente, eliminou a Nigéria com uma goleada. Nas outras partidas, Itália, Holanda e Alemanha avançaram após difíceis vitórias contra Noruega, Iugoslávia e México, respectivamente.
Na fase seguinte, o Brasil reafirmou seu favoritismo após uma virada contra a Dinamarca. E a Itália amargou sua terceira eliminação consecutiva em pênaltis em uma Copa do Mundo, desta vez para a França. A Argentina foi derrotada num duelo de favoritos pela Holanda, graças a um belo gol de Bergkamp no fim do segundo tempo. Já a Croácia humilhou a Alemanha na maior goleada das quartas-de-final, tornando-se a grande sensação da edição.
Em Marselha, Holanda e Brasil mediram forças. Após empate no tempo normal, Taffarel defende dois pênaltis e torna-se um dos principais responsáveis pela classificação brasileira à final. Já em Saint-Denis, os anfitriões eliminaram a grande zebra do campeonato. A Croácia abriu o placar com Šuker, mas a França conquistou a classificação no fim da partida, com dois gols de Lilian Thuram, que nunca havia marcado com a camisa dos Bleus. Na disputa do terceiro lugar, a Croácia entrou para a história do futebol ao vencer a desmotivada equipe holandesa.
A final causa polêmica até hoje. A Seleção Brasileira entrou em campo apática após a convulsão de Ronaldo, que mesmo assim foi escalado por Zagallo. A França bateu o Brasil por 3 a 0, com uma grande atuação de Zidane, que marcou dois gols na decisão. Os Bleus garantiram, então, seu primeiro título mundial, após tentativas frustradas das gerações de Fontaine, Kopa e Platini.

