sábado, 9 de outubro de 2010

Conquistas ao longo do tempo

A 1º Sargento Vânia Maria Porto, 39 anos, é da primeira turma de soldados com participação de mulheres na PM. Se hoje ainda existe algum preconceito por elas seguirem a carreira policial, na época de Vânia foi ainda pior. O namorado não aceitava e o próprio pai, que era policial, não demonstrava nenhuma vontade que a filha seguisse seus passos. "Antigamente as pessoas não enxergavam bem o policial. Diziam que tinha era policial quem não sabia fazer outra coisa. Mas depois que passei no concurso meu pai me ajudou", salientou.

O setor administrativo do prédio da Companhia Feminina é atualmente seu local de trabalho. Mas Vânia recorda saudosista do tempo que era a única mulher em meio aos 75 homens da Rádio Patrulha. "No começo eles estranharam. Depois foram se acostumando. No fim, foi ótimo. Passei dois anos lá", lembra. Para ela muitas mulheres da PM ainda preferem o serviço burocrático ao trabalho ostensivo, o que acaba diminuindo o número delas nas ruas.

A comandante da Companhia Feminina, a capitão EdmeiryNeves Cassiano, 31 anos, confirma a colocação da sargento sobre as mulheres. "Tem muita mulher que está no administrativo por escolha própria. Assim que se formam todas ficam aqui, mas com o tempo vão sendo cedidas", explicou. A unidade hoje comanda cerca de 71 mulheres, sendo 50 que entram para o serviço da rua e o restante no administrativo e entram para o operacional a cada 15 dias. As demais estão distribuídas nas outras corporações, com exceção da Cavalaria e Rocam, composta estritamente por homens.

Diariamente saem da tropa feminina duas viaturas mistas, onde apenas o motorista é homem. O destino dos carros são os pontos de apoio das avenidas Roberto Freire e Afonso Pena. Também existem mais duas guarnições no presídio feminino com o colaboração de três soldados. É visível a necessidade de mais mulheres, destaca Edmeiry. "É preciso concurso. São muitas ocorrências envolvendo mulheres, que devem ser abordadas por mulheres", reforça a capitã.

A comandante acredita, baseada nas abordagens que sofre nas ruas, que existe o interesse do sexo feminino em entrar na PM, mas o que falta mesmo é a criação das vagas. A última vez que a instituição abriu espaço para formação de oficiais de ambos os sexos foi em 2005, que também foi o último edital desse tipo publicado. No ano seguinte foi lançado o concurso para soldado sem a inclusão das mulheres. "Em outros estados os concursos abrem para os dois. Não pode haver distinção de sexo", ressaltou. 


Muita força física e psicológica

Conforme explicitou a capitão Edmeiry Neves, não há nenhum processo disciplinar envolvendo uma mulher na PM. "Elas são ótimas de comportamento", aponta a comandante. A psicóloga do Corpo de Bombeiros, Fernanda Queiroz, que acompanha a corporação desde 2007, afirma que as poucas mulheres que atende são mais fortes psicologicamente e aguentam mais pressão. "Às vezes mais forte até fisicamente. Nós temos um problema grave aqui de sedentarismo com os homens, mas elas são muito preocupadas com o físico", declarou.

Fernanda enxerga com urgência a necessidade na entrada das soldados na instituição. Como forma de avaliar o comportamento dos Bombeiros na hora de um salvamento, ela já acompanhou alguns resgates. "Principalmente no setor de ambulância. Tem que rasgar roupa, tem gente que não gosta e cobra que isso seja feito por uma mulher. Já teve casos do marido não deixar a esposa receber respiração boca a boca de um bombeiro", lembra a psicóloga que espera muitas aprovações femininas no próximo concurso.

As quatromulheres bombeiros são muito bem vistas pelo tropa, principalmente, pelo oficiais com formação recente que já percebe a importância delas na unidade. Segundo Fernanda, a sensibilidade feminina pode deixar o serviço ainda mais humanizado. "Faz falta mulher aqui dentro", completa a especialista. 


Apenas quatro mulheres nos Bombeiros

Se a PM é praticamente um Clube do Bolinha, no Corpo de Bombeiros a situação é bem pior quando assunto é mulher na tropa. São cerca de 165 homens para cada mulher. Nunca houve na corporação um concurso para soldado incluindo as meninas. Há processo seletivo apenas para a formação de oficiais e o último resultou na graduação de apenas uma mulher. As demais inscritas provavelmente não conseguiram passar nas provas físicas ou não quiseram viajar para o Pará, onde acontece o curso.

