Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro 18, 2013

Criollos x Chapetones

Criollos x Chapetones Os Criollos - descendente de espanóis nascidos na América - eram a elite na época, mas ao contrário dos Chapetones - Espanhóis que vieram para a América - não tinham direito político. Por isso, foram eles que "criaram" essa grande onda de independência na América Espanhola.
http://conectadosnahistoria.blogspot.com.br/2009/08/criollos-x-chapetones.html

A independência da América Latina

Prof. Leonardo Castro
Durante o século XIX, a América Latina sob o governo da coroa da Espanha iniciou o processo de independência dos diversos territórios.

Revolução Francesa

Por Cristiana GomesPode se dizer que aRevolução Francesateve relevante papel nas bases da sociedade de uma época, além de ter sido um marco divisório da história dando início à idade contemporânea.

A Independência dos Estados Unidos

Boston Tea Party: ensaio do processo de independência dos EUA.

No século XVIII, observamos o processo de crise das monarquias absolutistas, sinalizando o fim de um período chamado pelos liberais de Antigo Regime. Combatendo os princípios religiosos, filosóficos e políticos que fundamentavam a definição de um poder centralizado e a manutenção de certas práticas feudais, as revoluções burguesas sinalizavam a criação de uma nova forma de poder estabelecido.

Revolução Industrial

Revolução Industrial
História da Revolução Industrial, pioneirismo inglês, invenções de máquinas, passagem da manufatura para a maquinofatura, a vida nas fábricas, origem dos sindicatos e principais invenções técnicas.

Interior de uma fábrica durante a Revolução Industrial

Introdução

Iluminismo

Iluminismo
Por Thais Pacievitch
Oiluminismo  foi um movimento global, ou seja, filosófico, político, social, econômico e cultural, que defendia o uso da razão como o melhor caminho para se alcançar a liberdade, a autonomia e a emancipação. O centro das idéias e pensadores Iluministas foi a cidade de Paris.

Reformas Pombalinas, Primeiras Contestações ao Sistema Colonial e Fixação de Limites entre Portugal e Espanha

Publicado em 18/06/2010 by Redação, nas categorias História e com as tags . A crise do Antigo Regime– O declínio da mineração no Brasil coincide, no plano internacional, com a crise do Antigo Regime. Fazendo um balanço de toda a exploração colonial do Brasil, chegamos à melancólica conclusão de que Portugal não foi o principal beneficiário da exploração colonial.
          Os benefícios da colonização haviam se transferido para outros centros europeus em ascensão: França e, em especial, Inglaterra. De fato, o século XVIII teve a Inglaterra como centro da política internacional e pivô das mudanças estruturais que começavam a afetar profundamente o Antigo Regime. Como nação vitoriosa na esfera econômica, a Inglaterra estava prestes a desencadear a Revolução Industrial, convertendo-se na mais avançada nação burguesa do planeta.

Antigo Regime

http://www.professorreinaldo.com.br/sitenovo/arquivos/antigo_regime.pdf
Por Antonio Gasparetto JuniorAntigo Regimerefere-se ao sistema político e social que foi estabelecido na França a partir do final da Idade Média.
As origens do Antigo Regime estão ainda no final do período Medieval, quando começaram a se formar Estados Nacionais. Na transição da Idade Média para Idade Moderna, as monarquias que se colocavam no domínio político dosnascentes Estados cooptaram a nobreza para integrar o corpo aristocrático que incluía ainda o clero. Com o estabelecimento do absolutismo se consolidou também o Antigo Regime. A França é o país que identifica o sistema com mais exatidão, até porque o termo foi cunhado justamente para simbolizar a situação política e social que ocorria na França até a Revolução Francesa. Neste país estruturou-se claramente um sistema que dividia a sociedade em três estados. O primeiro deles representava o clero, o qual tinha grande poder na época em função das crenças religi…

O comércio triangular

O comércio triangular promoveu o desenvolvimento das colônias da América do Norte.

Pacto Colonial

Por Lidiane DuarteFicou conhecida como Pacto Coloniala relação comercial entre a colônia e sua metrópole, durante a colonização daAmérica do Sul. Este pacto garantia a exclusividade dos colonizadores sobre todas as riquezas encontradas ou produzidas nas colônias.

