quarta-feira, 7 de abril de 2010

Cintos de Segurança – Curiosidades

Em: Curiosidades, Trânsito
Coluna do Leitor















Usado pela primeira vez na corrida Paris-Marseille em 1896, patenteado pelo francês Gustave Dèsirè Lebeau, o cinto de segurança dos veículos automotores tornou-se popular e admirado pela maioria da população. Ele protege com eficácia os ocupantes dos veículos em caso de acidente, pois evita que choquem contra as superfícies duras do interior do veículo e que sejam arremessados para fora.
Alguns dados para refletir sobre o assunto:
- Em média 75% das pessoas projetadas para fora do veículo, morrem;
- O risco de morte é seis vezes maior para os que não usam o cinto, comparado com os que usam (Fonte: PHTLS – PIT);
- Conforme o divulgado pela Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), num choque a 50 km/h, o choque imposto a uma criança solta dentro do veículo equivale ao de uma queda do terceiro andar de um prédio;
- Aproximadamente 84% dos acidentes ocorrem numa distância bem próxima da casa do acidentado, portanto devemos utilizá-lo sempre;
- O não uso do cinto no banco de trás aumenta em cinco vezes o risco de vida dos ocupantes dos bancos dianteiros.
Alguns mitos sobre o assunto:
- “O cinto é perigoso nos casos de acidente em que ocorre incêndio ou quando o veículo cai na água”; este mito não tem sustentação científica, pois ocorre incêndio ou submersão em 0,04% dos acidentes de trânsito e mesmo neles é importante o uso, pois diminui a possibilidade dos ocupantes de veículo perder a consciência, o que é importantíssimo para sair do veículo;
- “O cinto pode prejudicar as gestantes”; não é verdade, pois a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET), orienta que as gestantes utilizem o cinto colocando a faixa abdominal o mais baixo possível no abdômen (“barriga”);
- “No banco traseiro não é obrigatório o cinto”; mais um equívoco, ele é obrigatório e evita que o passageiro seja projetado sobre os ocupantes dos bancos dianteiros ou para fora do veículo, imagine um adulto chocando-se, cabeça com cabeça, com outro passageiro, alguém sobreviverá?
- “O cinto pode enforcar”, outro erro, pois se usado corretamente com a folga máxima de dois centímetros entre o corpo e a faixa e com o encosto na vertical não haverá enforcamento – o banco original que tem uma elevação na frente, ajuda a evitar que o corpo deslize para frente por baixo do cinto, no caso de colisão frontal.
O cinto deve receber manutenção e cuidados assim como todos os acessórios e componentes do veículo (Fonte: Denatran). O uso é obrigatório na maioria esmagadora dos países do mundo, por exemplo, o Códice della Strada, o Código de Trânsito italiano, no seu art. 172, prevê a obrigatoriedade e estabelece para o descumprimento até € 285,10 (R$ 845,10) , de multa, mais cinco pontos na carteira de habilitação, patente, em italiano.
No Brasil, o art. 65 do Código de Trânsito Brasileiro – CTB, aprovado pela Lei 9503/97, obriga o uso a todos os ocupantes dos veículos; o descumprimento acarreta em multa do tipo grave (R$ 127,69), o cômputo de cinco pontos no prontuário do condutor e retenção do veículo até a regularização, previstos no art. 167 do CTB.
Use em ônibus, veículos escolares, em automóveis, caminhões e em todos os veículos, é fácil e protege muito. Melhor do que usar o cinto apenas com o objetivo de não ser penalizado com multa e pontos, é usá-lo para proteger a própria vida e as dos demais ocupantes do veículo.
*Lauro Cesar Pedot é 1° sargento da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, comandante do Grupamento Rodoviário da Brigada Militar sediado no município de Coxilha, RS.

Fonte: Abordagem Policial

Especial Armas de Fogo – O Calibre


 Em: Armas de Fogo
Caros leitores do Especial Armas de Fogo, hoje vamos falar de um assunto que gera muita confusão entre alunos e amadores (ou profissionais distraídos) no mundo das armas de fogo: o calibre. Sim, pois quem em algum momento nunca se perguntou o que querem dizer quando especificam que uma arma tem o calibre “.40″ ou “.380″, “7,62″? Já ouvi policiais com muitos anos de serviço afirmarem que o calibre de uma pistola .380 é a mesma coisa que o calibre do revólver .38. Acreditem!
Mas, como sempre ouvi na escola, devemos ter vergonha de errar, não de perguntar – principalmente quando se trata de arma de fogo, onde um erro pode ser fatal. Por isso, vamos responder às perguntas: o que é calibre? Qual a diferença entre eles? Vamos lá…

