terça-feira, 30 de novembro de 2010

Mais de 500 armas e peças são encontradas em prédio de BH


Entre as peças, há 118 revólveres de diferentes modelos.
Objetos foram encaminhados ao Instituto de Criminalística da Polícia Civil.

Do G1 MG

 A Superintendência de Imprensa do Governo de Minas Gerais divulgou, na tarde desta terça-feira (30), que 527 armas e fragmentos foram encontrados durante restauração de um prédio tombado pelo patrimônio estadual na Praça da Liberdade, na Savassi, região centro-sul de Belo Horizonte. Os objetos estavam enterrados no pátio central do antigo edifício da Secretaria de Defesa Social. Todas as peças estavam oxidadas.

De acordo com a assessoria do governo, a obra foi paralisada para trabalho da perícia. O prédio está sendo restaurado para integrar circuito cultural, que inclui outras construções no entorno da Praça da Liberdade.

A assessoria do governo informou que entre as peças há 118 revólveres de diferentes modelos, 164 garruchas e fragmentos, 77 armas brancas e estilhaços, 29 pistolas, 70 pedaços de punhais e 68 de revólveres e uma lâmina de foice. Os objetos passaram por uma avaliação preliminar feita por dois peritos da Polícia Civil, uma arquiteta e um engenheiro civil do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha).

As armas e fragmentos vão ser encaminhados para o Instituto de Criminalística da Polícia Civil para perícia. Segundo o secretário-adjunto de Cultura, Estévão Fiuza, o laudo vai ficar pronto em aproximadamente dois meses. O período de fabricação das armas ainda não foi identificado.


PPMM teriam recebido ouro para deixar traficante escapar, diz morador


Corregedor da Secretaria de Segurança do Rio diz que vai apurar denúncia.
Polícia Civil nega envolvimento de funcionários em construção de túnel. 

Do G1 RJ , com informações do Jornal Nacional

Policiais militares teriam recebido mais de 70 kg de ouro para deixar os principais traficantes do Conjunto de Favelas do Alemão escaparem antes da invasão de domingo (28). A denúncia foi feita por um morador do local.
De acordo com o corregedor da Secretaria de Segurança Pública, Giuseppe Vitagliano, a denúncia será investigada. “A denúncia ainda está um pouco vaga, mas nós já iniciamos a apuração. Procuramos reunir provas para punir os autores ou autor do desvio de conduta”, disse.
Moradores também contaram à polícia que bandidos fugiram por uma rede de esgotos em obras. Segundo a denúncia, os traficantes teriam obrigado operários a construir túneis.
O chefe da Polícia Civil, Allan Turnowski, nega que haja qualquer investigação que aponte o envolvimento de funcionários do estado com a construção de túneis. “Isso não existe. Não há participação de funcionários, não há qualquer escuta telefônica e não há qualquer investigação que aponte isso”, afirmou.


Facções trocam tiros dentro de cemitério de mossoro


Facções rivais se confrontaram ontem à tarde dentro do Cemitério São Sebastião, centro da cidade. O tiroteio aconteceu por volta das 16h15, quando parentes e amigos de um homem identificado como Daniel Félix da Silva, 20 anos, assassinado no sábado à noite, esperavam a chegada do corpo para o sepultamento.
Segundo informações da polícia, os inimigos da facção a qual o morto pertencia foram surpreendidos por quatro elementos encapuzados que abriram foco em meio aos túmulos. Houve revide do grupo emboscado, o que fez muita gente sair correndo do cemitério. Uma garota que estava  nas proximidades foi atingida no ombro por uma bala perdida.
Após o tiroteio, os homens encapuzados fugiram em um Gol preto, de placa ignorada, enquanto os outros envolvidos saíram correndo pelas ruas do centro, sendo perseguidos e presos pelo Esquadrão Águia do 2º DPRE, na rua Frei Miguelinho.
De acordo com os soldados Magno e Robson, no momento da prisão dois componentes estavam armados de revólveres calibre 38.
Levados à 2ª Delegacia do bairro Nova Betânia, o trio foi identificado como sendo dois adultos e um menor de 16 anos. "Os revólveres apreendidos, um estava com o menor e o outro com José Wilton de Oliveira Lopes, 18 anos, que foi autuado por porte ilegal de arma", explicou o policial.
O delegado Rubério Pinto, titular da 2ª DP, disse que apenas José Wilton foi autuado, devido ter sido pego com a arma. Já o outro adulto identificado como Robson Alves Moura, 18 anos, foi liberado após ter sido ouvido. "O menor vai ser encaminhado à Delegacia Especializada no Atendimento ao Menor Infrator (DEA)", concluiu.
Jovem assassinado a tiros no conjunto Santa Helena 
Tiroteio na tarde do último domingo, no conjunto Santa Helena, em Mossoró, resultou na morte do jovem Daniel Félix da Silva, 20 anos, que residia no bairro Santo Antônio. 
O jovem ainda foi socorrido para uma unidade de saúde, mas não resistiu. 
De acordo com a polícia, Daniel estava em um bar, na avenida Alberto Maranhão, quando dois elementos em uma motocicleta Traxx, de cor preta, se aproximaram e efetuaram vários disparos. A vítima foi ferida no pescoço.
Populares relatam que Daniel era acusado de envolvimento em três homicídios e já tinha passagem pela polícia.
O corpo do jovem foi removido pelo Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep) para ser necropsiado.