Curiosidades




  • Essa edição da copa foi a primeira a ser disputada por 32 seleções.
  • No Brasil, cinco emissoras de televisão aberta transmitiram o torneio: Rede Globo, SBT, Rede Bandeirantes, Rede Manchete e Rede Record - sendo que esta última teve que brigar na justiça para poder cobrir o evento. A Record não pôde ir aos estádios transmitir os jogos. Teve que fazer isso no International Broadcast Center, que ficou localizado em Paris.
  • Inconformado com a eliminação do Iraque nas Eliminatorias, o presidente da Federação Iraquiana de Futebol, Qusay Hussein, mandou os jogadores da equipe irem para o quartel do exército de seu pai, o ditador iraquiano Saddam Hussein. Ao entrarem, os jogadores foram surpreendidos com voz de prisão de soldados e em seguida foram torturados por eles. Na saída, Qusay disse: "Joguem melhor na próxima vez!". Qusay e seu irmão Uday (presidente do Comitê Olímpico Iraquiano) foram mortos em 2003 na Guerra do Iraque, enquanto que Saddam foi condenado a pena de morte e foi enforcado em Dezembro de 2006.
  • No jogo de abertura da Copa entre Brasil x Escócia, dois ilustres torcedores escocêses chamavam muita atenção com suas presenças no camarote do Stade de France: o ator Sean Connery e o cantor Rod Stewart.
  • A Noruega chamou o que é provavelmente a família mais completa da história dos mundiais: o meia Jostein Flo, remanescente da Copa do Mundo de 1994, foi à França com seu irmão Tore André Flo, atacante. Os irmãos Flo foram acompanhados por um primo, Håvard Flo, também atacante. Outros parentes presentes no mundial foram os irmãos gêmeos neerlandeses Frank e Ronald de Boer; os irmãos dinamarqueses Brian e Michael Laudrup; e os italianos Cesare e Paolo Maldini, respectivamente pai e filho.
  • No jogo entre Nigéria e Bulgária na primeira fase, o atacante nigeriano Nwankwo Kanu entrou no segundo tempo, e foi aplaudido pelo público e pelo time adversário. O motivo: dois anos antes, Kanu (herói dos nigerianos na semifinal entre seu país e o Brasil nas Olimpíadas de 1996) foi operado para corrigir um sopro no coração, ficando cerca de um ano sem jogar, e só voltou para disputar o Mundial após submeter-se a uma junta médica.
  • Dois jogadores da Dinamarca completaram 100 partidas por sua seleção durante a Copa: o goleiro Peter Schmeichel completou sua partida centenária na partida da primeira fase entre sua seleção e a Arábia Saudita, e o meia Michael Laudrup igualou a façanha no jogo seguinte contra a África do Sul.
  • Após derrotarem a Inglaterra na primeira fase do torneio, os jogadores da Romênia comemoraram a classificação para a segunda fase com todos os jogadores com os cabelos pintados de amarelo. Até o técnico Anghel Iordanescu "entrou na onda". A única exceção foi o goleiro Bogdan Stelea, que, por ser careca, não igualou o gesto de seus companheiros de time.
  • Romário, convocado para defender a seleção brasileira, foi cortado por conta de uma contusão. O Baixinho deu a palavra de que estaria recuperado ao fim da primeira fase, mas a comissão técnica preferiu manter o corte. O "baixinho" foi muito bem-recebido no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro pela torcida do Flamengo, seu clube na época. A torcida resolveu chamar Zico (coordenador técnico da seleção) de "traidor", fazendo com que a relação do "galinho" com a torcida (onde é considerado o maior ídolo) ficasse estremecida.
  • Esta final marcou história no Brasil. Muitos discutem a possibilidade do Brasil ter "vendido" a final desta Copa. Poucos sabem o que realmente aconteceu na madrugada anterior ao jogo desta final, ainda um mistério para os brasileiros.
  • Um norueguês e uma brasileira conseguiram a autorização da FIFA para se casarem no mesmo dia e no mesmo estádio do jogo entre Brasil x Noruega. O clima no Stade Vélodrome era de confraternização entres as torcidas das duas equipes devido ao casamento que ocorria no gramado.
  • Para testar os seus estádios, a França decidiu fazer um quadrangular amistoso um ano antes, o Torneio da França, que ainda teve a participação de Inglaterra, Brasil e Itália. O English TeamCopa das Confederações, torneio já existente à época, a partir da edição de 2005. Em 2001, o torneio já havia sido realizado nas sedes da Copa do Mundo de 2002, Coreia do Sul e Japão. conquistou o torneio, mesmo perdendo o último jogo para o Brasil (1x0, com gol de Romário) pois venceu França e Itália. A finalidade deste torneio amistoso - testar os campos do anfitrião da Copa - passaria a ser a da
  • Daniel Passarella, técnico da Argentina na Copa de 1998, deixou Fernando Redondo e Claudio Caniggia de fora do torneio. Motivo: ele não queria nenhum atleta com cabelos longos na delegação. O artilheiro Gabriel Batistuta foi convocado, mas teve que cortar seus cabelos.
  • Muitos se falava de um conflito em campo no jogo entre Estados Unidos X Irã, duas nações politicamente inimigas. O então presidente americano Bill Clinton chegou a falar que essa partida poderia reaproximar os laços diplomáticos entre os dois países. Ao entrarem no gramado do Stade de Gerland em Lyon, as duas equipes se uniram para tirar fotos antes da partida começar.
  • Para esse mundial, a FIFA implantou novas regras. Entre as principais, a instituição da morte súbita (em que determina o fim da partida se uma equipe marcar um gol na prorrogação) a partir das Oitavas-de-final, o aumento do número de substituições (que passaram a ser três), incluindo a do goleiro e a utilização de uma placa, mostrada pelo juiz reserva, para indicar quantos minutos haverá de acréscimo ao fim de cada tempo. Apenas os dois melhores colocados de cada grupo avançavam.
  • Com a morte súbita valendo para essa edição, apenas um jogo foi decidido no gol de ouro: França 1 x 0 Paraguai, pelas oitavas-de-final, no dia 28 de junho.
  • Quatro nações faziam sua estréia em Copas do Mundo: África do Sul, Japão, Croácia e Jamaica. Japoneses, croatas e jamaicanos caíram no Grupo H, cujo cabeça de chave foi a bicampeã Argentina. A Croácia se classificou em segundo.
  • Três jogadores brasileiros participaram da Copa de 98 em três seleções diferentes: José ClaytonLuis Oliveira (representando a Bélgica) e Wagner Lopes (que atuou pelo Japão). (pela Tunísia),
  • Na guerra dos fabricantes esportivos, a alemã Adidas ficou em primeiro lugar depois de uma disputa acirrada com a britânica Reebok. Esteve nos pés de 61 atletas, dez a mais que do que a segunda colocada. A italiana Lotto ficou em terceiro. A Copa também foi a primeira em que a americana Nike vestia algumas equipes.
  • Rigobert Song, zagueiro da Seleção Camaronesa, se tornou o primeiro jogador expulso em duas Copas seguidas: em 1994, foi expulso contra o Brasil, e em 1998, recebeu cartão vermelho na partida contra o Chile.
  • Além de Zagallo, outros treinadores brasileiros participaram do mundial com outras equipes: o tetracampeão Carlos Alberto Parreira (treinou a Arábia Saudita, mas acabou demitido), Paulo César Carpegiani (comandou o Paraguai) e René Simões (representando a Jamaica).
  • Devido a expulsão no jogo contra a Argentina, o inglês David Beckham foi responsabilizado pela torcida e imprensa pela eliminação inglesa no Mundial. No dia seguinte, os jornais ingleses não perdoaram: "Dez leões valentes e um moleque estúpido".
  • Quatro jogadores do Paraguai atuaram no futebol brasileiro na época: Catalino RivarolaGrêmio), Francisco Arce (Palmeiras), Carlos Gamarra (Corinthians) e Julio César EncisoInternacional). ( (
  • A canção tema da Copa de 98 foi La Copa De La Vida, interpretada pelo cantor portorriquenho Ricky Martin.
  • A Inglaterra foi a campeã na competição entre países que mais cederam jogadores para a Copa. Dos 704 atletas do Mundial, 75 jogavam em campos ingleses. Espanha e Itália cederam 70 cada um e ficaram na segunda colocação.
  • A Seleção Colombiana de Futebol teve dois jogadores que atuavam no futebol brasileiro na época: Freddy Rincón (Corinthians) e Víctor Aristizábal (São Paulo). O atacante Faustino Asprilla (que depois jogaria no Brasil pelo Palmeiras e pelo Fluminense) não gostou de ter sido substituído no jogo contra a Romênia e foi excluído pelo técnico Hernán Darío Gómez.
  • Ao marcar um gol na vitória da Croácia por 3 a 1 sobre a Jamaica, Robert Prosinečki tornou-se o primeiro jogador a marcar gols por dois países oficialmente diferentes em Copas do Mundo - pois a FIFA desconsidera os alemães que marcaram gols tanto pela Alemanha Ocidental quanto pela Alemanha; aqueles que disputaram Copas por União Soviética e Rússia e pelas duas Iugoslávias não marcaram gols pelos dois países. Em 1990, jogando pela Iugoslávia, Prosinečki fez um dos gols da vitória por 4 a 1 sobre os Emirados Árabes.
  • Aconteceu um escândalo na venda de pacotes turísticos para a Copa: milhares de torcedores, de todas as partes do mundo, ficaram sem ingresso, mesmo tendo desembolsado dinheiro com antecedência.
  • No jogo entre Inglaterra x Argentina pelas Oitavas de Final, uma presença ilustre começou a ser focada pelas câmeras do mundo inteiro no Estádio Geoffroy Guichard, em Saint-Etienne. Era Mick Jagger, vocalista do Rolling Stones, torcendo para a Inglaterra.
  • O Stade De France, em Saint-Dennis, uma cidade da região metropolitana de Paris, virou elefante branco (abandonado), apesar do seu modernismo. O estádio de 80 mil lugares (para jogos de futebol), é pouco usado e um dos motivos alegados é o custo do aluguel, considerado caro demais pelos clubes de futebol de Paris. O estádio ainda costuma ser usado pela seleção francesa para amistosos e jogos de eliminatórias, e o local foi palco da final da Liga dos Campeões da UEFA em 2000 e 2006. O Stade de France também é usado para eventos extra-futebol, como apresentações musicais.
  • O dinamarquês Ebbe Sand foi o autor do gol mais rápido de um reserva na história das Copas. Apenas 16 segundos após entrar em campo, marcou um gol na vitória por 4 a 1 sobre a Nigéria.
  • O marroquino Said Belqola (já falecido) se tornou o primeiro árbitro do continente africano a apitar uma final de Copa do Mundo.
  • Após receber a Copa do Mundo das mãos do então presidente francês Jacques Chirac, o capitão Didier Deschamps se tornou o primeiro jogador a erguer a taça em cima da mesa onde ela estava. Muita gente acredita que Cafu criou o ato em 2002, mas Deschamps é considerado o verdadeiro autor do gesto.
  • Vários jogadores de desataque no cenário futebolístico mundial se despediram de suas seleções em 1998: Taffarel e Bebeto (Brasil), Jim Leighton (Escócia), Michael Konsel e Toni PolsterFrançois Omam-Biyik (Camarões), Giuseppe Bergomi (Itália), Trifon Ivanov, Borislav Mikhailov e Hristo Stoichkov (Bulgária), Andoni Zubizarreta (Espanha), Rashid Yekini, Augustine Eguavoen e Peter Rufai (Nigéria), Vital Borkelmans, Franky Van Der Elst, Enzo Scifo (Bélgica), Marcelino Bernal e Luis García (México), Andreas Köpke, Olaf Thon, Thomas Häßler e Jürgen Klinsmann (Alemanha), Tab Ramos, Alexi Lalas, Eric Wynalda e Marcelo Balboa (EUA), Carlos Valderrama (Colômbia) e Abel Balbo (Argentina). (Áustria),
  • Outros jogadores de expressão no mundo futebolístico ficaram de fora: Márcio Santos, Flávio Conceição, Mauro Silva e Zé Maria (Brasil), Ally McCoist e Paul McStay (Escócia), Marc-Vivien Foé (Camarões), Fabrizio Ravanelli (este fora convocado, mas cortado na véspera devido a uma forte pneumonia), Gianfranco Zola, Pierluigi Casiraghi e Antonio BenarrivoÉric Cantona, Lionel Letizi e Ibrahim Ba (França), Andre Arendse (África do Sul), Romerito (chegou a ser convocado para um amistoso do Paraguai, mas ficou de fora da lista final), Josep Guardiola (Espanha), Matthias Sammer (era nome certo para a Copa pela Alemanha, mas se aposentou por causa de lesão no joelho), Albert Nađ (Iugoslávia), Ian Wright, Paul Gascoigne e Phil Neville (Inglaterra), Fernando Redondo, Claudio Caniggia e Juan Román Riquelme (Argentina), Kazu (Japão) e Alen Bokšić (Croácia). (Itália),
  • Essa foi a edição de copa do mundo que mais teve gols marcados: 171.

