Pular para o conteúdo principal

São Gonçalo é destaque em reportagem da Rede Globo





Olhares curiosos seguem o comboio de veículos pelas ruas estreitas de pedra. O local é Uruaçu, distrito do município de São Gonçalo do Amarante, e o comboio abrigava a equipe de reportagem da série JN no Ar, capitaneada pelo repórter Ernesto Paglia. A matéria sobre a cidade potiguar, a décima  segunda da série que irá mostrar 27 cidades brasileiras, uma de cada estado e do Distrito Federal, até o dia 30 de setembro, foi exibida ontem à noite. Na pauta, o aeroporto de São Gonçalo do Amarante, as atividades econômicas da cidade e a culinária local.

adriano abreuErnesto Paglia conversa com o historiador Luiz Eduardo Suassuna sobre os massacre de Uruaçu
Ernesto Paglia conversa com o historiador Luiz Eduardo Suassuna sobre os massacre de Uruaçu

















A primeira parada da equipe foi no Santuário dos Mártires de Uruaçu, onde o repórter Ernesto Paglia conversou com o professor Luís Eduardo Suassuna, conhecido como “Coquinho” sobre a história dos mártires. De lá, a equipe, acompanhada do secretário de Turismo de São Gonçalo, Raphael Correia, se dirigiu a uma cerâmica da região. O proprietário Cleudo Mendes conversou com Ernesto Paglia sobre o trabalho no local. Antes de continuar a peregrinação pelas principais atividades econômicas da cidade – uma fazenda de carcinicultura foi o destino seguinte – a equipe do JN no Ar visitou Maria Rosângela do Nascimento, proprietária do “Bar da Rosa”. O camarão servido fez sucesso.

De acordo com Ernesto Paglia, o objetivo da série de reportagens do Jornal Nacional é retratar cidades brasileiras que normalmente ficam de fora do noticiário nacional. “Tentamos mostrar tanto as dificuldades quanto as virtudes de cada lugar. Toda cidade tem um orgulho, como é o caso desse camarão servido no Bar da Rosa. Queremos mostrar esse Brasil normalmente distante do noticiário”, afirma. No caso de São Gonçalo do Amarante, chamou a atenção as atividades econômicas e o importante aeroporto em construção.

Por conta do ritmo de trabalho – uma cidade por dia – a rotina da equipe é corrida. São oito pessoas viajando diariamente em um avião próprio, com cerca de 700 quilos de equipamento à bordo. A matéria precisa ser produzida e editada em questão do horas, o que obrigou a produção a carregar uma ilha de edição portátil. Funciona da seguinte maneira: após captar as imagens e fazer as entrevistas, o repórter volta para o aeroporto, onde a produção já se encarrega de reservar uma sala para abrigar a ilha de edição. O texto é construído praticamente no carro e o off – a leitura do texto que acompanha as imagens – é gravado também no aeroporto.

Para dar tempo levar tudo ao ar, sem atropelos, uma outra equipe capta imagens pela cidade e prepara o local para o link ao vivo. Todos os dias Ernesto Paglia participa ao vivo do Jornal Nacional, sempre em um lugar importante na cidade retratada. Ontem à noite, foi a vez do aeroporto de São Gonçalo do Amarante. Com tantos detalhes, é preciso planejamento. Para se ter uma idéia, o trabalho de pesquisa para dar suporte à série foi iniciado em outubro do ano passado e ao chegar na cidade o repórter já tem boa parte das informações necessárias para compor a reportagem.

A correria faz com que os membros da equipe tenham poucas horas de descanso por dia. De acordo com a produção, depois de todo o trabalho, há seis horas para fazer check in no hotel, tomar banho, dormir, acordar, tomar café e cair na estrada novamente. 

Reportagem destaca taxa de analfabetismo no Estado

Além de mostrar as peculiaridades históricas e culturais de São Gonçalo do Amarante, 12ª cidade visitada pelo jornalista Ernesto Paglia, através do quadro “JN no Ar”, a reportagem da Rede  Globo revelou os principais indicadores sociais e econômicos do Rio Grande do Norte – entre eles o de ter a segunda maior renda média do Nordeste; a quinta economia da região; e também de ter 18% de analfabetos, o sexto índice do país (a taxa divulgada no dia anterior pelo IBGE é, na verdade, de 19,5%). O Aeroporto de São Gonçalo do Amarante foi lembrando pelo esquecimento de 13 anos de projeto aprovado e até agora ter somente uma pista pronta. “A expectativa é de que até a Copa do Mundo de 2014 a estrutura tenha sido consolidada”, disse Páglia, na reportagem.