Jornal o mossoroense

Policia prendeu acusado de estupro em Currais Novos

Policia prendeu acusado de estupro em Currais Novos


Por Sd PM J. Júnior - Fonte: batebola95.blogspot.com

Nesta segunda-feira (29), foi preso através de um mandado de prisão, Franscisco Canindé Ferreira, mais conhecido como Kiki, de 36 anos, soldador, natural de São José de Mipibú, acusado de estuprar uma menor de 12 anos. A menor é enteada do acusado, que ainda responderá por atos libidinosos contra outra irmã da vítima.

Segundo laudos médicos, a menor foi vítima sim de estupro. Cabe agora, ao acusado, provar a justiça que não cometeu esse crime. Ele alega que pessoas estão armando contra ele.

O acusado foi conduzido para o Centro de Detenção Provisória, em Currais Novos, onde ficará preso aguardando o posicionamento da Justiça.

Um duro golpe nas finanças do tráfico no Alemão

COMBATE AO CRIME

Um duro golpe nas finanças do tráfico no Alemão

Do GLOBO
Prejuízo do tráfico foi de R$ 50 milhões
Quadrilha perdeu armas, imóveis, veículos e 42 toneladas de drogas 
Por Antônio Werneck, Daniel Brunet  e Taís Mendes

Um cálculo aproximado feito ontem pela cúpula da Polícia Civil estimou que a quadrilha dos traficantes do Complexo do Alemão teve um prejuízo de R$ 50 milhões. A soma é resultado da apreensão de 42 toneladas de maconha, cerca de 300 quilos de cocaína, centenas de motocicletas e mais de 15 automóveis. Foram ainda apreendidos centenas de fuzis, pistolas, dinheiro e imóveis. O delegado Eduardo Clementino, que representa a Polícia Civil no comando das operações e fazia os cálculos, lembra que os números não estão fechados e podem aumentar nos próximos dias, já que agentes buscam drogas e armas. 

— Também estamos atingindo o centro nervoso do traficante: sua economia. E isso é muito melhor, mais eficiente — afirmou Ronaldo Oliveira, diretor do Departamento de Polícia Especializada da Polícia Federal. 

Agentes vasculham cerca de 30 mil casas Após a retomada do Alemão, agentes de diferentes forças de segurança vasculham as cerca de 30 mil casas em busca de armas, drogas e traficantes. Até a noite de ontem, 13 pessoas — entre elas, uma mulher — tinham sido presas. Segundo a Polícia Militar, foram apreendidos ontem 15 pistolas, cinco revólveres, 12 fuzis, cinco submetralhadoras, uma metralhadora .30, três espingardas e 48 granadas, além de munição. Houve ainda apreensão de 73 quilos de cocaína e certa quantidade de maconha e crack. 

Uma equipe da Coordenadoria de Operações Especiais (Core), com o auxilio de três cães farejadores, subiu o Morro da Grota para vasculhar casas e fazer possíveis apreensões. No caminho até o alto, na estação do teleférico, os policiais vistoriaram casas. 

— Bom dia! Dá para o senhor abrir a porta? Pode ficar tranquilo que o cachorro não morde 
— disse um dos policiais a um senhor que observava a movimentação no portão de casa. 

Em geral, os moradores não criam resistência. Em uma casa, porém, uma jovem começou a chorar quando um rapaz foi algemado por policiais — ele foi liberado após os agentes confirmarem, pelo rádio, que não tinha passagem na polícia. Em algumas casas, pequenos panos brancos pendurados nas por- 
tas anunciam o desejo de paz. 