Sedes

Dez estádios foram usados durante o torneio:
Saint-Denis Marseille Paris Lens Lyon
Stade de France Stade Vélodrome Parc des Princes Stade Félix Bollaert Stade de Gerland
Capacidade: 80,000 Capacidade: 60,000 Capacidade: 49,000 Capacidade: 41,800 Capacidade: 41,200
Quartier du Cornillon et Stade de France - 
03.04.05.JPG Stade Velodrome.JPG Paris-Parc-des-Princes.jpg Stade Felix-Bollaert.jpg Stade-Gerland-RWC2007.JPG
Nantes Toulouse Saint-Étienne Bordeaux Montpellier
Stade de la Beaujoire Stadium de Toulouse Stade Geoffroy-Guichard Parc Lescure Stade de la Mosson
Capacidade: 38,500 Capacidade: 37,000 Capacidade: 36,000 Capacidade: 35,200 Capacidade: 33,900
Stade de la Beaujoire.jpg StadiumToulouse1.JPG Geoffroy Guichard ASSE.JPG Stade Chaban-Delmas.jpg Australie-Fidji.4.JPG

[editar] Árbitros

África
Ásia
Europa
América do Norte, Centro e Caraíbas
Oceânia
América do Sul

Primeira Fase

Grupo A

Time Pts J V E D GF GC SG
Brasil Brasil 6 3 2 0 1 6 3 3
Flag of Norway.svg Noruega 5 3 1 2 0 5 4 1
Marrocos Marrocos 4 3 1 1 1 5 5 0
Flag of Scotland.svg Escócia 1 3 0 1 2 2 6 -4
10 de junho de 1998
17:30(horário local)/12:30(horário do Brasil).
Brasil Brasil 2–1 Flag of Scotland.svg Escócia Stade de France, Saint-Denis
Público:
80,000
Árbitro:
García Aranda (Espanha)

César Sampaio 4'
Boyd
73' (g.c.)

Collins 38' (pen)

10 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of Norway.svg Noruega 2–2 Flag of Morocco.svg Marrocos Stade de la Mosson, Montpellier
Público:
29,800
Árbitro:
Un-Prasert (Tailândia)

Chippo 46' (g.c.)
Eggen
60'

Hadji 38'
Hadda


16 de junho de 1998
17:30(horário local)/12:30(horário do Brasil)
Flag of Scotland.svg Escócia 1–1 Flag of Norway.svg Noruega Parc Lescure, Bordeaux
Público:
31,800
Árbitro:
Vágner (Hungria)

Burley 66'
H. Flo 46'

16 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Brasil Brasil 3–0 Flag of Morocco.svg Marrocos Stade de la Beaujoire, Nantes
Público:
35,500
Árbitro:
Levnikov (Rússia)

Ronaldo 9'
Rivaldo
47+'
Bebeto
50'




23 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do [[[Brasil]])
Brasil Brasil 1–2 Flag of Norway.svg Noruega Stade Vélodrome, Marselha
Público:
55,000
Árbitro:
Baharmast (Estados Unidos)

Bebeto 78'
T.A. Flo 83'
Rekdal
88' (pen)


23 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of Scotland.svg Escócia 0–3 Flag of Morocco.svg Marrocos Stade Geoffroy-Guichard, Saint-Étienne
Público:
30,600
Árbitro:
Bujsaim (Emirados Árabes)



Bassir 22', 85'
Hadda
46'