Calibre – Real e Nominal

Primeiro é preciso ressaltar que a palavra “calibre” não se refere apenas a armas de fogo, pois ela pode ser descrita apenas como o “diâmetro de um tubo”, qualquer que seja ele. Como todas as armas de fogo possuem um cano (tubo), uns mais longos outros mais curtos, para direcionar a trajetória do projétil, usa-se o termo para denominar a “grossura” do cano da arma. Mas aqui entram dois conceitos fundamentais, que irão desembaralhar a cabeça dos confusos no assunto: calibre real e calibre nominal.
Calibre Real - É a medida exata do interior do cano de uma arma. Geralmente, apesar de sua fidelidade métrica, não dá nome a armas e munições. O calibre real costuma ser expresso em milímetros ou em frações de polegadas;
Calibre Nominal - É o calibre que serve para designar as munições e armas, e geralmente não correspondem ao calibre real delas.
Para entender definitivamente, podemos dizer que o calibre nominal é um “apelido” utilizado apenas para denominar uma arma de fogo. Já o calibre real, é a medida matemática do diâmetro do cano da arma. Obviamente, ambas podem até se confundir, a depender de como as armas são chamadas em cada localidade.

Qual diâmetro?

Há ainda outra complicação. Quando estamos falando de armas de alma raiada (sulcos no interior do cano), temos dois tipos de diâmetro a levar em consideração: o “entre cheios”, levando em conta o cano como se não estivesse raiado, e o “entre raias”, tendo como extremidades do diâmetro as raias do cano.
Aqui cabe uma nota interessante: você sabia que os projéteis têm EXATAMENTE o diâmetro do calibre “entre raias”? Sim… Assim, o projétil passará apertado pelo cano, sofrendo fissuras e forçando seu movimento de rotação em torno de si.

O Calibre das armas policiais

Creio que agora já podemos tratar o assunto de modo mais prático verificando os calibres reais e nominais das armas mais usadas no âmbito das polícias brasileiras. Vejam a tabela:
Naturalmente, este post é apenas uma introdução ao tema, já que várias exceções e detalhes existem na denominação dos calibres – que basicamente servem para identificar as armas de fogo. Além disso, lembremos que o diâmetro do projétil, ou o calibre real, apenas, não é suficiente para tornar uma arma mais ou menos letal. É importante observarmos que as características gerais de um armamento são melhor definidas quando sabemos seu calibre nominal, que carrega em seu conceito as peculiaridades de cada arma. Espero que os esclarecimentos tenham sido úteis… Até a próxima!
Especial Armas de FogoO Especial Armas de Fogo é uma série de posts publicados
sempre nas terças-feiras
, tratando do mundo das armas de fogo e do tiro policial. Caso você tenha sugestões, mande um email para abordagempolicial@gmail.com



Fonte: Abordagem Policial

Veículo suspeito “furou” blitz, atira? Não.


  Em: Jurídicos, Trânsito, Técnica
Muitos policiais carregam consigo um valoroso senso de vibração, responsabilidade e compromisso representado na vontade de lograr êxito em suas diligências, desejando prender a qualquer custo um criminoso. É louvável essa vontade de não deixar escapar o infrator e levá-lo às autoridades que o encaminharão às barras do tribunal; o que não se pode tolerar é que tanta boa vontade se transforme em tragédia, no cometimento de atos cuja responsabilização recaia sobre o policial que, bem intencionado, no afã de fazer justiça, não mensurou devidamente os riscos e a legalidade de suas ações.
Sem remeter necessariamente a qualquer ocorrência específica, afinal avaliar uma alteração à distância é algo extremamente passível a incidir em erro, é importante lembrar que, no tocante a disparos de arma de fogo, essa medida extrema deve ser usada para salvaguardar vidas que estejam em risco iminente, e jamais para meramente impedir fugas.
Em seu artigo 210, o Código de Trânsito Brasileiro estabelece:
Art. 210. Transpor, sem autorização, bloqueio viário policial:
Infração - gravíssima;
Penalidade - multa, apreensão do veículo e suspensão do direito de dirigir;
Medida administrativa - remoção do veículo e recolhimento do documento de habilitação.
Percebe-se nítida intenção do legislador em evidenciar a gravidade de tal conduta, imputando sanções severas, mas isso não a torna um crime, tampouco é justificativa para aplicação de pena capital ou alegação suficiente para a realização de disparos que venham a atingir os envolvidos.
Se os ocupantes investirem de modo letal contra a guarnição, reaja à altura; contudo, se apenas tentam evadir evitando submeter-se à fiscalização, não dispare contra o condutor ou os passageiros buscando pará-los, inevitavelmente tal procedimento acarretará em apurações que possivelmente resultarão em punições nada desejáveis. Se houver condições de alcançá-los com segurança e finalmente descobrir o real motivo da fuga, que pode ser desde a simples dúvida sobre a intenção dos policiais, a falta ou atraso de algum documento, como também o porte de armas, drogas ou a flagrância de crimes graves, parabéns a todos, agiram conforme se espera sem desviar-se dos caminhos da legalidade.
Em certos momentos, é forçoso impor um freio ao ethos caçador e saber suportar, sob intenso stress, que uma possível presa escapou das garras dos guardiões da sociedade – a fera será derrotada futuramente; isso com certeza é menos traumatizante do que o cometimento de uma injustiça e que as consequências morais e legais que tal conduta pode ensejar.