A 1º Tentente Denise Maria Bezerra de Figueiredo, dona da maior patente feminina dentro do Corpo de Bombeiros, não entrou pela instituição. Ela integrou a turma de soldados PM de 2000 dois anos antes dos Bombeiros se emanciparem da Polícia Militar. Após a separação, Denise prestou concurso para o CFO e passou três anos no Pará sendo preparada para torna-se oficial. Foi a única do Rio Grande do Norte.

Hoje ela toma conta do setor de Operações e lamenta o baixo número de mulheres na unidade. "Espero que as próximas turmas sinalizem com um quadro feminino. O universo dos praças ainda é estritamente masculino", ressalta. Denise não nega que a preparação física é fundamental desde o ingresso até as atividades diárias que a bombeiro precisa atender, mas ressalta que o trabalho é de equipe e não necessita sempre de força.

Antes de ser bombeiro, ela trabalhou no setor financeiro do Natal Shopping e usa o raciocínio lógico que aprendeu nas ações da corporação. "É preciso colocar a peça certa, no lugar certo. Não tem a ver com sexo, mas sim com capacidade. Existem muitos equipamentos técnicos que não precisam de força", resumiu. Além da Tenente, integra a corporação a 2ª Tenente Leila Costa, que atua nos trabalhos externos, a Aspirante Márcia Martine e a 1º Sargento Maria Giuzonete Paulino Gomes, vinculada a secção contra Incêndios da Infraero. 


PM não limita ingresso na força






O comandante da PM, Coronel Francisco Canindé de Araújo Silva, afirmar ter completo interesse na entrada de mulheres na tropa e espera a inclusão delas no próximo concurso público. Ele confirmou que o último processo seletivo para soldado não abriu vagas para mulheres, mas não soube justificar o motivo. Araújo assumiu o comando da Polícia Militar em abril deste ano e explica que não há nenhum regimento interno que estipule número de mulheres na corporação.

Já o estado do Ceará determina que a Polícia Militar deve ter no máximo 5% de mulheres no seu efetivo e nem esse percentual foi atingido ainda. "A lei estabelece uma quantidade de vagas para mulheres", disse o comandante Araújo. Segundo o coronel, as meninas que decidirem entrar na PM podem exercer todas as funções administrativas e operacionais. "Estamos precisando principalmente na área operacional", apontou. Não há PMs do sexo feminino na Cavalaria nem na Rocam ( Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas).

Em unidades de elite como o Bope e o BPChoque, são respectivamente 1 e 3 mulheres, mas apenas uma no serviço de rua, a soldado Cláudia. A Companhia Feminina tem um efetivo total de 70, sendo 50 no trabalho ostensivo e o restante burocrático. Em conversas informais com o comandante do Corpo de Bombeiros, Coronel Carlos Kleber Lopes Barbosa, já tinha informado sobre sua vontade de abrir concurso com participação de mulheres no próximo ano. Porém, como a reportagem não conseguiu localizar o Coronel até o fechamento desta edição, não pode publicar um palavra oficial dele.

Comparativo

Bombeiros PE: 

2.360 homens 

140 mulheres 

Bombeiros RN: 

663 homens 

4 mulheres 

Polícia Militar CE: 

14.400 homens 

600 mulheres 

Polícia Militar PB: 

8.688 homens 

652 mulheres 

Polícia Militar RN: 

10.387 homens 

213 mulheres

História

A primeira turma de PMs mulheres foi formada no RN em 1990 sob o comando da tenente-coronel Angélica Fernandes Azevedo, 42, que veio de Pernambuco após três anos do curso de Formação de Oficiais. Ela é a primeira potiguar a alcançar o posto de tenente-coronel. Apesar dos avanços na participação da mulher em instituições militares potiguares, um estado pequeno do Norte deu exemplo contra o preconceito em relação ao sexo feminino. Em Rondônia, no ano de 2003, a coronel Angelina dos Santos Correia Ramires, 43 anos, assumiu o comando geral da PM e está no cargo até hoje. Ela é a única mulher do Brasil no cargo. Foi alvo de preconceito ao ser nomeada para a função pelo governador Ivo Cassol. No dia da posse, alguns não a cumprimentaram e foi necessária uma intimação do governador para que o fizessem. 