Grupo B

Time Pts J V E D GF GC SG
Flag of Italy.svg Itália 7 3 2 1 0 7 3 4
Flag of Chile.svg Chile 3 3 0 3 0 4 4 0
Áustria Áustria 2 3 0 2 1 3 4 -1
Flag of Cameroon.svg Camarões 2 3 0 2 1 2 5 -3
11 de junho de 1998
17:30(horário local)/12:30(horário do Brasil)
Flag of Italy.svg Itália 2–2 Flag of Chile.svg Chile Parc Lescure, Bordeaux
Público:
31,800
Árbitro:
Bouchardeau (Níger)

Vieri 10'
R. Baggio
85' (pen)

Salas 45', 49'

11 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of Cameroon.svg Camarões 1–1 Flag of Austria.svg Áustria Stade de Toulouse, Toulouse
Público:
33,460
Árbitro:
González (Paraguai)

Njanka 78'
Polster 90'

17 de junho de 1998
17:30(horário local)/12:30(horário do Brasil)
Flag of Chile.svg Chile 1–1 Flag of Austria.svg Áustria Stade Geoffroy-Guichard, Saint-Étienne
Público:
30,600
Árbitro:
Al-Ghandour (Egito)

Salas 70'
Vastić 90'

17 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of Italy.svg Itália 3–0 Flag of Cameroon.svg Camarões Stade de la Mosson, Montpellier
Público:
29,800
Árbitro:
Lennie (Austrália)

di Biagio 7'
Vieri
75', 89'




23 de junho de 1998
16:00(horário local)/11:00(horário do Brasil)
Flag of Italy.svg Itália 2–1 Flag of Austria.svg Áustria Stade de France, Saint-Denis
Público:
80,000
Árbitro:
Durkin (Inglaterra)

Vieri 49'
R. Baggio
89'

Herzog 90' (pen)

23 de junho de 1998
16:00(horário local)/11:00(horário do Brasil)
Flag of Chile.svg Chile 1–1 Flag of Cameroon.svg Camarões Stade de la Beaujoire, Nantes
Público:
35,500
Árbitro:
Vágner (Hungria)

Sierra 20'
M'Boma 55'

 Grupo C

Time Pts J V E D GF GC SG
Bandeira da França França 9 3 3 0 0 9 1 8
Flag of Denmark.svg Dinamarca 4 3 1 1 1 3 3 0
Bandeira da 
África do Sul África do Sul 2 3 0 2 1 3 6 -3
Flag of Saudi Arabia.svg Arábia Saudita 1 3 0 1 2 2 7 -5
12 de junho de 1998
17:30(horário local)/12:30(horário do Brasil)
Flag of Saudi Arabia.svg Arábia Saudita 0–1 Flag of Denmark.svg Dinamarca Stade Félix Bollaert, Lens
Público:
38,140
Árbitro:
Castrilli (Argentina)



Rieper 68'

12 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Bandeira da França França 3–0 Bandeira da 
África do Sul África do Sul Stade Vélodrome, Marselha
Público:
55,077
Árbitro:
Rezende de Freitas (Brasil)

Dugarry 34'
Issa
77' (g.c.)
Henry
90'




18 de junho de 1998
17:30(horário local)/12:30(horário do Brasil)
Bandeira da 
África do Sul África do Sul 1–1 Flag of Denmark.svg Dinamarca Stade Municipal de Toulouse, Toulouse
Público:
33,300
Árbitro:
Toro Rendón (Colômbia)

McCarthy 52'
Nielsen 13'

18 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Bandeira da França França 4–0 Flag of Saudi Arabia.svg Arábia Saudita Stade de France, Saint-Denis
Público:
80,000
Árbitro:
Brizio Carter (México)

Henry 36', 77'
Trézéguet
68'
Lizarazu
85'




24 de junho de 1998
16:00(horário local)/11:00(horário do Brasil)
Bandeira da França França 2–1 Flag of Denmark.svg Dinamarca Stade de Gerland, Lyon
Público:
39,100
Árbitro:
Collina (Itália)

Djorkaeff 12' (pen)
Petit
56'

M. Laudrup 42' (pen)

24 de junho de 1998
16:00(horário local)/11:00(horário do Brasil)
Bandeira da 
África do Sul África do Sul 2–2 Flag of Saudi Arabia.svg Arábia Saudita Parc Lescure, Bordeaux
Público:
31,800
Árbitro:
Sánchez (Chile)

Bartlett 19', 94+' (pen)
Al-Jaber 45' (pen)
Al-Thunayan
74' (pen)

Grupo D

Time Pts J V E D GF GC SG
Flag of Nigeria.svg Nigéria 6 3 2 0 1 5 5 0
Flag of Paraguay.svg Paraguai 5 3 1 2 0 3 1 2
Flag of Spain.svg Espanha 4 3 1 1 1 8 4 4
Flag of Bulgaria.svg Bulgária 1 3 0 1 2 1 7 -6
12 de junho de 1998
14:30(horário local)/09:30(horário do Brasil)
Flag of Paraguay.svg Paraguai 0–0 Flag of Bulgaria.svg Bulgária Stade de la Mosson, Montpellier
Público:
27,650
Árbitro:
Al-Zeid (Arábia Saudita)






13 de junho de 1998
14:30(horário local)/09:30(horário do Brasil)
Flag of Spain.svg Espanha 2–3 Flag of Nigeria.svg Nigéria Stade de la Beaujoire, Nantes
Público:
33,257
Árbitro:
Baharmast (Estados Unidos)

Hierro 21'
Raúl
47'

Adepoju 25'
Lawal
73'
Oliseh
78'


19 de junho de 1998
17:30(horário local)/09:30(horário do Brasil)
Flag of Nigeria.svg Nigéria 1–0 Flag of Bulgaria.svg Bulgária Parc des Princes, Paris
Público:
45,500
Árbitro:
Sánchez (Chile)

Ikpeba 26'



19 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of Spain.svg Espanha 0–0 Flag of Paraguay.svg Paraguai Stade Geoffroy-Guichard, Saint-Étienne
Público:
30,600
Árbitro:
McLeod (África do Sul)






24 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of Nigeria.svg Nigéria 1–3 Flag of Paraguay.svg Paraguai Stade Municipal de Toulouse, Toulouse
Público:
33,500
Árbitro:
Un-Prasert (Tailândia)