Policiais localizaram uma casa abandonada com um cachorro no quintal. A residência de dois cômodos estava toda revirada. O portão foi aberto por uma vizinha, que acabou ficando com o cachorro. 

— Com certeza era a casa de algum traficante que, na fuga, deixou o cachorro para trás — comentou um policial. 

Um policial contou ter encontrado um bilhete em uma das portas, onde o morador explicava que tinha ido trabalhar, mas que deixara a porta aberta para o caso de uma visita policial. Ele pediu apenas que a tropa tives se cuidado na entrada, já que seus filhos estavam dormindo. 

O calor forte obrigou os policiais a fazerem paradas no trajeto até o alto do morro. Uma das principais preocupações era com os cães farejadores, e  não faltaram moradores oferecendo água para refrescá-los. 

Os presos pela PM, ontem, foram levados para o 16 BPM (Olaria). O grupo ficou durante todo o tempo dentro de um micro-ônibus da corporação, enquanto os policiais verificavam documentos e confirmavam o 
envolvimento deles com o tráfi- 
co. Policiais do 3 BPM (Méier) prenderam um jovem que fora flagrado, há três meses, empunhando um fuzil de mira telescópica. Após ser informado das imagens, ele disse que largou o tráfico há dois meses. 

À noite, a polícia apresentou Marcele Otaviano, de 25 anos, mulher de Marcus Vinícius de Souza Barreto, o Rambo, que seria segurança do traficante Pezão. Ela foi presa em casa, na Fazendinha, onde a polícia encontrou um revólver, material para embalar drogas e fotos de Rambo, mostrando notas de R$ 100 e fazendo o símbolo de uma facção criminosa.


Serviço de inteligência da Policia Federal descobre que traficantes e criminosos do Rio de Janeiro estão mem fuga para o Nordeste e é esperado aumento de assaltos a bancos no Piauí no próximo ano



O Serviço de Inteligência da Polícia Federal (PF) descobriu que os traficantes atuando no Rio de Janeiro, em conflito aberto com o Governo do Estado, estão fugindo para o Nordeste. 
O chefe da Delegacia de Combate ao Crime Organizado da Superintendência da Polícia Federal (PF), José Olegário Pereira Nunes, disse que no próximo ano a instituição vai fazer operações semelhantes à realizada em Marcolândia, na divisa do Piauí com Pernambuco, de combate ao tráfico de drogas e de prostituição infantial para demonstrar a presença do Estado e evitar a ação de possíveis quadrilhas que estão migrando das regiões no Centro Oeste e Sudeste, principalmente do Rio de Janeiro e de São Paulo para o interior dos Estados do Nordeste, para o interior do Piauí. 
“A Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal têm papel muito importante na previsão disso, demonstrando o poder do Estado e demonstrando presença na região Sul do Piauí e nas regiões mais afastadas da capital”, declarou José Olegário Pereira Nunes. 
Ele falou que os traficantes e criminosos atuando no Rio de Janeiro e São Paulo planejam montar bases no Rio Grande do Norte e no Ceará por causa da infraestrutura mais desenvolvida, mas o risco é para todas as capitais do Nordeste. 
“Estão vindo por causa da logística que esses grupos precisam para se locomover. As capitais maiores como a do Ceará, Fortaleza, de Pernambuco, Recife, onde já existem bases de apoio para esses bandidos que vão fugir, por certo, da ação do Estado”, declarou José Olegário Pereira Nunes. 
Ele disse que existem suspeitas de que irão aumentar os assaltos a bancos no Piauí porque vão atuar no Nordeste não apenas os bandidos do Rio de Janeiro, mas também de outros Estados da nação. 
“Nós temos que atuar na prevenção contra a criminalidade e não mais e só quando o fato estiver consumado para que nenhum outro Estado para não ficar como o Rio de Janeiro, onde o Estado não estava presente e o crime se instalou, quando existe o vácuo de poder, alguém toma conta, no caso a criminalidade. O que tem que se fazer são ações conjuntas para que se possa prevenir”, declarou José Olegário Pereira Nunes.


NOTÍCIAS DO RIO DE JANEIRO


Montagem com imagens retiradas do Google Images
Analogia 
Difícil quem acompanhou as ações das forças de segurança contra o tráfico, na Vila Cruzeiro e Complexo do Alemão no Rio de Janeiro, e não fez uma analogia da vida real com o filme Tropa de Elite, de José Padilha. Em vários momentos, seja acompanhando pela TV ou internet, lembrei de algumas cenas de Tropa de Elite 1 e 2.