Vale lembrar, que naAmérica do Nortese desenvolveu outro tipo de colonização. Não foi uma colonização de exploração, mas sim de povoamento. Conflitos políticos e religiosos incentivaram a imigração de ingleses para a região norte do novo Continente, no final do século XVI.

As características da política econômica mercantilista

As características da política econômica mercantilista Metalismo O metalismo era a acumulação de metais como o ouro e a prata dentro do país. Acumulavam as moedas dentro do país, pois elas indicavam riquezas, por isso evitavam que as moedas saíssem do Estado. As riquezas adquiridas com os metais eram investidas na produção agrícola, industrial e comercial, estimulando as exportações e aumentando a renda do Estado sobre os direitos alfandegários.

Reforma Protestante - Contrarreforma

Inquisição, uma das modalidades da Contrarreforma católica.

Simonia e indulgências

Simoniaé a venda de favores divinos, bençãos, cargos eclesiásticos, prosperidade material, bens espirituais, coisas sagradas, objetos ungidos, etc. em troca de dinheiro. É o ato de pagar por sacramentos e consequentemente por cargos eclesiásticos ou posições na hierarquia da igreja. Aetimologiada palavra provém deSimão Mago, personagem referido nosAtos dos Apóstolos(8, 18-19), que procurou comprar deSão Pedroo poder de transmitir pela imposição dasmãosoEspírito Santoou de efetuarmilagres.

Calvinismo

Por Ana Paula de Araújo
Calvinismo foi a doutrina protestante criada por João Calvino no século XVI, fruto de suas observações e aprofundamento na doutrina criada por Martinho Lutero.

Anglicanismo

Publicado por: Rainer Gonçalves Sousaem Reforma Protestante


Os interesses pessoais e políticos motivaram Henrique VIII a romper relações com a Igreja Católica.

Reforma Protestante - Luteranismo

Lutero, criador da primeira igreja protestante.




Considerada a primeira religião fundada durante as Reformas Protestantes, o Luteranismo foi uma religião criada em meio às questões sócio-políticas do Sacro Império Germânico. Ainda arraigado aos entraves do feudalismo, o Sacro-Império contava com um conjunto de principados que tinham mais de um terço de suas terras dominados pela Igreja Católica.

As 95 Teses de Martinho Lutero

por
Martinho Lutero
Em 31 de Outubro de 1517, Martinho Lutero afixou na porta da capela de Wittemberg 95 teses que gostaria de discutir com os teólogos católicos, as quais versavam principalmente sobre penitência, indulgências e a salvação pela fé. O evento marca o início da Reforma Protestante, de onde posteriormente veio a Igreja Presbiteriana, e representa um marco e um ponto de partida para a recuperação das sãs doutrinas. 

Reforma Religiosa

A Reforma Religiosa

Foi o movimento que rompeu a unidade do Cristianismo centrado pela Igreja de Roma. Esse movimento é parte das grandes transformações econômicas, sociais, culturais e políticas ocorridas na Europa nos séculos XV e XVI, que enfraqueceram a Igreja permitindo o surgimento de novas doutrinas religiosas. A Igreja estava em crise, a burguesia crescia em importância, o nacionalismo desenvolvia-se nos Estados modernos e o Renascimento Cultural despertava a liberdade de Crítica. O aumento populacional somado às transformações que vêm junto com esse aumento acarreta em um baque entre a Igreja e essas transformações. Os intelectuais das cidades pensam hipóteses, passam a ter idéias, problemas que antes não existiam. O termo “Igreja Católica” é posterior ao Concílio de Trento, uma forma de diferenciação perante os protestantes. Antes só existia a Cristandade.

O Mecenato

Cosmo de Médici – Importante Mecenas Do Período Renascentista

Queda da Bastilha

Por Emerson Santiagoqueda da Bastilha foi o evento decisivo para o início da Revolução Francesa de 1789. A Bastilha era uma velha fortaleza construída em 1370, utilizada pelo regime monárquico como prisão de criminosos comuns. Na regência do Cardeal Richelieu, porém, o prédio foi transformado em prisão de intelectuais e nobres, especialmente os opositores à ordem estabelecida, seja em relação à monarquia, sua política ou mesmo à religião católica, oficial no período monárquico.