Oruma 11'
Ayala 1'
Benítez
59'
Cardozo
86'


24 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of Spain.svg Espanha 6–1 Flag of Bulgaria.svg Bulgária Stade Félix Bollaert, Lens
Público:
38,100
Árbitro:
van der Ende (Holanda)

Hierro 6' (pen)
Luis Enrique
19'
Morientes
55', 81'
Kiko
88', 90'

Kostadinov 58'

Grupo E

Time Pts J V E D GF GC SG
Países Baixos Países Baixos 5 3 1 2 0 7 2 5
Flag of Mexico.svg México 5 3 1 2 0 7 5 2
Flag of Belgium.svg Bélgica 3 3 0 3 0 3 3 0
Flag of South Korea.svg Coreia do Sul 1 3 0 1 2 2 9 -7
13 de junho de 1998
17:30(horário local)/12:30(horário do Brasil)
Flag of South Korea.svg Coreia do Sul 1–3 Flag of Mexico.svg México Stade de Gerland, Lyon
Público:
39,133
Árbitro:
Benkö (Áustria)

Ha Seok-Ju 28'



13 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Países Baixos Países Baixos 0–0 Flag of Belgium (civil).svg Bélgica Stade de France, Saint-Denis
Público:
75,000
Árbitro:
Collina (Itália)






20 de junho de 1998
17:30(horário local)/12:30(horário do Brasil)
Flag of Belgium (civil).svg Bélgica 2–2 Flag of Mexico.svg México Parc Lescure, Bordeaux
Público:
31,800
Árbitro:
Dallas (Escócia)

Wilmots 43', 47'
García Aspe 55' (pen)
Blanco
62'


20 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Países Baixos Países Baixos 5–0 Flag of South Korea.svg Coreia do Sul Stade Vélodrome, Marselha
Público:
55,000
Árbitro:
Wójcik (Polônia)






25 de junho de 1998
16:00(horário local)/11:00(horário do Brasil)
Países Baixos Países Baixos 2–2 Flag of Mexico.svg México Stade Geoffroy-Guichard, Saint-Étienne
Público:
30,600
Árbitro:
Al-Zeid (Arábia Saudita)

Cocu 4'
R. de Boer
18'

Peláez 75'
Hernández
90+5'


25 de junho de 1998
16:00(horário local)/11:00(horário do Brasil)
Flag of Belgium (civil).svg Bélgica 1–1 Flag of South Korea.svg Coreia do Sul Parc des Princes, Paris
Público:
45,500
Árbitro:
Rezende de Freitas (Brasil)

Nilis 7'
Yoo Sang-Chul 71'

Grupo F

Time Pts J V E D GF GC SG
Bandeira da 
Alemanha Alemanha 7 3 2 1 0 6 2 4
Sérvia e Montenegro Iugoslávia 7 3 2 1 0 4 2 2
Irão Irã 3 3 1 0 2 2 4 -2
Flag of the United States.svg Estados Unidos 0 3 0 0 3 1 5 -4
14 de junho de 1998
17:30(horário local)/12:30(horário do Brasil)
Sérvia e Montenegro Iugoslávia 1–0 Flag of Iran.svg Irã Stade Geoffroy-Guichard, Saint-Étienne
Público:
30,392
Árbitro:
Tejada (Peru)

Mihajlović 72'



15 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Bandeira da 
Alemanha Alemanha 2–0 Flag of the United States.svg Estados Unidos Parc des Princes, Paris
Público:
43,815
Árbitro:
Belqola (Marrocos)

Möller 8'
Klinsmann
64'




21 de junho de 1998
14:30(horário local)/09:30(horário do Brasil)
Bandeira da 
Alemanha Alemanha 2–2 Sérvia e Montenegro Iugoslávia Stade Félix Bollaert, Lens
Público:
38,100
Árbitro:
Milton Nielsen (Dinamarca)

Mihajlović 73' (g.c.)
Bierhoff
80'

Mijatović 2'
Stojković
54'


21 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of the United States.svg Estados Unidos 1–2 Flag of Iran.svg Irã Stade de Gerland, Lyon
Público:
39,100
Árbitro:
Meier (Suíça)

McBride 87'
Estili 40'
Mahdavikia
84'


25 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of the United States.svg Estados Unidos 0–1 Sérvia e Montenegro Iugoslávia Stade de la Beaujoire, Nantes
Público:
35,500
Árbitro:
Al-Ghandour (Egito)



Komljenović 4'

25 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Bandeira da 
Alemanha Alemanha 2–0 Flag of Iran.svg Irã Stade de la Mosson, Montpellier
Público:
29,800
Árbitro:
González (Paraguai)

Bierhoff 50'
Klinsmann
57'



Grupo G

Time Pts J V E D GF GC SG
Flag of Romania.svg Romênia 7 3 2 1 0 4 2 2
Flag of England.svg Inglaterra 6 3 2 0 1 5 2 3
Flag of Colombia.svg Colômbia 3 3 1 0 2 1 3 -2
Tunísia Tunísia 1 3 0 1 2 1 4 -3
15 de junho de 1998
16:15(horário local)/11:15(horário do Brasil)
Flag of England.svg Inglaterra 2–0 Flag of Tunisia.svg Tunísia Stade Vélodrome, Marselha
Público:
54,587
Árbitro:
Okada (Japão)

Shearer 43'
Scholes
89'




15 de junho de 1998
17:30(horário local)/12:30(horário do Brasil)
Flag of Romania.svg Romênia 1–0 Flag of Colombia.svg Colômbia Stade de Gerland, Lyon
Público:
37,572
Árbitro:
Chong (Ilhas Maurício)

Ilie 45'



22 de junho de 1998
17:30(horário local)/12:30(horário do Brasil)
Flag of Colombia.svg Colômbia 1–0 Flag of Tunisia.svg Tunísia Stade de la Mosson, Montpellier
Público:
29,800
Árbitro:
Heynemann (Alemanha)

Preciado 83'



22 de junho de 1998
Brasil)
Flag of Romania.svg Romênia 2–1 Flag of England.svg Inglaterra Stade Municipal de Toulouse, Toulouse
Público:
33,500
Árbitro:
Batta (França)

Moldovan 47'
Petrescu
90'