Prejuízos
De acordo com informações prestadas pelo Comandante Geral da PMERJ, Coronel Mário Sérgio Duarte, o tráfico já tem um prejuízo estimado em 100 milhões, após a ofensiva das forças de segurança na Vila Cruzeiro e Complexo do Alemão.

Forças Armadas
Presidente Lula garante todo apoio necessário às operações policiais no Rio de Janeiro, a fim de garantir a paz e ordem pública.
.
BOPE
Não sei se chamar os policiais do BOPE de heróis faz jus ao que na verdade eles me parecem ser. Eu usaria outra palavra mais significativa e forte para descrever a bravura e coragem que enfrentaram e estão enfrentando os criminosos do Rio de Janeiro. Não posso esquecer também a coragem de todos os outros policiais civis, militares e as forças armadas que estão irmanados no combate ao tráfico.

Prisão de líderes do crime no Rio é questão de tempo, diz chefe de Polícia


Segundo o delegado, o mais importante é que os policiais conseguiram recuperar território, apreender drogas e retirar armas de circulação.

Por Agência Brasil
Foto: Jorge Marinho
Chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Allan Turnowski
Rio de Janeiro – O chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Allan Turnowski, afirmou hoje (30) que a prisão das lideranças criminosas que fugiram do Complexo do Alemão “é questão de tempo”. Segundo o delegado, o mais importante é que, com a ocupação do conjunto de favelas da zona norte, os policiais conseguiram recuperar território, apreender drogas e retirar armas de circulação.

“As polícias e os militares têm prendido os [integrantes do] segundo e terceiro escalões em larga escala. São vários presos. Eram aqueles mais procurados, por serem mais violentos. Hoje está-se tirando território, mexendo no lado financeiro, e vamos prender. Vamos prender os líderes. É questão de tempo. Estamos desmistificando uma facção e tornando-a uma facção bem mais fraca. Esse é o nosso objetivo, a desestabilização de uma facção”, disse Turnowski.

No último fim de semana, policiais apreenderam mais de 130 fuzis e metralhadoras, além de dezenas de pistolas, revólveres e granadas, apenas no Complexo do Alemão. As armas serão destruídas. Se a polícia desejar ficar com alguma arma, solicitará à Justiça. Os policiais também apreenderam 33 toneladas de maconha e 230 quilos de cocaína, que serão destruídas ainda hoje.

O delegado informou ainda que os policiais que cometeram abusos na ocupação do Complexo do Alemão serão punidos, presos e expulsos. Ele pediu que a população continue confiando no trabalho da polícia.

A polícia está investigando o paradeiro dos criminosos que fugiram e não descarta realizar operações em outras comunidades do Rio de Janeiro para prendê-los.

Presos soterrados em Alcaçuz são encontrados mortos

Dos cinco presos, apenas um conseguiu escapar do soterramento e dois foram resgatados com vida. Já os líderes da fuga morreram dentro do túnel.

Por Geraldo Miranda
Foto: Vlademir Alexandre
O secretário de Justiça e Cidadania (Sejuc), Leonardo Arruda, confirmou a morte de dois dos cinco presos da Penitenciária de Alcaçuz que tentaram fugir na manhã desta terça-feira (30).

As vítimas são Marcos Daniel Gregório de Souza e Giglinaldo Francisco de Oliveira, que lideravam a tentativa de fuga no presídio em Nísia Floresta, quando o túnel desabou em cima de quatro deles.

De acordo com informações do coordenador de Administração Penitenciária do RN, José Deques Alves, um dos cinco presos um percebeu o desmoronamento e conseguiu retornar.

Marcos Daniel cumpria pena por furto. Ele foi preso pela primeira vez em 11 de fevereiro de 2009, porém conseguiu fugir, sendo capturado apenas no dia 4 de maio deste ano. Já o Giglinaldo Francisco era preso provisório, cumpria pena desde 21 de agosto deste ano, e respondia por homicídio.

Com a ajuda do Corpo de Bombeiros, os outros dois foram resgatados com vida. Os técnicos do Instituto Técnico-Científico da Polícia (Itep) recolheram os dois corpos e encaminharam à sede na Ribeira.

Os presos saíram da cela 7 do pavilhão 4. Eles pretendiam usar o túnel para ter acesso à parte externa da unidade prisional. Ainda não se tem a confirmação da identidade dos três sobreviventes do acidente.

Após a retirada dos corpos, a administração do presídio utilizou um caminhão de areia para tapar o buraco cavado pelos presidiários.