Batom na Tropa de Elite

Tropa de elite feminina
Mulheres mostram força no combate ao crime, um mundo ainda dominado quase totalmente pelos homens

Maiara Felipe // maiarafelipe.rn@dabr.com.brespecial para o Diário de Natal



Claúdia, Edmeiry, Denise, Vânia e mais 213 mulheres compõem a tropa de elite da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros no Rio Grande do Norte. Um grupo que não é exatamente elitista por combater os crimes mais perigosos, mas pode receber essa denominação porque representa uma minoria social, como diz o sentido literal da palavra elite. Atualmente a PM tem 10.487 homens e 213 mulheres, o que representa 2% da corporação. O Corpo de Bombeiros é formado por 663 homens e 4 mulheres, exatamente 0,5%. Os percentuais são menores que os dos estados vizinhos. O efetivo feminino da PM paraibana representa 6% do total da corporação, enquanto que no Ceará, 4%. Enquanto que no RN elas não atingem nem 1%, no estado de Pernambuco o efetivo feminino representa 5,6%.



A soldado Cláudia de Souza encarou treinamento com policiais do Bope carioca Foto: Fábio Cortez/DN/D.A.Press

Os comandantes das duas corporações afirmam que não há nenhum regimento interno que limite o ingresso de integrantes do sexo feminino nas tropas ou mesmo que obrigue os concursos a seremexclusivamente masculinos. Eles até prometem abrir vagas em seus quadros para as meninas. Enquanto socialmente ainda se discute o motivo de não termos mais mulheres nas ruas, a psicologia já aponta as várias vantagens mentais e até físicas de trabalhar com o sexo "frágil".

Aos 40 anos - com carinha de 30 - e avó de um menino de 1 ano, que ganhou de presente de um dos seu três filhos, a soldado Claúdia Maria Moreira Cunha de Souza, não pensa em largar a Polícia Militar tão cedo. Ela é uma das três mulheres do Batalhão da Polícia de Choque do estado, que é composto por mais 227 homens. Porém é a única que vai junto com mais três colegas trabalhar nas ruas de Natal, carregando diariamente pelo menos uma metralhadora. As duas colegas de unidade trabalham no administrativo. "Gosto é da rua. Venho trabalhar com alegria e vontade", disse Claúdia sobre seu trabalho.

Cheia de vaidade, vai para o trabalho com cabelos sempre muito bem arrumados, unha pintada, batom na cor da moda e brincos. Nem parece ser a mesma soldado que já cortou o cabelo igual ao de um homem para ser aceita no Batalhão de Operações Especiais (Bope). É que antes o batalhão operava junto com o BPChoque e tinha essa exigência. "Fiz um curso em 2004 que precisou de novo. Cortei outra vez", reafirmou. A patrulheira minimiza ter perdido os cabelos, pior foi fraturar os três dedos do pé, engessar no dia e tirar no outro sob ameaça de perder o curso.

Cláudia relata que aqui no estado nunca sofreu preconceitos por ser mulher, embora, quando integrou a Força Nacional - apenas os melhores policiais de todo Brasil fazem esse curso - e precisou treinar com o Bope do Rio de Janeiro, tenha percebido que não era bem aceita. "Só aguentaram a gente lá, porque a Força é uma instituição Federal", lembrou. Nas ruas parece que a situação é diferente. "Da forma como nós abordamos não dá muito tempo para alguém ter preconceito comigo", frisou. Na visão da soldado, o olho das ruas enxerga com admiração e aprova a coragem diária de enfrentar as situações mais adversas.

Policiais suspeitos de balear juiz serão transferidos para Bangu 8



Eles se entregaram à Justiça do Rio na noite desta sexta-feira (8).
Os dois tiveram a prisão temporária decretada por 30 dias.

Do G1 RJ

A Polícia Civil do Rio confirmou, na tarde deste sábado (9), que os dois policiais suspeitos de balear um juiz e duas crianças numa blitz, na Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, serão transferidos para o presídio Bangu 8, na Zona Oeste. Segundo a polícia, eles estão na Divisão de Anti-Sequestro (DAS) e deverão ser transferidos ainda neste sábado.

Os dois agentes se entregaram à Justiça do Rio na noite de sexta-feira (8), segundo informou o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ). Eles tiveram a prisão temporária decretada pelo juiz Fábio Uchôa.