Antigo Regime

Por Antonio Gasparetto Junior
Antigo Regime refere-se ao sistema político e social que foi estabelecido na França a partir do final da Idade Média.
As origens do Antigo Regime estão ainda no final do período Medieval, quando começaram a se formar Estados Nacionais. Na transição da Idade Média para Idade Moderna, as monarquias que se colocavam no domínio político dos nascentes Estados cooptaram a nobreza para integrar o corpo aristocrático que incluía ainda o clero. Com o estabelecimento do absolutismo se consolidou também o Antigo Regime. A França é o país que identifica o sistema com mais exatidão, até porque o termo foi cunhado justamente para simbolizar a situação política e social que ocorria na França até a Revolução Francesa. Neste país estruturou-se claramente um sistema que dividia a sociedade em três estados. O primeiro deles representava o clero, o qual tinha grande poder na época em função das crenças religiosas que atribuíam à Igreja a capacidade de saber e lidar com tudo. O s…

Formação dos Estados Nacionais Modernos

As monarquias nacionais centralizaram o poder político na figura de um rei.


No decorrer da Idade Média, a figura política do rei era bem distante daquela que usualmente costumamos imaginar. O poder local dos senhores feudais não se submetia a um conjunto de leis impostas pela autoridade real. Quando muito, um rei poderia ter influência política sobre os nobres que recebiam parte das terras de suas propriedades. No entanto, o reaquecimento das atividades comerciais, na Baixa idade Média, transformou a importância política dos reis.

A autoridade monárquica se estendeu por todo um território definido por limites, traços culturais e linguísticos que perfilavam a formação de um Estado Nacional. Para tanto, foi preciso superar os obstáculos impostos pelo particularismo e universalismo político que marcaram toda a Idade Média. O universalismo manifestava-se na ampla autoridade da Igreja, constituindo a posse sobre grandes extensões de terra e a imposição de leis e tributos próprios. Já o parti…

A Peste Negra e a crise feudal

Saiba mais sobre a Peste Negra As causas da Peste Negra e sua influência na população, com o professor cenecista Renant Araújo Morais



Também chamada de peste bubônica, assim ficou conhecida a pandemia que, vinda da China em navios mercantes, entre 1347 e 1350, rapidamente se espalhou para diversos países com conseqüências desastrosas, reduzindo a população européia em aproximadamente um terço (cerca de 25 milhões de pessoas).

A peste não escolhia vítimas, morriam mulheres, crianças, nobres, clérigos e camponeses. Durante este período a produção agrícola diminui muito, houve escassez de alimentos e de bens de consumo. Os efetivos militares diminuíram, a nobreza empobreceu e ocorreu a ascensão da burguesia, que detinha a exploração do comércio. Todos estes fatores provocaram grandes mudanças sociais. Devido à ignorância das pessoas naquela época, cogitava-se a possibilidade da peste ser um castigo de Deus. O causador da peste negra foi um bacilo chamado Pasturella Pestis (descoberto pos…

O movimento comunal

O movimento comunal  Durante o feudalismo, a cidade e o campo eram dominados pelo Senhor feudal. Inicialmente, as cidades eram protegidas por grandes muros, formando os burgos, que eram os centros comerciais. No entanto, com o crescimento populacional conseqüentemente o comércio aumentou e os burgos excederam os limites dos muros. Os burgueses tornaram-se os comerciantes e artesões. Cada vez mais a sociedade burguesa crescia, bem como o comércio e o artesanato.  Créditos da foto No século XI, as cidades já apresentavam poder e uma grande influência econômica, assim os burgueses começaram a lutar pela sua autonomia em relação ao feudo, surgindo assim, omovimento comunal.  Primeiramente, os senhores começaram a renunciar seus direitos mediante um pagamento, assim as cidades passavam a ser chamadas de cidades francas, que eram livres do domínio senhorial. Porém, alguns senhores não aceitaram o acordo, e então os burgueses decidiram iniciar um confronto. As cidades que sofreram com esta revol…