PRF prende dupla de estelionatários


Patrulheiros realizavam abordagens de rotina no posto de Macaíba, onde identificaram os criminosos.

Por Thyago Macedo
Foto: Divulgação
A Polícia Rodoviária Federal prendeu dois homens acusados de estelionatário. A ocorrência foi registrada na manhã desta terça-feira (30), por volta das 11h, no Km 294 da BR304. Os patrulheiros realizavam abordagens de rotina no posto de Macaíba, onde identificaram os criminosos.

O garçom Edy Claudino Silva, de 30 anos, e o mecânico Francisco Flávio Rodrigues Veras Filho, de 18 anos, seguiam em um ônibus que fazia a linha Natal - Fortaleza. Ao revistar as bagagens, os policiais encontraram vasto material para a prática do golpe de estelionato.

Entre as apreensões estavam um leitor óptico de cartões, conhecido no mundo do crime por chupa cabra, um computador com vários programas para a realização da fraude, 40 cartões em nome das vítimas, R$ 1.500,00, entre outros acessórios necessários. 

Os dois acusados chegaram a Natal no dia 28 desse mês. De acordo com a dupla, eles vieram da capital do Ceará de avião.

*Com informações da PRF.


'É guerra', diz Cabral sobre ocupação no complexo do Alemão


Governador do Rio diz que pediu que Forças Militares fiquem lá até outubro.
Cabral inaugurou a 13ª UPP no Morro dos Macacos, Zona Norte.

Carolina Iskandarian
Do G1 RJ

Diante das denúncias de que policiais estariam invadindo e saqueando casas no conjunto de favelas do Alemão, na Zona Norte do Rio, o governador Sérgio Cabral disse nesta terça-feira (30) que “não vai tolerar abusos” e prometeu punição aos maus agentes. Ele chamou de “guerra” a situação vivida na região, que foi tomada pela polícia e Forças Armadas no domingo (28).
“Vamos continuar a recuperar todos os territórios. Quando se luta por território é guerra. Quando se conquista é a paz”, afirmou Cabral Filho, durante discurso na cerimônia de inauguração de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, Zona Norte.
“Não vamos tolerar abuso de polícia. O policial que se comportar mal será expulso, mas isso é uma exceção. A maioria está lutando, dando o sangue, entrando em lugares impossíveis com coragem”, completou o governador, diante de policiais militares e de moradores da comunidade.
O governador confirmou que que assinou um pedido de permanência das Forças Armadas para fazer patrulhamento nas favelas do Complexo do Alemão até outubro do ano que vem.
A informação havia sido dada em entrevista dada antes do meio-dia á rádio CBN, quando Cabral ainda estava à caminho da inauguração da UPP (ouça a entrevista).
Procurados pelo G1 por volta das 12h20, os ministérios da Justiça e da Defesa informaram que ainda não haviam recebido o pedido.
Na segunda-feira (29), após se reunir por mais de três horas com a presidente eleita, Dilma Rousseff, o governador havia dito que ia solicitar ao Ministério da Defesa um contingente de dois mil homens das Forças Armadas até julho de 2011, quando, segundo ele, será possível implementar uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) na localidade.
O governador explicou nesta terça que o pedido foi feito até outubro para ter uma margem de segurança. Segundo Cabral disse na segunda, a permanência de militares é necessária no primeiro semestre do próximo ano porque não há, atualmente, efetivo suficiente de policiais militares para montar a UPP.
“As forças [federais] que fazem hoje o trabalho solicitado por nós fazem um trabalho de contenção. Outra coisa é o trabalho de patrulhamento. Por força do efetivo que precisamos para isso, nós teremos nesse processo de transição, até a chegada da nossa UPP, no final do primeiro semestre, um efetivo do Ministério da Defesa. Em torno de dois mil homens”, afirmou.
Cabral elogiou a parceria entre forças policiais estaduais e federais na ocupação da Vila Cruzeiro e do Morro do Alemão. Segundo ele, a atuação da Polícia Federal e das Forças Armadas deverá ser solicitada em outras operações de combate ao tráfico no estado.
“Esse modelo que estamos implementando é um modelo que existe há dois anos. É um modelo que as Unidades de Polícia Pacificadora se mantém. Agora, com essa novidade nesse momento complexo do [Morro do] Alemão e Vila Cruzeiro, para outras comunidades que sejam igualmente complexas, o que a gente percebe, o que sente, é essa parceria, essa camaradagem, essa aliança para o bem.”