Pular para o conteúdo principal

POLICIA NÃO FAZ GREVE REIVINDICA VALORIZAÇÃO


É recorrente em todo território nacional a dedicação e abnegação de homens e mulheres que desempenham o trabalho pela Segurança Pública em nosso país, cerca de 600 mil homens e mulheres fazem parte das forças de segurança estaduais arriscando a vida e abrindo mão do lazer com sua família para prestarem esse serviço de extrema importância e muitas vezes sem nenhum reconhecimento ou valorização.
Costuma-se dizer que a policia perto incomoda e longe faz falta para expressar a importância e necessidade dessa categoria. Na maioria dos estados brasileiros a Policia Militar e Corpos de Bombeiros Militares são menosprezados pelo Poder Público que não investe adequadamente em estrutura e condições de trabalho, em vezes, os profissionais são abandonados a própria sorte e criatividade de inventar formas de segurança e de melhoramento no serviço para garantir a própria vida e a vida de terceiros.
Como se não bastasse, a falta de estrutura e condições de trabalho, ainda pode-se constatar o abandono legislativo dessa corporação, com legislações arcaicas e anteriores a Constituição Federal  de 1988 e em alguns casos, uma verdadeira "coxa de retalhos" que torna-se impossível a segurança jurídica, as garantias de direitos e a definição de deveres diretamente relacionados ao atendimento a sociedade e o serviço de SEGURANÇA PÚBLICA. Na maioria dos casos, as legislações copiadas das forças armadas que se destinam para fins diversos aos do serviço de policiais e bombeiros são ferramentas de opressão, humilhação e abuso de poder.
Não se fala aqui da dicotomia militarismo e democracia, pois em certos aspectos poder-se-ia enaltecer a ideologia militar enquanto organização, respeito e controle elevados, assim como direitos previstos na legislação militar como previdência e plano de carreira. Mas que infelizmente não passa do papel. Na prática, policiais e bombeiros convivem com uma gama de problemas como uma carga de estresse elevada, causada pela natureza de trabalho de defesa, salvamento e solução de conflitos. Tudo isso causa-lhes transtornos físicos, mentais e profissionais na ativa e quando passam a inatividade uma vez que não se tem um programa de preparação seja profissional ou social para a inatividade. Outra indefinição legislativa enfrentada pelos militares estaduais é a definição de uma carga horária, como não se tem previsão legislativa fica a critério da autoridade gestora militar estadual a definição da jornada de trabalho que muitas vezes ultrapassam a carga horária de 240 horas mensais, imaginem uma pessoa trabalhar mais de 240h mensais, imaginem ainda durante 30 anos de serviço e acrescente a essa imaginação a natureza do serviço de segurança com o risco iminente de morte todos os dias! Esse problema de carga horária é uma das bandeiras de reivindicação daqueles que vivem as margens da Lei militar reivindicando e colocando em risco seus empregos e a liberdade quando desafiam a legislação e a ordem institucional para melhorias da condição de vida e de trabalho desses profissionais.
É por esses e outros fatores que surgiram as associações de policiais e bombeiros militares em todo território nacional, sob a clandestinidade, policiais se reuniam desde 1985, já em 1995 criaram a primeira Associação Nacional dos Cabos e Soldados e em 2007 foi criada a Associação Nacional das Praças (ANASPRA) com o objetivo de auxiliar e representar as Associações Estaduais. Atualmente a ANASPRA participa do Conselho Nacional de Segurança Pública (CONASP) e de vários Fóruns de discussão sobre a área e colabora com Governos (Municipais, Estaduais e Federal) quanto ao colhimento, apresentação e analise de dados da Segurança Pública. Recentemente colaborou com a elaboração das Diretrizes Nacionais de Direitos Humanos para os Profissionais de Segurança Pública.
Mas nem tudo são flores e em alguns casos a ANASPRA intervém nos conflitos estaduais entre a tropa e os Governos Estaduais. Somente durante o ano de 2011, foram registrados mais de 10 conflitos relacionados as reivindicações por melhorias salariais e de condições de trabalho. Mesmo diante das vedações constitucionais e da rigorosa legislação militar, a necessidade social e humana fala mais alto e, dessarte munidos das armas da palavra de ordem, da bandeira da reivindicação e coragem e com as munições da realidade enfrentada no dia a dia desafiam o poder e partem para mudança das suas condições sociais e de trabalho. Assim foram os casos em Piauí, Maranhão, Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande do Norte e agora no Ceará.
Infelizmente, a postura adotada pelos Governos e Comandos das Corporações é, muitas vezes, de retaliar e fazer calar o grito daqueles que defendem com o risco da própria vida, a vida e a liberdade de toda sociedade. Esquecem que somente as policiais e os bombeiros são quem mantém a ordem social e por causa deles o caos não se instala em nossa sociedade com imensas desigualdades sociais. É preciso mudar essa lógica. Os Governantes devem valorizar essa tropa que muitas vezes esquece que são humanos para garantir a segurança social, que trabalham diuturnamente, sem carga horária definida, sem condições de trabalho, superando todas as dificuldades para garantir a segurança social, enquanto os gestores militares estaduais administram o caos para garantir uma tropa obediente, honesta e dedicada.
A culpa das reivindicações dos militares estaduais é sem sombra de duvida dos Gestores Civis Estaduais que não priorizam suas forças de segurança e pagam pra ver o limite de nosso sofrimento.
Espero que ainda reste um pouco de humanidade e bom senso do Poder Judiciário e do Poder Legislativo que podem assegurar a paz social através da intervenção nesses conflitos propondo soluções legislativas a médio e em longo prazo.
As Associações têm feito sua parte, apresentando os problemas, sugerindo soluções e quando o caminho do diálogo não apresenta mais eficiência, tem-se partido para as mobilizações e interferência da opinião pública.

