Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto 12, 2013

Proteção profissional

Coletes à prova de balas: proteção profissional

A quantidade de mortos e feridos por armas de fogo ou cortantes, utilizadas nos assaltos e roubos, tem aumentado consideravelmente, em especial as pessoas que atuam como policiais ou na vigilância privada. Parte disto é porque não estão equipados com elementos de segurança que possam protegê-los das ameaças como, por exemplo, um colete à prova de balas.  O colete é um equipamento imprescindível para qualquer agente de segurança exposto pelas condições de trabalho a disparos de armas de fogo, facadas ou golpes. Pela legislação trabalhista, o colete à prova de balas deveria ser considerado como Equipamento de Proteção Individual para todo e qualquer trabalhador da indústria, construção, lavouras, pois esses têm necessidade de utilizar equipamentos de segurança que o protejam contra os riscos da profissão. Para os operários da construção é necessária a utilização de luvas, óculos e capacetes para realizar certas atividades que colocam em ri…

Goldflex® e KEVLAR®

Sobre a matéria prima Aramida com Polietileno- Goldflex®
Os coletes "Gold Flex®" são fabricados a partir de tecnologia na combinação de materiais balísticos, desenvolvidos pela empresa Norte-Americana Honeywell. Neste produto, 4 lâminas de tecido de aramida unidirecional, são montadas em posição 0°/90° e 0°/90° e mantidas unidas por processo de "calandragem"de um filme de termo plástico em cada face. O produto permite a confecção de coletes balísticos tanto táticos, quanto dissimulados (uso vip), que apresentam excelentes resistências à penetração de projéteis, impactos inclinados e excelente redução no trauma por eles ocasionados.




Sobre a matéria prima Aramida KEVLAR® As fibras sintéticas de aramida foram desenvolvidas no final da década de 60 e lançadas comercialmente pela DuPont, anos depois, sob a marca KEVLAR®. Por sua alta resistência, cinco vezes maior que a do aço, a aramida tornou-se um material de referência na confecção de coletes balísticos. A capacidade d…

Colete Balístico

Coletes Balísticos- Informações INTRODUÇÃO

Desde os primórdios da história, o ser humano busca criar e aperfeiçoar mecanismos que o protegesse das agressões dos inimigos. Provavelmente, a primeira destas proteções a ser utilizada pelo homem tenha sido o escudo, peça esta que remonta aos homens das cavernas e que até hoje continua em processo de evolução.
Primeiramente fabricados em couro, recobertos por algum tipo de resina, e posteriormente talhados em madeira, com o desenvolvimento da metalurgia primitiva, começaram a surgir os escudos feitos em bronze e ferro, chegando aos dias atuais aqueles fabricados em plástico de alto impacto e os escudos balísticos.
No século XII armaduras, capacetes e blusas metálicas foram sendo criadas a fim de complementarem a frágil proteção oferecida pelo escudo, chegando ao ponto de uma armadura modesta de um cavaleiro medieval chegar a pesar cerca de 50 quilos, o que, por si só, implicaria na quase total imobilidade do soldado e sua condenação à morte num…

Curso de formação de Armeiro " Mecânico de armas"

Curso de formação de Armeiro " Mecânico de armas" Data : 27 ao dia 30 de Agosto de 2013

OBJETIVO:  Habilitar os alunos a fazer manutenção, corrigir falha no mecanismo, fazer reposição de peças em armas dos calibres permitidos. Visa ainda preparar o aluno para o credenciamento da PF conforme Portaria No. 2259/2011-DG/DPF.

PÚBLICO-ALVO:
Profissionais de segurança pública sendo eles : policiais civis e militares, guardas municipais, agentes penitenciários. Na segurança privada  vigilantes, agentes de escolta e segurança pessoal, monitor ou auxiliar de instrução de escolas de formação de vigilantes,  militares da ativa ou reserva das Forças Armadas , atiradores e colec

Armeiros: PORTARIA N. 2259/2011-DG

PORTARIA N. 2259/2011-DG Regulamenta o exercício da atividade de armeiro no Brasil. PORTARIA No. 2259/2011-DG/DPF, DE 10 DE MAIO DE 2011 O DIRETOR-GERAL DO DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL, no uso da atribuição que lhe é conferida pelo inciso IV do artigo 28 do Regimento Interno do DPF, aprovado pela Portaria no. 3.961, de 24 de novembro de 2009, do Excelentíssimo Senhor Ministro de Estado da Justiça, publicada na Seção 1 do DOU no. 225, de 25 de novembro de 2009, CONSIDERANDO o disposto no inciso VIII do art. 2o. da Lei no. 10.826, 22 de dezembro de 2003, que prevê competir ao SINARM cadastrar os armeiros em atividade no país, bem como conceder licença para exercer a atividade; CONSIDERANDO o disposto no art. 24 da Lei no. 10.826, de 2003, que prevê que, excetuadas as atribuições reservadas ao SINARM, compete ao Comando do Exército autorizar e fiscalizar a produção, exportação, importação, desembaraço alfandegário e o comércio de armas de fogo e demais produtos controlados; e CONSIDERANDO o…