Segundo o juiz, a prisão temporária é por 30 dias, podendo ser prorrogada por mais 30. Ao decretar a medida, Fábio Uchôa considerou que os suspeitos demonstraram a intenção de prejudicar as investigações.

Em depoimento à polícia, os agentes contaram que trocaram tiros com ocupantes de um carro escuro. A informação dos policiais foi negada pelo juiz que foi vítima do confronto e por uma outra testemunha.
O juiz Marcelo Alexandrino da Costa estava em seu carro junto com seu filho de 11 anos e a enteada, de 8, quando passou por uma blitz na Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá. Na ocasião, os três foram baleados. Segundo a Justiça, aos parentes e médicos, o magistrado teria dito que pensou estar diante de uma falsa blitz realizada por criminosos.
Os dois agentes presos são da 41ª DP (Tanque), e já estavam afastados das ruas desde o episódio. De acordo o TJ, para o juiz Fábio Uchôa, do 4º Tribunal do Júri, "os policiais têm instinto homicida e envergonham a Polícia Civil do Rio de Janeiro".
O magistrado ressaltou ainda a brutalidade com que o crime foi praticado. "Observa-se que o crime foi praticado com extrema brutalidade, onde os indiciados, com verdadeiro instinto homicida e investidos da Autoridade do Estado, envergonhando a instituição da Polícia Civil do Rio de Janeiro, que é uma das melhores do país, efetuaram diversos tiros de fuzil contra as vítimas indefesas e seus familiares, que se encontravam fugindo de uma suposta falsa blitz realizada por marginais, sem apresentar a menor chance de defesa às vítimas, que estavam de costas, nos interiores de seus respectivos automóveis, fugindo de seus algozes, sem poderem imaginar que os autores daquela brutalidade fossem justamente os representantes do Poder Público, que deveriam estar ali para zelar, proteger e dar segurança a elas”, argumentou.
Observa-se que o crime foi praticado com extrema brutalidade, onde os indiciados, com verdadeiro instinto homicida e investidos da Autoridade do Estado, envergonhando a instituição da Polícia Civil do Rio de Janeiro, que é uma das melhores do país, efetuaram diversos tiros de fuzil contra as vítimas indefesas e seus familiares"
juiz Fábio Uchôa, do 4º Tribunal do Júri
Policiais foram indiciados
Na quarta-feira (6), os policiais já tinham sido indiciados pela Corregedoria Interna da Polícia Civil do Rio por tentativa de homicídio.

Segundo a polícia, a perícia feita pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) confirmou que as balas que atingiram o juiz e sua enteada partiram do fuzil que estava com um dos agentes. A polícia ainda não sabe de onde partiu o tiro que atingiu o filho do juiz de 11 anos.

Em nota oficial, a Polícia Civil informou, ainda, que o outro policial foi indiciado porque fez disparos e sustentou a versão de uma troca de tiros com os ocupantes de um Honda civic. De acordo com os peritos, os cartuchos arrecadados no local eram dos fuzis que estavam com eles. Os policiais foram ouvidos na tarde de terça-feira (5), na Corregedoria de Polícia Civil, e negaram as acusações.

O crime aconteceu na noite de sábado (2), na Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, na pista sentido Zona Oeste. Uma testemunha, que também teve o carro atingido por balas, confirmou na 41ª DP que os tiros partiram de policiais.  Dois dias após o tiroteio, o chefe da Polícia Civil do Rio, Allan Turnowski, exonerou o delegado Fábio da Costa Ferreira do cargo de titular da 41ª DP (Tanque).

Juiz diz que 'agente público' atirou contra ele
O juiz Marcelo Alexandrino da Costa Santos escreveu uma nota confirmando que os disparos contra ele e sua família foram feitos pela polícia. No texto, ele afirma que "nada há de mais aterrador do que a imagem de um agente público, que de nós deveria cuidar, disparando arma de fogo, com a intenção de matar, contra um casal de bem e suas crianças inocentes".

No comunicado, o magistrado agradece as manifestações de solidariedade e pede que a população continue "orando" e enviando "vibrações positivas" para sua família. A nota foi divulgada a pedido do juiz pela assessoria do Hospital Pasteur, no Méier, onde o magistrado continua internado
Segundo a assessoria do hospital, o quadro de saúde do juiz é estável. Marcelo está com um dreno no pulmão, faz fisioterapia e também é atendido por psicólogoso, porque está muito abalado. O magistrado, ainda de acordo com os médicos, se recupera bem.

