Pular para o conteúdo principal

Filho de Sargento Regina vai à polícia se defender de acusações



Julian Fellipe foi apontado por testemunhas como sendo o motorista do carro em que estava o homem que atirou contra Arthur Fellype na quinta-feira (9).

Por Thyago Macedo

Foto: Reprodução
Arthur Fellype foi assassinado na quinta-feira (9), em Neópolis.
Saiba mais

O jovem Julian Fellipe procurou a polícia espontaneamente para se defender das acusações de que estaria envolvido na morte de Arthur Fellype da Fonsêca, de 20 anos. O filho da vereadora Sargento Regina foi apontado por testemunhas como sendo o motorista do carro em que estava o homem que atirou contra Arthur.



No fim da manhã desta segunda-feira (13), Julian Fellipe foi até o 10º Distrito Policial acompanhado do advogado Eduardo Silva Botelho Medeiros. Os dois conversaram com o delegado César Rodrigues e alegam que Julian estava em casa no momento do homicídio.

“O prédio onde eles moram tem um sistema de monitoramento por câmeras que controla a entrada e saída de todos os moradores. Com isso, nós vamos provar que o Julian não saiu do condomínio e, por isso, não tinha como ter participado do homicídio”, revela o advogado.

De acordo com Eduardo Medeiros, a apresentação espontânea de Julian indica que ele não tem o que temer e provará inocência. “A defesa seguirá por essa linha, de que meu cliente estava em casa no momento do crime. Além disso, existem conversas no MSN, exatamente no horário do homicídio. Tudo isso será usado como prova”.

Eduardo Medeiros conta ainda que Julian Fellipe, ao contrário do que tem sido dito, nunca teve participação em nenhuma torcida organizada. Questionado pela reportagem se o jovem sabia o que teria levado as vítimas a apontá-lo como um dos participantes, o advogado disse que possivelmente “questão política”.

O portal Nominuto.com ouviu também a vereadora Sargento Regina. Ela se disse preocupada com as acusações contra o filho. “Que editem imagens minhas e coloquem na internet, tudo bem. Eu aguento a pancada. Agora, isso que estão fazendo com meu filho é muito sério”, comentou.



Sargento Regina reforçou a informação de que Julian Fellipe estava em casa no momento em que o crime aconteceu e, por isso, é inocente.

http://www.nominuto.com/noticias/policia/filho-de-sargento-regina-vai-a-policia-se-defender-de-acusacoes/60252/









Filho da Sargento Regina nega envolvimento em homicídio 

O filho da vereadora licenciada Sargento Regina (PDT), Julian Fellipe, 24 anos, conhecido como "Briba", se apresentou espontaneamente na manhã de hoje na 10ª Delegacia de Polícia Civil, no bairro de Neópolis. Ele foi dar explicações e desmentir qualquer envolvimento no homicídio de Arthur Fellype da Fonseca, 20 anos, morto na noite de quinta-feira, possivelmente por brigas entre torcidas organizadas.


Na delegacia, acompanhado pelo advogado, Julian Fellipe negou qualquer envolvimento no crime e, inclusive, mostrou vídeos do sistema de câmeras do prédio onde ele mora. A intenção do jovem era mostrar que não havia saído de casa naquela noite. 

A participação de "Briba" no homicídio teria sido confirmada por dois jovens que acompanhavam Arthur Fellype no momento em que ele foi baleado dentro do bar do Muído, localizado no avenida dos Pinheirais, no bairro de Neópolis. Os dois afirmaram que era Briba quem dirigia o carro que levou o homem que atirou contra Arthur até o  local. 

MEMÓRIA

Integrante da torcida Garra, antiga Gang Alvinegra, do ABC, Arthur Fellype estaria com outros três amigos assistindo ao jogo entre Botafogo e Santos no bar do Muído quando foi surpreendido por um homem que se identificou como sendo integrante da "Mafia de Cidade Verde". Armado, esse homem teria atirado três vezes contra Arthur Fellype (uma vez na cabeça e duas no  peito) e fugido em seguida, em um Corsa prata, que estaria sendo dirigido por Julian Fellipe. 

Arthur Fellype chegou a ser socorrido e levado para o pronto-atendimento Clóvis Sarinho, mas morreu ao dar entrada no local. Até o momento, ninguém foi preso por suspeita de envolvimento no crime. 


Postagens mais visitadas deste blog

Canções para TFM

DEMÔNIOS CAMUFLADOS DEMÔNIOS CAMUFLADOS VÃO SAIR DA ESCURIDÃO,
SENTINELA ENSANGUENTADO VAI ROLANDO PELO CHÃO,
E PERGUNTEM DE ONDE VENHO, VENHO DA ESCURIDÃO,
TRAGO A MORTE, O DESESPERO E A TOTAL DESTRUIÇÃO.
ARMADILHAS CAMUFLADAS, ACIONADORES DE TRAÇÃO,
QUEM VIER ATRAS DE MIM SÓ VAI OUVIR A EXPLOSÃO(CABUM)
SANGUE FRIO EM MINHAS VEIAS CONGELOU MEU CORAÇÃO
NÓS GOSTAMOS DE EXPLOSIVOS NOSSO LEMA É VIBRAÇÃO.
QUEM ÉS TU? QUEM ÉS TU?
QUE DESCE DO CÉU!
COM ASAS DE PRATA POR SOBE O BRASIL!
GUERREIRO ALADO, QUE NÃO SENTE DOR!
PARAQUEDISTA, COMANF, MERGULHADOR!
A SUA MISSÃO É DESTRUIR
A TROPA INIMIGA QUE TENTA INVADIR

CORRIDINHA MIXURUCA CORRIDINHA MIXURUCA,
QUE NÃO DÁ NEM PARA CANÇAR.
NESSE PASSO, NESSE PASSO,
VOLTA AO MUNDO EU VOU DAR.
NESSE PASSO, NESSE PASSO
TODOS JUNTOS VÃO CHEGAR.
E SE ALGUÉM NÃO AGUENTAR,
EU VOU TER QUE ARRASTAR.
E SE O ARRASTO ME MATAR, PODES CRER TU VAI FICA
VAI FICAR NA MÃO DE OUTRO – ATÉ EU ME RECUPERAR.
POIS NESSE PASSO, NESSE PASSO,
MESMO MORTO VOU TE BUSCAR.




SALTITANDO, SALTI…

Canções Militares para o TFM.

Essas canções são usadas durante o Treinamento Físico Militar nas Forças Armadas, das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares.
Demônios Camuflados Demônios camuflados vão sair da escuridão,
sentinela ensanguentado vai rolando pelo chão,
e perguntem de onde venho, venho da escuridão,
trago a morte, o desespero e a total destruição.
Armadilhas camufladas, acionadores de tração,
Quem vier atras de mim só vai ouvir a explosão(Cabum)
Sangue frio em minhas veias congelou meu coração
Nós gostamos de explosivos nosso lema é vibração.
Quem és Tu? Quem és tu?
Que desce do céu!
Com asas de prata por sobe o Brasil!
Guerreiro alado, que não sente dor!
Paraquedista, Comanf, Mergulhador!
A sua missão é destruir
A tropa inimiga que tenta invadir

Corridinha Mixuruca Corridinha mixuruca,
que não dá nem para cançar.
Nesse passo, nesse passo,
Volta ao mundo eu vou dar.
Nesse passo, nesse passo
Todos juntos vão chegar.
E se alguém não aguentar,
Eu vou ter que arrastar.
E se o arrasto me matar, podes c…

Termodinâmica

Termodinâmica