Owen 79'

26 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of Colombia.svg Colômbia 0–2 Flag of England.svg Inglaterra Stade Félix Bollaert, Lens
Público:
38,100
Árbitro:
Brizio Carter (México)



Anderton 20'
Beckham
29'


26 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of Romania.svg Romênia 1–1 Flag of Tunisia.svg Tunísia Stade de France, Saint-Denis
Público:
77,000
Árbitro:
Lennie (Austrália)

Moldovan 72'
Souayah 10' (pen)

Grupo H

Time Pts J V E D GF GC SG
Flag of Argentina.svg Argentina 9 3 3 0 0 7 0 7
Bandeira da Croácia Croácia 6 3 2 0 1 4 2 2
Flag of Jamaica.svg Jamaica 3 3 1 0 2 3 9 -6
Flag of Japan.svg Japão 0 3 0 0 3 1 4 -3
14 de junho de 1998
14:30(horário local)/09:30(horário do Brasil)
Flag of Argentina.svg Argentina 1–0 Flag of Japan.svg Japão Stade Municipal de Toulouse, Toulouse
Público:
33,400
Árbitro:
van der Ende (Holanda)

Batistuta 28'



14 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of Jamaica.svg Jamaica 1–3 Bandeira da Croácia Croácia Stade Félix Bollaert, Lens
Público:
38,058
Árbitro:
Melo Pereira (Portugal)

Earle 45'
Stanić 27'
Prosinečki
53'
Šuker
69'


20 de junho de 1998
14:30(horário local)/09:30(horário do Brasil)
Flag of Japan.svg Japão 0–1 Bandeira da Croácia Croácia Stade de la Beaujoire, Nantes
Público:
35,500
Árbitro:
Ramdhan (Trinidad e Tobago)



Šuker 77'

21 de junho de 1998
17:30(horário local)/09:30(horário do Brasil)
Flag of Argentina.svg Argentina 5–0 Flag of Jamaica.svg Jamaica Parc des Princes, Paris
Público:
45,000
Árbitro:
Pedersen (Noruega)

Ortega 31', 55'
Batistuta
72', 80', 82' (pen)




26 de junho de 1998
16:00(horário local)/11:00(horário do Brasil)
Flag of Argentina.svg Argentina 1–0 Bandeira da Croácia Croácia Parc Lescure, Bordeaux
Público:
31,800
Árbitro:
Belqola (Marrocos)

Patrick Victor da Silva 36'



26 de junho de 1998
16:00(horário local)/11:00(horário do Brasil)
Flag of Japan.svg Japão 1–2 Flag of Jamaica.svg Jamaica Stade de Gerland, Lyon
Público:
39,100
Árbitro:
Benkö (Áustria)

Nakayama 74'
Whitmore 39', 54'

Mata-mata



oitavas-de-final
quartas-de-final
semifinais
final










                                   


  27 junho - Paris    
   
   


A Brasil EscóciaMarrocos Svalbard e Jan Mayen  Brasil Brasil  4

  3 julho- Nantes

B Itália ChileCamarões Áustria  Flag of Chile.svg Chile  1  

   Brasil Brasil  3


28 junho - Saint-Denis

   Flag of Denmark.svg Dinamarca  2  

D Paraguai BulgáriaEspanha Nigéria  Flag of Nigeria.svg Nigéria  1

 
7 julho - Marselha

C Arábia Saudita DinamarcaFrança África do Sul  Flag of Denmark.svg Dinamarca  4  

   Brasil Brasil(pen)  1(4)


29 junho - Toulouse

   Países Baixos Países Baixos  1(2)  

E Coreia do Sul MéxicoPaíses Baixos Bélgica.  Países Baixos Países Baixos  2

  4 julho - Marselha

F Iugoslávia. IrãoAlemanha Estados Unidos  Sérvia e Montenegro Iugoslávia  1  

   Países Baixos Países Baixos  2


30 junho – St. Etiénne

   Flag of Argentina.svg Argentina  1  

H Argentina JapãoJamaica Croácia  Flag of Argentina.svg Argentina(pen)  2(4)

 
12 julho – Saint-Denis

G Inglaterra TunísiaRoménia Colômbia  Flag of England.svg Inglaterra  2(3)  

   Brasil Brasil  0


27 junho - Marselha

   Bandeira da França França  3

B Itália ChileCamarões Áustria  Flag of Italy.svg Itália  1

  3 julho – Sant-Denis

A Brasil EscóciaMarrocos Svalbard e Jan Mayen  Flag of Norway.svg Noruega  0  

   Flag of Italy.svg Itália  0(3)


28 junho - Lens

   Bandeira da França França (pen)  0(4)  

C Arábia Saudita DinamarcaFrança África do Sul  Bandeira da França França (g.o.)  1

 
8 julho – Saint-Denis

D Paraguai BulgáriaEspanha Nigéria  Flag of Paraguay.svg Paraguai  0  

   Bandeira da França França  2


29 junho - Montpellier

   Bandeira da Croácia Croácia  1   disputa de 3º lugar

F Jugoslávia. IrãoAlemanha Estados Unidos  Bandeira da 
Alemanha Alemanha  2

  4 julho - Lyon
11 julho - Paris

E Coreia do Sul MéxicoPaíses Baixos Bélgica.  Flag of Mexico.svg México  1  

   Bandeira da 
Alemanha Alemanha  0  Países Baixos Países Baixos  1


30 junho - Bordeaux

   Bandeira da Croácia Croácia  3    Bandeira da Croácia Croácia  2

G Inglaterra TunísiaRoménia Colômbia  Flag of Romania.svg Romênia  0

 


H Argentina JapãoJamaica Croácia  Bandeira da Croácia Croácia  1  

 
Entre parênteses está o resultado da disputa de pênaltis.