Já as crianças - a menina, de 8 anos, e o menino, de 11 - seguem internadas no CTI pediátrico do Hospital Cardoso Fontes, em Jacarepaguá. De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, elas respiram sem auxílio de aparelhos e não correm mais risco de vida. Segundo os médicos, os dois estão internados lado a lado, e já conversam.


Harabello Turismo sofre arrombamento durante a madrugada



Ao todo, os assaltantes levaram seis computadores e um aparelho televisor de LCD – prejuízo estimado em cerca de R$ 12 mil.

Por Melina França
 

A Harabello Turismo, localizada na avenida Afonso Pena, no Tirol, sofreu arrombamento durante a madrugada deste sábado (9). De acordo com a proprietária, Diassis Holanda, esta é a segunda ocorrência num intervalo de 20 dias. Se considerados os últimos dois meses, no entanto, o número sobe para três.

Segundo registros da segurança eletrônica da agência, dois homens quebraram o vidro utilizando paralelepípedos do calçamento da rua. Ao todo, os assaltantes levaram seis computadores e um aparelho televisor de LCD – prejuízo estimado em cerca de R$ 12 mil.

“Eles são muito rápidos. Temos segurança eletrônica, mas quando os vigias chegaram, os assaltantes já tinham ido embora”, relata Holanda. Ela estava em João Pessoa, na Paraíba, quando recebeu a ligação informando da ocorrência, que se deu por volta das 4h.

Chegando em Natal, Diassis teve de providenciar um novo vidro para a agência de turismo. Ela afirma que vai emitir Boletim de Ocorrência (BO) ainda hoje. 

Para a proprietária da Harabello, o próximo passo para incrementar a segurança é contratar segurança armada. “Não tem condições. Temos o monitoramento eletrônico e iluminação 24h, mas não está resolvendo”.


'Foi um show de horrores', diz PM envolvido em perseguição em SP

Sargento foi prensado entre ônibus e carro do criminoso.
Apesar do susto, ele não se feriu; um colega dele foi atropelado.

Marcelo Mora Do G1 SP
O sargento da Polícia Militar Marcelo Aparecido Ferreiro escapou por pouco de ser atropelado pelo criminoso que causou uma confusão no trânsito durante perseguição na tarde desta sexta-feira (8) em São Paulo. "Foi um show de horrores", resumiu o PM, que faz parte das Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam).
O criminoso saiu do Centro da cidade em fuga após ser abordado por PMs. No trajeto, segundo Ferreiro, ele passou "por calçadas, sinais vermelhos" e guiou na contramão.
O suspeito bateu em carros e atropelou pelo menos três motos das Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam) já na Zona Oeste de São Paulo. O homem foi preso. A perseguição provocou pânico entre motoristas, que tentaram sair dos carros e correr. Duas pessoas ficaram feridas: um policial e o suspeito.
Os policiais perseguiram o carro do suspeito pouco antes das 18h. O criminoso encontrou um congestionamento e tentou abrir passagem, acelerando o carro e atingindo o veículo da frente. Depois, ele deu ré, colidindo com motos da Polícia Militar e outros dez veículos. Os policiais atiraram contra o suspeito e ao menos dois tiros atingiram o automóvel em fuga.
O sargento Ferreiro foi prensado entre um ônibus e o carro do criminoso no momento em que o suspeito deu marcha a ré, atropelando os policiais. "Quando ele deu ré, pensei que ia ter uma fratura exposta ou morrer."
Sargento da PM 
Sargento que ficou prensado entre ônibus e carro
de criminoso (Foto: Marcelo Mora/G1)
"Em 16 anos de polícia, foi a primeira vez que vi isso. Mesmo com vários carros da polícia entrando na frente, ele foi abrindo caminho. Foi muito ousado", disse Ferreiro.
O major Marcel Soffner, porta-voz da Polícia Militar, informou que o carro foi roubado na região central. Os policiais suspeitaram do homem, tentaram uma abordagem e iniciaram a perseguição. O suspeito preso tem passagem por furto, roubo e receptação, segundo a PM. Ele levou um tiro na mão.
"A informação que nós temos é que ele era procurado pela polícia e havia roubado o carro recentemente", disse o delegado Marco Aurélio Batista, do 23º DP.
AlexandreAlexandre Félix disse que segurou o freio (Foto:
Marcelo Mora/G1)
'Impedi a fuga'
O microempresário Alexandre Félix de Oliveira, de 32 anos, estava com o filho de 8 anos em um dos carros atingidos pelo suspeito em fuga. Ele contou que esperava o semáforo abrir quando percebeu a aproximação do carro em alta velocidade. “Eu segurei no freio, creio que impedi a fuga dele”, disse Oliveira.
Quando os policiais começaram a atirar no automóvel em fuga, ele disse que se jogou em cima do filho para protegê-lo. Um policial percebeu que havia uma criança em um dos carros e gritou para que cessassem o tiroteio. Nesse momento, o microempresário desceu do carro com o menino e correu. “Foi bastante rápido, não deu nem tempo de pensar que podia morrer”, contou. “Espero não passar por isso novamente nunca mais.”
O criminoso atingiu, no total, dez veículos: um ônibus da Viação Gato Preto, um Renault, um Siena, um Citröen C3, um ônibus de fretamento, uma Fiorino, um Pajero, um Corsa, uma Montana e um Corolla.
Estudante que teve carro atingido por criminoso 
Estudante que teve carro atingido por
criminoso (Foto: Marcelo Mora/G1)
A estudante e auditora Érica Leung Kuan, de 19 anos, estava nesse último carro, um dos mais danificados. O carro com o suspeito colidiu com o automóvel dela no momento que tentava fugir de ré. O tiroteio aconteceu a poucos metros do carro dela. “Foi tudo muito rápido e não consegui fazer nada, fiquei dentro do carro olhando. Eu nunca tinha presenciado uma cena de violência na vida e a gente fica um pouco assustada”, contou.
De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a Avenida Auro Soares de Moura Andrade, perto da Avenida Francisco Matarrazzo, continuava interditada por volta das 20h30, para a realização de perícia no local.
Carro que era dirigido por criminoso 
Carro que era dirigido por criminoso (Foto: Marcelo Mora/G1)