Nosso país será nos próximos anos vitrine para o mundo devido aos eventos esportivos em especial a COPA DE 2014 e espera-se que sejamos elogiados pela nossa SEGURANÇA e organização. Desejamos que ao iniciarmos, em 2012, uma nova fase de construção de uma sociedade com justiça e paz social, promovendo o entendimento entre os profissionais de Segurança Pública, Gestores, Governo e Sociedade.
Assim a sociedade que merecemos terá a Polícia que desejamos!

Recebido por E-mail ( originado da ACS-PMRN)

Postagens mais visitadas deste blog

Canções para TFM

DEMÔNIOS CAMUFLADOS DEMÔNIOS CAMUFLADOS VÃO SAIR DA ESCURIDÃO,
SENTINELA ENSANGUENTADO VAI ROLANDO PELO CHÃO,
E PERGUNTEM DE ONDE VENHO, VENHO DA ESCURIDÃO,
TRAGO A MORTE, O DESESPERO E A TOTAL DESTRUIÇÃO.
ARMADILHAS CAMUFLADAS, ACIONADORES DE TRAÇÃO,
QUEM VIER ATRAS DE MIM SÓ VAI OUVIR A EXPLOSÃO(CABUM)
SANGUE FRIO EM MINHAS VEIAS CONGELOU MEU CORAÇÃO
NÓS GOSTAMOS DE EXPLOSIVOS NOSSO LEMA É VIBRAÇÃO.
QUEM ÉS TU? QUEM ÉS TU?
QUE DESCE DO CÉU!
COM ASAS DE PRATA POR SOBE O BRASIL!
GUERREIRO ALADO, QUE NÃO SENTE DOR!
PARAQUEDISTA, COMANF, MERGULHADOR!
A SUA MISSÃO É DESTRUIR
A TROPA INIMIGA QUE TENTA INVADIR

CORRIDINHA MIXURUCA CORRIDINHA MIXURUCA,
QUE NÃO DÁ NEM PARA CANÇAR.
NESSE PASSO, NESSE PASSO,
VOLTA AO MUNDO EU VOU DAR.
NESSE PASSO, NESSE PASSO
TODOS JUNTOS VÃO CHEGAR.
E SE ALGUÉM NÃO AGUENTAR,
EU VOU TER QUE ARRASTAR.
E SE O ARRASTO ME MATAR, PODES CRER TU VAI FICA
VAI FICAR NA MÃO DE OUTRO – ATÉ EU ME RECUPERAR.
POIS NESSE PASSO, NESSE PASSO,
MESMO MORTO VOU TE BUSCAR.




SALTITANDO, SALTI…

Canções Militares para o TFM.

Essas canções são usadas durante o Treinamento Físico Militar nas Forças Armadas, das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares.
Demônios Camuflados Demônios camuflados vão sair da escuridão,
sentinela ensanguentado vai rolando pelo chão,
e perguntem de onde venho, venho da escuridão,
trago a morte, o desespero e a total destruição.
Armadilhas camufladas, acionadores de tração,
Quem vier atras de mim só vai ouvir a explosão(Cabum)
Sangue frio em minhas veias congelou meu coração
Nós gostamos de explosivos nosso lema é vibração.
Quem és Tu? Quem és tu?
Que desce do céu!
Com asas de prata por sobe o Brasil!
Guerreiro alado, que não sente dor!
Paraquedista, Comanf, Mergulhador!
A sua missão é destruir
A tropa inimiga que tenta invadir

Corridinha Mixuruca Corridinha mixuruca,
que não dá nem para cançar.
Nesse passo, nesse passo,
Volta ao mundo eu vou dar.
Nesse passo, nesse passo
Todos juntos vão chegar.
E se alguém não aguentar,
Eu vou ter que arrastar.
E se o arrasto me matar, podes c…

Termodinâmica

Termodinâmica