Oitavas-de-Final

27 de junho de 1998
16:30(horário local)/11:30(horário do Brasil)
Flag of Italy.svg Itália 1–0 Flag of Norway.svg Noruega Stade Vélodrome, Marseille
Público:
55,000
Árbitro:
Heynemann (Alemanha)

Vieri 18'



27 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Brasil Brasil 4–1 Flag of Chile.svg Chile Parc des Princes, Paris
Público:
45,500
Árbitro:
Batta (França)

César Sampaio 11', 27'
Ronaldo
46+' (pen), 70'

Salas 68'

28 de junho de 1998
16:30(horário local)/11:30(horário do Brasil)
Bandeira da França França 1–0 (Prorrogação) Flag of Paraguay.svg Paraguai Stade Félix Bollaert, Lens
Público:
38,100
Árbitro:
Bujsaim (Emirados Árabes)

Blanc 113' (gol de ouro)



28 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of Nigeria.svg Nigéria 1–4 Flag of Denmark.svg Dinamarca Stade de France, Saint-Denis
Público:
77,000
Árbitro:
Meier (Suíça)

Babangida 78'
Møller 3'
B. Laudrup
12'
Sand
60'
Helveg
76'


29 de junho de 1998
16:30(horário local)/11:30(horário do Brasil)
Bandeira da 
Alemanha Alemanha 2–1 Flag of Mexico.svg México Stade de la Mosson, Montpellier
Público:
29,800
Árbitro:
Melo Pereira (Portugal)

Klinsmann 75'
Bierhoff
86'

Hernandez 47'

29 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Países Baixos Países Baixos 2–1 Sérvia e Montenegro Iugoslávia Stade de Toulouse, Toulouse
Árbitro:
33,500
Público:
García Aranda (Espanha)

Bergkamp 38'
Davids
92+'

Komljenović 48'

30 de junho de 1998
16:30(horário local)/11:30(horário do Brasil)
Flag of Romania.svg Romênia 0–1 Bandeira da Croácia Croácia Parc Lescure, Bordeaux
Público:
31,800
Árbitro:
Castrilli (Argentina)



Šuker 47+' (pen)

30 de junho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Flag of Argentina.svg Argentina 2–2 (Prorrogação)
(4–3 Disputa por pênaltis)
Flag of England.svg Inglaterra Stade Geoffroy-Guichard, Saint-Étienne
Attendance:
64
Árbitro:
Milton Nielsen (Dinamarca)

Batistuta 6' (pen)
Zanetti
46+'

Shearer 10' (pen)
Owen
16'

    Penalidades  
Berti: Convertido
Crespo
: Erro (defesa do goleiro)
Verón
: Convertido
Gallardo
: Convertido
Ayala
: Convertido
4 - 3 Shearer: Convertido
Ince
: Erro (defesa do
 goleiro)
Merson
: Convertido
Owen
: Convertido
Batty
: Erro (defesa do
 goleiro)
 

[editar] Quartas-de-Final

3 de julho de 1998
16:30(horário local)/11:30(horário do Brasil)
Bandeira da França França 0–0 (Prorrogação)
(4–3 Disputa por pênaltis)
Flag of Italy.svg Itália Stade de France, Saint-Denis
Público:
77,000
Árbitro:
Dallas (Escócia)





    Penalidades  
Zidane: Convertido
Lizarazu
: Erro (defesa do goleiro)
Trézéguet
: Convertido
Henry
: Convertido
Blanc
: Convertido
4—3 R. Baggio: Convertido
Albertini
: Erro (defesa do goleiro)
Costacurta
: Convertido
Vieri
: Convertido
di Biagio
: Erro (chute no travessão)
 

3 de julho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Brasil Brasil 3–2 Flag of Denmark.svg Dinamarca Stade de la Beaujoire, Nantes
Público:
35,500
Árbitro:
Al-Ghandour (Egito)

Bebeto 11'
Rivaldo
27', 60'

Jørgensen 2'
B. Laudrup
50'


4 de julho de 1998
16:30(horário local)/11:30(horário do Brasil)
Países Baixos Países Baixos 2–1 Flag of Argentina.svg Argentina Stade Vélodrome, Marselha
Público:
: 55,000
Árbitro:
Brizio Carter (México)

Kluivert 12'
Bergkamp
89'

López 17'

4 de julho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Bandeira da 
Alemanha Alemanha 0–3 Bandeira da Croácia Croácia Stade de Gerland, Lyon
Attendance:
39,100
Referee:
Pedersen (Noruega)



Jarni 48+'
Vlaović
80'
Šuker
85'

 Semifinais

7 de julho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Brasil Brasil 1–1 (Prorrogação)
(4–2 Disputa por pênaltis)
Países Baixos Países Baixos Stade Vélodrome, Marselha
Público:
54,000
Árbitro:
Bujsaim (Emirados Árabes)

Ronaldo 46'
Kluivert 87'
    Penalidades  
Ronaldo: Convertido
Rivaldo
: Convertido
Emerson
: Convertido
Dunga
: Convertido
4–2 F. de Boer: Convertido
Bergkamp
: Convertido
Cocu
: Erro (defesa do
 goleiro)
R. de Boer
: Erro (defesa do goleiro)
 

8 de julho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Bandeira da França França 2–1 Bandeira da Croácia Croácia Stade de France, Saint-Denis
Público:
76,000
Árbitro:
García Aranda (Espanha)

Thuram 47', 69'
Šuker 46'

Disputa de 3º Lugar

11 de julho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Países Baixos Países Baixos 1–2 Bandeira da Croácia Croácia Parc des Princes, Paris
Público:
45,500
Árbitro:
González (Paraguai)

Zenden 21'
Prosinečki 13'
Šuker
35'

Final

12 de julho de 1998
21:00(horário local)/16:00(horário do Brasil)
Crystal Clear app kworldclock.png
Histórico
Brasil Brasil 0–3 Bandeira da França França Stade de France, Saint-Denis
Público:
80,000
Árbitro:
Belqola (Marrocos)



Zidane 27', 45+1'
Petit
90+3'

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time

Brasil
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time

França

Classificação final

Finalistas

Campeão França França
Vice-Campeão Brasil Brasil
3° lugar Croácia Croácia
4° lugar Países Baixos Países Baixos


Eliminados nas quartas-de-final

5°. Flag of Italy.svg Itália 11 pontos
6°. Flag of Argentina.svg Argentina 10 pontos
7°. Bandeira da 
Alemanha Alemanha 10 pontos
8°. Flag of Denmark.svg Dinamarca 7 pontos