Falso PM rouba carro de ator em Irajá

Segundo vítima, criminoso estava armado e usava farda da Polícia Militar.
Crime aconteceu próximo a uma das saídas da Rodovia Presidente Dutra.

Rodrigo Vianna Do G1 RJ
Um ator foi assaltado na noite desta sexta-feira (8) por um criminoso que se passava por um policial militar, em Irajá, no subúrbio do Rio de Janeiro. Segundo a polícia, Renato Martins passava de carro pela Rua Hannibal Porto, quando foi parado por um homem de moto, com a farda da Polícia Militar, próximo à saída da Rodovia Presidente Dutra.
O ator e empresário Renato Martins contou que seguia para a casa da mãe, em Irajá, quando foi parado logo após o Trevo das Margaridas. De acordo com o ator, no primeiro momento, ele pensou que se tratava de uma abordagem policial porque o suspeito usava a farda da PM, estava armado com uma pistola e chegou numa moto semelhante ao modelo usado pela corporação.

“O cara (suspeito) sinalizou e eu parei. Eu fiz todos os procedimentos normais. Ele saltou da moto com a arma na mão, mas não apontou para mim. Mas eu estranhei logo porque ele pediu para eu sair do veiculo. Então eu estranhei que ele usava um tênis claro e percebi que se tratava de um assalto”, contou Renato.

De acordo com a vítima, logo depois, três homens em duas motos pararam ao lado do seu veículo. Dois deles estavam encapuzados e fortemente armados com fuzis e metralhadora. Um assaltante entrou no carro do ator sem dizer nada e fugiu. Os comparsas deixaram o local em seguida.

“Eu fiquei com medo. Logo após fugirem com o meu carro, o falso PM mandou eu fugir. Ele subiu na moto e disse: ‘rala, rala’. Eu peguei o primeiro táxi que passou e fui direto para a delegacia. Só depois que eu percebi que havia uma cabine da PM ali perto e eu poderia ter pedido socorro lá, mas a gente não pensa muito nessas horas”, completou.

