PM reforça policiamento após tiroteio que deixou mortos em favela do Rio


Confronto entre criminosos deixou ainda pelo menos cinco feridos.
Jovem grávida atingida por uma das balas perdidas segue em estado grave.

Do G1 Rio

A Polícia Militar reforçou neste sábado (9) o patrulhamento no Morro da Coroa, no Catumbi, Centro do Rio, depois do intenso tiroteio que matou ao menos quatro pessoas e deixou outras cinco feridas. O confronto começou quando criminosos do Morro da Fallet, em Santa Teresa, tentaram invadir a comunidade na noite de quinta-feira. Os dois morros têm UPPs, mas a presença dos militares não intimidou os criminosos.
Durante todo o sábado, PMs circularam pelos acessos ao morro da Coroa. De acordo com a polícia, a Rua Itapiru, no Catumbi, foi um dos caminhos usados pelos bandidos para invadir a favela. Moradores contaram que eles usavam roupas pretas, toucas e estavam armados com fuzis. Num posto de gasolina próximo, uma das bombas de combustível foi atingida por um tiro.
Várias marcas de balas foram encontradas pelo caminho. Carros e postes de iluminação foram atingidos.Três adolescentes foram atingidos enquanto jogavam futebol. Os menores teriam sido usados como "escudos" por criminosos, segundo a polícia. Dois deles já foram liberados e um deles estava em observação, sem risco de morrer.

Vídeos gravados por moradores mostraram que foi intensa a troca de tiros. Em algumas imagens é possível ver balas traçantes no céu. Em outro vídeo, um PM aparece se protegendo dos tiros atrás de um muro.

Equipes do comando de Operações Especiais chegaram em carros blindados na comunidade. A Rua Itapiru foi fechada e os policiais avançaram em grupo.
Mortos no tiroteio
Pela manhã, três corpos foram encontrados dentro de um carro. Um deles era traficante, segundo reconheceu o próprio pai.

Segundo a polícia, dois dos quatro mortos tinham passagens pela polícia. Rodrigo da Silva e Daniel Lima. Jonathan Cardoso não tinha antecedentes criminais. A Polícia Civil ainda apura se Leonardo de Castro já tinha sido preso. Dos cinco feridos, três continuam internados.

No início da tarde, a PM apreendeu drogas no alto do morro da Coroa. Mas ninguém foi preso.
A Polícia Civil investiga se a tentativa de invasão à comunidade foi comandada por Ricardo Chaves de Castro Lima, conhecido como Fu da Mineira. Ele está foragido desde 2013 quando recebeu autorização da Justiça para deixar a prisão e visitar a família e não voltou.
Gabrielle foi baleada no peito (Foto: Reprodução / Globo)Gabrielle foi baleada (Foto: Reprodução / Globo)
Grávida em estado grave
Uma jovem grávida de cinco meses foi atingida por uma bala perdida enquanto conversava com amigas na rua, no morro vizinho, o São Carlos.  Gabriella Prazeres do Nascimento, de 22 anos, está com a bala alojada no pulmão.

Ela  está internada em estado grave no Hospital Municipal Souza Aguiar. Segundo a unidade de saúde, a bala está alojada no pulmão e ela será transferida para o CTI.

“Gabriella saiu de casa para ir para a casa da sogra, no meio do caminho, no que ela parou para conversar com uns amigos, escutou um intenso 'troca-troca' [de tiros], que já estava ocorrendo. O tiro veio e bateu na parede onde ela estava sentada. Nisso que ela levantou para sair do lugar que onde ela estava, ela foi alvejada com um tiro no peito", contou a mãe, no hospital.

Sérgio Luís Vieira da Silva, de 44 anos, também foi atingido por uma bala perdida.

Blindado da PM no entorno da Coroa (Foto: Reprodução / Globo)Blindado da PM no entorno da Coroa (Foto: Reprodução / Globo)
UPP desde 2011
Os morros da Coroa, Fallet e Fogueteiro, todos na região de Santa Teresa, têm uma Unidade de Polícia Pacificadora desde fevereiro de 2011, com sede na Rua Navarro. A Polícia Militar informou que o policiamento na região foi reforçado.

Policiais do Comando de Operações Especiais (COE) – Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) e Batalhão de Ações com Cães (BAC) – realizam operações nas comunidades Coroa, Fallet, Fogueteiro e Turano desde a noite de sexta. Agentes de outras UPPs ocupam os pontos de acesso.
Até as 11 h 30 min, uma granada e dois artefatos explosivos foram apreendidos. Ninguém foi preso. Segundo o Comando de Polícia Pacificadora (CPP), o reforço no policiamento segue por tempo indeterminado.
http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2015/05/pm-reforca-policiamento-apos-tiroteio-que-deixou-mortos-em-favela-do-rio.html