Eliminados nas oitavas-de-final

9°.  Iugoslávia 7 pontos
10°. Flag of Romania.svg Romênia 7 pontos
11°. Flag of England.svg Inglaterra 7 pontos
12°. Flag of Nigeria.svg Nigéria 6 pontos
13°. Flag of Paraguay.svg Paraguai 5 pontos
14°. Flag of Mexico.svg México 5 pontos
15°. Flag of Norway.svg Noruega 5 pontos
16°. Flag of Chile.svg Chile 3 pontos

Eliminados na fase de grupos

17°. Flag of Spain.svg Espanha 4 pontos
18°. Flag of Morocco.svg Marrocos 4 pontos
19°. Flag of Belgium (civil).svg Bélgica 3 pontos
20°. Flag of Iran.svg Irã 3 pontos
21°. Flag of Colombia.svg Colômbia 3 pontos
22°. Flag of Jamaica.svg Jamaica 3 pontos
23°. Flag of Austria.svg Áustria 2 pontos
24°. Bandeira da 
África do Sul África do Sul 2 pontos
25°. Flag of Cameroon.svg Camarões 1 ponto
26°. Flag of Tunisia.svg Tunísia 1 pontos
27°. Flag of Scotland.svg Escócia 1 ponto
28°. Flag of Saudi Arabia.svg Arábia Saudita 1 ponto
29°. Flag of Bulgaria.svg Bulgária 1 ponto
30°. Flag of South Korea.svg Coreia do Sul 1 ponto
31°. Flag of Japan.svg Japão 0 ponto
32°. Flag of the United States.svg Estados Unidos 0 ponto

Premiações

Campeão da Copa do Mundo FIFA de 1998
France.
França

Primeiro Título

Individuais

Prêmio FIFA Chuteira de Ouro (artilheiro): Prêmio FIFA Bola de Ouro (melhor jogador): Prêmio FIFA Yashin (melhor goleiro): Troféu FIFA Fair Play (time menos faltoso): Time mais divertido:
Croácia Davor Šuker Brasil Ronaldo Nazário França Fabien Barthez Inglaterra Inglaterra FrançaFrança França França

Dream team

Goleiros Defensores Meios-Campistas Atacantes
Croácia Drazen Ladic
Paraguai José Luis Chilavert
Brasil Roberto Carlos
França Marcel Desailly
França Lilian Thuram
Países Baixos Frank de Boer
Paraguai Carlos Gamarra
Brasil Dunga
Brasil Rivaldo
Dinamarca Michael Laudrup
França Zinedine Zidane
Países Baixos Edgar Davids
Inglaterra David Beckham
Brasil Ronaldo Nazário
Croácia Davor Šuker
Dinamarca Brian Laudrup
Países Baixos Dennis Bergkamp

Grupos

Artilharia



6 gols
5 gols
4 gols
3 gols
2 gol(o)s

1 gol
Auto-gol(o)s

Premiações

Campeão da Copa do Mundo
France.
França

Campeã

Postagens mais visitadas deste blog

Canções para TFM

DEMÔNIOS CAMUFLADOS DEMÔNIOS CAMUFLADOS VÃO SAIR DA ESCURIDÃO,
SENTINELA ENSANGUENTADO VAI ROLANDO PELO CHÃO,
E PERGUNTEM DE ONDE VENHO, VENHO DA ESCURIDÃO,
TRAGO A MORTE, O DESESPERO E A TOTAL DESTRUIÇÃO.
ARMADILHAS CAMUFLADAS, ACIONADORES DE TRAÇÃO,
QUEM VIER ATRAS DE MIM SÓ VAI OUVIR A EXPLOSÃO(CABUM)
SANGUE FRIO EM MINHAS VEIAS CONGELOU MEU CORAÇÃO
NÓS GOSTAMOS DE EXPLOSIVOS NOSSO LEMA É VIBRAÇÃO.
QUEM ÉS TU? QUEM ÉS TU?
QUE DESCE DO CÉU!
COM ASAS DE PRATA POR SOBE O BRASIL!
GUERREIRO ALADO, QUE NÃO SENTE DOR!
PARAQUEDISTA, COMANF, MERGULHADOR!
A SUA MISSÃO É DESTRUIR
A TROPA INIMIGA QUE TENTA INVADIR

CORRIDINHA MIXURUCA CORRIDINHA MIXURUCA,
QUE NÃO DÁ NEM PARA CANÇAR.
NESSE PASSO, NESSE PASSO,
VOLTA AO MUNDO EU VOU DAR.
NESSE PASSO, NESSE PASSO
TODOS JUNTOS VÃO CHEGAR.
E SE ALGUÉM NÃO AGUENTAR,
EU VOU TER QUE ARRASTAR.
E SE O ARRASTO ME MATAR, PODES CRER TU VAI FICA
VAI FICAR NA MÃO DE OUTRO – ATÉ EU ME RECUPERAR.
POIS NESSE PASSO, NESSE PASSO,
MESMO MORTO VOU TE BUSCAR.




SALTITANDO, SALTI…

Canções Militares para o TFM.

Essas canções são usadas durante o Treinamento Físico Militar nas Forças Armadas, das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares.
Demônios Camuflados Demônios camuflados vão sair da escuridão,
sentinela ensanguentado vai rolando pelo chão,
e perguntem de onde venho, venho da escuridão,
trago a morte, o desespero e a total destruição.
Armadilhas camufladas, acionadores de tração,
Quem vier atras de mim só vai ouvir a explosão(Cabum)
Sangue frio em minhas veias congelou meu coração
Nós gostamos de explosivos nosso lema é vibração.
Quem és Tu? Quem és tu?
Que desce do céu!
Com asas de prata por sobe o Brasil!
Guerreiro alado, que não sente dor!
Paraquedista, Comanf, Mergulhador!
A sua missão é destruir
A tropa inimiga que tenta invadir

Corridinha Mixuruca Corridinha mixuruca,
que não dá nem para cançar.
Nesse passo, nesse passo,
Volta ao mundo eu vou dar.
Nesse passo, nesse passo
Todos juntos vão chegar.
E se alguém não aguentar,
Eu vou ter que arrastar.
E se o arrasto me matar, podes c…

Termodinâmica

Termodinâmica