O caso foi registrado na 38ª DP (Brás de Pina). De acordo com a polícia, uma equipe fez buscas na região, mas não conseguiu localizar os criminosos. Renato Martins disse que não teve os documentos e dinheiro roubados porque a carteira estava no bolso de sua calça. Ele já está em casa e passa bem.
Arrastão na DutraO Rio de Janeiro sofreu mais um arrastão na noite desta sexta-feira (8). As informações foram confirmadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Segundo a PRF, pelo menos dois homens armados aproveitaram o engarrafamento na Rodovia Presidente Dutra, na altura do bairro Jardim América, no subúrbio da cidade, e roubaram dois carros. Um homem ficou ferido.
O crime aconteceu por volta das 20h, na pista sentido São Paulo. A PRF contou, ainda, que os criminosos teriam chegado a pé ao local e renderam um motorista. A vítima teria se assustado com a ação e não teria conseguido soltar o cinto de segurança. Os assaltantes, ainda de acordo com a PRF, teriam se irritado e atiraram contra o motorista.
Agentes da Polícia Rodoviária Federal do posto da Pavuna informaram, ainda, que os criminosos roubaram outros dois carros na fuga. O veículo do motorista baleado não foi levado pelos assaltantes. De acordo com a PRF, os suspeitos seriam da Favela do Dique, no Jardim América.
A vítima foi socorrida no Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. De acordo com a assessoria do hospital, o motorista foi baleado no pescoço e passará por uma cirurgia. O seu estado de saúde é considerado grave. Não há registro de outras vítimas. A PRF confirmou que os tiros partiram dos criminosos.

O caso foi registrado na 38ª DP (Irajá). De acordo com os agentes, até as 22h desta sexta-feira, apenas um motorista tinha registrado o roubo de seu veículo da rodovia. A PRF informou que reforçou o patrulhamento não só na Rodovia Presidente Dutra, mas também na Rodovia Niterói-Manilha (BR-101) e na Ponte Rio-Niterói, por causa da saída do feriadão de Nossa Senhora Aparecida.
Helicópteros ajudarão a combater assaltosNa quinta-feira (7), uma reunião no comando da Polícia Militar decidiu que helicópteros ajudarão no combate aos assaltos nas ruas do Rio de Janeiro. Segundo a PM, o patrulhamento será concentrado nas áreas onde há maior incidência de ataques dos criminosos.
Em nota oficial, a PM informou que a “estratégia baseia-se na prevenção/ repressão, através do mapeamento das áreas em que tal atividade criminosa vem acontecendo”. Além do patrulhamento aéreo, a polícia informou que vai reforçar a segurança em terra, com o uso de motocicletas e viaturas.
A Polícia Militar anunciou, na quinta-feira, a troca de comandantes de 19 batalhões e unidades da corporação no estado. As mudanças acontecem depois da onda de arrastões na cidade. Duas alterações – publicadas em boletins internos da PM antes das eleições – ocorrem nesta sexta.

Segundo o relações públicas da PM, coronel Henrique Lima Castro, a expectativa da PM é que em 2011 pelo menos mais seis mil novos policiais estejam nas ruas. No próximo dia 15, 1,3 mil homens serão formados pela corporação. Ele negou que a instalação das Unidades de Polícia Pacificadora esteja prejudicando o policiamento. “Não está tendo, em função da UPP, diminuição de policiamento na rua”, afirmou o coronel.
Dez assaltos em menos de duas semanasPelo menos dez assaltos com as mesmas características foram cometidos desde o dia 27 de setembro em vários bairros do Rio de Janeiro e na Baixada Fluminense. O policiamento foi reforçado na Rua Mundo Novo, que liga os bairros de Botafogo e Laranjeiras, na Zona Sul. O local foi cenário para mais um arrastão na cidade, na noite de quarta-feira (6).

Além do assalto na Rua Mundo Novo, na terça-feira (5), um pedreiro foi assaltado quando chegava ao trabalho, por volta das 6h30, quase em frente ao Palácio Guanabara, também em Botafogo, na Zona Sul. Segundo a vítima, um carro parou na sua frente e dois homens armados saltaram. Um deles assaltou uma pedestre que passava na calçada.
Na manhã de quarta (6), seis vítimas do arrastão ocorrido no Elevado Paulo de Frontin, no Rio Comprido, Zona Norte, registraram queixa na 6ª DP (Cidade Nova). Segundo as vítimas, um Peugeot foi roubado na Rua São Francisco Xavier, na Tijuca, na Zona Norte, por volta das 6h40. Duas pessoas estavam dentro do primeiro carro roubado. Cerca de uma hora depois, quatro criminosos, no carro roubado na Tijuca, bloquearam o trânsito no Elevado, no sentido Centro e fizeram mais roubos. O arrastão ocorrido nesta manhã é o segundo no mesmo local em menos de 12 horas. Na noite anterior, um arrastão ocorreu na mesma via.
À tarde, numa operação da Polícia Civil no Morro da Mangueira, na Zona Norte, para recuperar um carro roubado usado no arrastão, o menino Matheus Peres Viana, de 13 anos, foi baleado e morreu. Além dele, outras duas pessoas foram atingidas por tiros. Segundo a Polícia Civil, as duas vítimas são moradores da comunidade.