Fonte: Abordagem Policial

Coronel Araújo recebe comando da Polícia Militar

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O coronel Francisco Canindé de Araújo Silva, 46 recebeu, oficialmente, na tarde de ontem o Comando Geral da Polícia Militar. Em uma solenidade realizada no quartel da PM, no bairro do Tirol, participaram, o governador Iberê Ferreira de Souza (PSB), a alta cúpula da polícia e vários políticos.

O homem forte da PM, enfatizou que quer o policial na rua, ao lado da população. “Vamos enxugar a área administrativa. O PM tem que estar junto da sociedade. Quero mostrar trabalho, serenidade e ostensividade.”, afirmou Araújo. Marcondes Pinheiro que esteve à frente da corporação durante cinco anos disse que deixa o comando com o dever cumprido. “A Segurança Pública não se resolve em cinco, seis ou dez anos. É necessário o apoio da sociedade. Uma integridade entre todos os envolvidos”.

O Cel. Araújo afirmou que PMs à disposição em outros órgãos serão convocados para permanecer no quartel e realizar trabalho ostensivo. “Conclamo a todos os soldados, desde os mais jovens até os mais antigos coronéis, a se engajarem em benefício da sociedade. Por isso estamos prontos para trabalhar”, frisou

Outra ação idealizada será a divisão do interior em regiões, de modo que a polícia seja interiorizada e esteja presente em todas as cidades do RN, “fazendo um remanejamento de policiais para que eles sejam vistos pela sociedade”, apontou.

Às 17h10 da tarde, Araújo recebeu a passagem de comando presidida pelo governador Iberê Ferreira de Souza. Como simbolo do comando - a espada – arma que representa a Polícia Militar.

A revista à tropa ocorreu às 17h20. Durante o evento, o helicóptero Potiguar I, da Secretária de Segurança Pública e Defesa Social sobrevoou o quartel da PM. Iberê explicou que a principal recomendação é que os policiais que estão em desvio de função sejam devolvidos para fazer o policiamento ostensivo. “É a operacionalização. A polícia nas ruas”

Já o novo secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Cristóvam Praxedes explicou que terá como meta combater o tráfico de drogas no Estado e diminuir a criminalidade. “Queremos que haja queda no número de homicídios no RN. O efetivo deve estar nas ruas”.

Hoje, às 9h, no Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), no quartel da PM o governador Iberê irá divulgar o novo pacote de medidas para a área da Segurança no Estado. Além dele, estarão presentes o secretário de Segurança Pública Cristóvam Praxedes e o comandante Francisco Araújo.

Fonte: tribunadonorte

Pacote de medidas para a segurança será anunciado hoje

Governador Iberê Ferreira faz anúncio às 9h, no Centro Integrado de Operações de Segurança Pública.

Por Redação

O anúncio será feito às 9h, no Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp). O novo secretário Critóvam Praxedes e o novo comandante da PM, coronel Araújo Silva, estarão presentes no evento, bem como os representantes da Polícia Civil.

Desde que assumiu o governo no último dia 31 de março, Iberê Ferreira apontou a segurança como uma das prioridades do Governo do Estado. “Combateremos principalmente o tráfico de drogas, responsável por 85% dos crimes”, destaca o governador.
 
Fonte: nominuto