O repórter foi acompanhado pelo professor de História da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Luiz Eduardo Brandão Suassuna, o Kokinho, que relatou detalhes do Massacre de Uruaçu, quando o povoado, localizado na região de São Gonçalo do Amarante, foi vitima dos holandeses que quiseram impor o seu domínio militar, além da sua cultura e sua religião. “Os nativos não aceitaram o domínio e os holandeses promoveram um verdadeiro massacre matando todas as famílias que viviam no  povoado”, explicou Kokinho. “A importância para a história é que a reação dessas pessoas ao domínio garantiu a Portugal manter o domínio face a investida holandesa”, completou o professor.

Ernesto Plagia mostrou também o problema ocasionado pelas inúmeras cerâmicas que atuam na região, cujos fornos são movidos a lenha e poluem o Meio Ambiente.  Ele mostrou também que as crateras provocadas pela retirada de argilas destinadas às cerâmicas são aproveitadas pelos criadores de Camarão para criatórios dos crustáceos. O criador de camarão Felizardo Moura, atestou a viabilidade do “negócio”. O repórter do Jornal Nacional finaliza a matéria comendo um bom prato de camarão e dizendo se sentir um legítimo potiguar.



Postagens mais visitadas deste blog

Canções para TFM

DEMÔNIOS CAMUFLADOS DEMÔNIOS CAMUFLADOS VÃO SAIR DA ESCURIDÃO,
SENTINELA ENSANGUENTADO VAI ROLANDO PELO CHÃO,
E PERGUNTEM DE ONDE VENHO, VENHO DA ESCURIDÃO,
TRAGO A MORTE, O DESESPERO E A TOTAL DESTRUIÇÃO.
ARMADILHAS CAMUFLADAS, ACIONADORES DE TRAÇÃO,
QUEM VIER ATRAS DE MIM SÓ VAI OUVIR A EXPLOSÃO(CABUM)
SANGUE FRIO EM MINHAS VEIAS CONGELOU MEU CORAÇÃO
NÓS GOSTAMOS DE EXPLOSIVOS NOSSO LEMA É VIBRAÇÃO.
QUEM ÉS TU? QUEM ÉS TU?
QUE DESCE DO CÉU!
COM ASAS DE PRATA POR SOBE O BRASIL!
GUERREIRO ALADO, QUE NÃO SENTE DOR!
PARAQUEDISTA, COMANF, MERGULHADOR!
A SUA MISSÃO É DESTRUIR
A TROPA INIMIGA QUE TENTA INVADIR

CORRIDINHA MIXURUCA CORRIDINHA MIXURUCA,
QUE NÃO DÁ NEM PARA CANÇAR.
NESSE PASSO, NESSE PASSO,
VOLTA AO MUNDO EU VOU DAR.
NESSE PASSO, NESSE PASSO
TODOS JUNTOS VÃO CHEGAR.
E SE ALGUÉM NÃO AGUENTAR,
EU VOU TER QUE ARRASTAR.
E SE O ARRASTO ME MATAR, PODES CRER TU VAI FICA
VAI FICAR NA MÃO DE OUTRO – ATÉ EU ME RECUPERAR.
POIS NESSE PASSO, NESSE PASSO,
MESMO MORTO VOU TE BUSCAR.




SALTITANDO, SALTI…

Canções Militares para o TFM.

Essas canções são usadas durante o Treinamento Físico Militar nas Forças Armadas, das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares.
Demônios Camuflados Demônios camuflados vão sair da escuridão,
sentinela ensanguentado vai rolando pelo chão,
e perguntem de onde venho, venho da escuridão,
trago a morte, o desespero e a total destruição.
Armadilhas camufladas, acionadores de tração,
Quem vier atras de mim só vai ouvir a explosão(Cabum)
Sangue frio em minhas veias congelou meu coração
Nós gostamos de explosivos nosso lema é vibração.
Quem és Tu? Quem és tu?
Que desce do céu!
Com asas de prata por sobe o Brasil!
Guerreiro alado, que não sente dor!
Paraquedista, Comanf, Mergulhador!
A sua missão é destruir
A tropa inimiga que tenta invadir

Corridinha Mixuruca Corridinha mixuruca,
que não dá nem para cançar.
Nesse passo, nesse passo,
Volta ao mundo eu vou dar.
Nesse passo, nesse passo
Todos juntos vão chegar.
E se alguém não aguentar,
Eu vou ter que arrastar.
E se o arrasto me matar, podes c…

Termodinâmica

Termodinâmica