http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2010/10/falso-pm-rouba-carro-de-ator-em-iraja.html

Polícia Militar apreende 25 quilos de maconha na Zona Norte

Em uma operação na manhã deste sábado (9), por volta das 9h, três viaturas do 4º Batalhão da Polícia Militar apreendeu 25 quilos de maconha na comunidade do Alto da Torre, à margem direita do Rio Potengi, na Zona Norte de Natal. Na operação foram presos Alexsandro de Oliveira Vicente, de 23 anos, João Batista Luiz da Silva, de 34 anos e ainda Flaviele dos Santos Soares. Com eles também foram encontrados 13 carregadores de celular, que a polícia supõe que sejam roubados, além de três celulares.
Junior SantosAlexsandro de Oliveira é apontado pela polícia como um responsáveis pelo porte da drogaAlexsandro de Oliveira é apontado pela polícia como um responsáveis pelo porte da droga

Os três estão sendo autuados em flagrante neste momento na Delegacia de Plantão da Zona Norte pelo delegado Jorge Lobo. A viatura 433 e mais os veículos de oficias civis 07 e 08 estão se deslocando novamente para o alto da terra por exister denúncias de existência de drogas em outra casa.
Junior SantosPolícia Militar apreendeu 25 quilos de maconha no Alto da Torre, Zona Norte de Natal 
Polícia Militar apreendeu 25 quilos de maconha no Alto da Torre, Zona Norte de Natal
 
 
http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/policia-militar-apreende-25-quilos-de-maconha-na-zona-norte/162099

Estudantes se manifestam contra violência na Zona Norte




Se a violência vai diminuir, isso ninguém sabe, mas centenas de alunos de escolas públicas da zona Norte de Natal caminharam ontem à tarde  pelas ruas da região com o objetivo de tentar conscientizar a população de que cada um tem que dar a sua contribuição para ajudar a conter os índices de violência no Estado. Pelo menos dois mil alunos de seis escolas públicas caminharam por várias  ruas da zona Norte da cidade. A ação começou há sete anos quando uma aluna de apenas dez anos da Escola Municipal Iapssara Aguiar, localizada no conjunto Panatis III foi estuprada e assassinada por um vizinho. Comovidos com a morte prematura da estudante Sheila Beatriz, alunos da escola com o apoio da ex-diretora  Ednice Peixoto foram às ruas protestar contra a violência. Depois disso ninguém mais parou. Todos os anos diretores das escolas, professores e alunos se unem para  protestar contra qualquer tipo de violência, como por exemplo, a violência doméstica.

Rodrigo SenaPelo menos dois mil alunos participaram da manifestação
Pelo menos dois mil alunos participaram da manifestação















Além da Iapssara Aguiar, participaram este ano, as seguintes unidades de ensino: Escola Estadual Josino Macedo e as municipais, Palmeira de Souza, Malvina Cosme, Ferreira Itajuba e  Waldson Pinheiro.  

De acordo com informações de Raimundo Nonato Bezerra diretor da escola Iapssara Aguiar durante toda a semana os estudantes fizeram trabalhos nas salas de aula voltados para o tema  - violência. “Foram confeccionados cartazes e faixas. Eles (alunos) ficam envolvidos durante toda a semana. Podemos não sentir mudanças profundas, mas estamos tentando”, enfatizou o diretor. 

Nonato disse ainda que a comunidade que abrange a escola Iapssara Aguiar, em Pajuçara é altamente violenta. “Os números de homicídios cresceram, assim como os de furto, assaltos. Estivemos na delegacia e comprovamos isso”, detalhou. Com apenas 12 anos, Rita de Cássia Cordeiro era uma das centenas de estudantes que participou da movimentação. Segurando uma faixa, ela disse que acha de extrema importância  a união dos alunos na tentativa de combater a violência.

Vanderson José da Silva é coordenador da banda escolar que tocou durante o ato.