terça-feira, 3 de agosto de 2010

PF mostra novo robô antibomba que usará na Copa de 2014

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Polícia comprou robô que detona bombas à distância com jato d'água por US$ 860 mil cada, traje antifragmentos para proteger peritos que desmontam artefatos explosivos e outros equipamentos
Um robô que detona bombas à distância com jato d'água, um traje antifragmentos para proteger os peritos que desmontam artefatos explosivos e uma tenda para evitar detonações por meio de uma espuma especial fazem parte dos equipamentos dos três novos veículos do Grupo Antibombas da Polícia Federal (PF) para serem usados na Copa do Mundo de 2014.
Os equipamentos foram comprados no Canadá, custaram US$ 860 mil cada e foram apresentados nesta segunda-feira (2) à imprensa. O diretor do Departamento de Polícia Federal (DPF), Luiz Fernando Correia, disse que em 2007 o órgão fez um planejamento estratégico até 2022 em que as novas aquisições estavam incluídas para a Copa e as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.
Correia ressaltou que, além de adquirir os equipamentos, agora é preciso fazer um trabalho conjunto na área de segurança pública no País. “(Precisamos) difundir a doutrina não só dentro da PF como articular com as demais forças. Não podemos ter instituições preparadas (apenas) para eventos, mas sim para dar segurança ao cidadão e, quando houver eventos, essa capacidade seja aplicada.”
O diretor disse que serão feitos mais investimentos na atualização tecnológica, principalmente na questão pericial, pois um dos eixos do planejamento estratégico da PF é a qualidade da prova científica. Segundo ele, os equipamentos são um avanço em relação aos usados nos Jogos Pan-Americanos, promovidos no Rio em 2007.
De acordo com o perito criminal Adauto Pralon, um dos responsáveis pela demonstração desses equipamentos, dos três novos veículos do Grupo Antibombas um vai para o Rio Grande do Sul e dois ficam em Brasília – no Instituto de Criminalística e na Superintendência de PF. Mais dois que o departamento já tinha estão em Salvador e no Rio de Janeiro, respectivamente, e a ideia é que cada uma das 12 cidades-sede da Copa de 2014 tenha um deles para o Mundial.
Fonte:Abril.com

PM DO INTERIOR SOFRE ASSÉDIO MORAL POR PARTE DE UM OFICIAL

Na noite da última quarta-feira (28), o Soldado Fernandes, realizando patrulhamento na cidade de Nova Cruz, autuou vários veículos irregulares, emitindo-lhes multas - um procedimento comum se não fosse uma coincidência que lhe gerou problemas.

Ao se dirigir para a SEDE do 5º DPRE, o Sd Fernando foi abordado pelo Major Linhares, Comandante do 8º BPM, por ter registrado uma multa em seu veículo, que se encontrava em situação irregular. Contudo, o Major utilizou-se das prerrogativas de Oficial da PMRN junto ao soldado, humilhando-o e apontando o dedo em direção ao seu rosto, proferindo palavras de humilhação, bem como ameaçando-lhe retirar o soldado Fernandes da cidade, numa forma clara de perseguição militar. "VOCÊ É UM SOLDADO RUIM. EU LHE CONHEÇO, MAS VOCÊ NÃO SABE O QUE EU SOU CAPAZ". VOU FALAR COM MEUS CONTATOS E VOU TIRAR VOCÊ DO CPRE, DEPOIS DE NOVA CRUZ", explanava o oficial para com o soldado.

O Soldado, entretanto, ficou surpreso com a atitude do oficial, que não o poupou do constrangimento de ser humilhado diante dos seus companheiros. Sua única reação era dizer: SIM SENHOR.

Em meio a discussão, o soldado pediu ao oficial para diminuir o volume da voz e retirar o dedo de seu rosto, mas o Major, continuando o abuso afirmou que iria chamar a viatura do GTO para prender. A Guarnição do GTO foi até o local, mas o Comandante do 5º DPRE, Cap. PM Josemário, já havia sido informado da situação e impediu a prisão abusiva.

Mesmo após o ocorrido o soldado Fernandes continua recebendo ameaças do Major Linhares. O praça e sua esposa (gestante de 8 meses) estão intimidados e com medo de represálias. A ASSPMBM-RN e demais entidades do interior se solidarizam com o praça, e se colocaram à disposição em defesa do colega.

Direção da ASSPRA

Segundo o presidente da ASSPRA o soldado buscou auxilio jurídico na entidade. "Fomos solicitados e estamos tomando todas as providências cabíveis. Caso se confirme o fato, todo o rigor da Lei será cumprido, pois ninguém esta acima da Lei” declarou o Soldado Heitor, presidente da ASSPRA.

Assédio Moral

O assédio moral é uma forma de abuso de poder praticada comumente no ambiente militar, expondo os servidores a situações humilhantes e constrangedoras no exercício de suas funções, sendo mais comum em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e antiéticas de longa duração. Dessa forma, os policiais militares muito sofrem desse abuso praticado por alguns oficiais da Instituição, que utilizam-se da prerrogativa do posto para constranger ilegalmente e torturar psicologicamente o policial, que desestabiliza-se em relação ao ambiente de trabalho e à organização.


FONTE: ASSPMBMRN, com algumas alterações.
Retirada do Blog da Sd Glaucia

PEC 300/446 – Sem acordo, votações do Plenário ficam para amanhã


O presidente Michel Temer transferiu para amanhã, a partir das 9 horas, as votações do Plenário. Na reunião que ele coordenou entre deputados da base aliada e da oposição, encerrada há pouco, não houve acordo para votação das matérias na pauta.
O governo tem interesse em aprovar as três medidas provisórias que trancam a pauta (MPs 487, 488 e 489, todas deste ano), pois estão com prazo de validade próximo do final. A oposição pressiona pela votação do projeto que regulamenta os recursos para a Saúde pública (Projeto de Lei Complementar 306/08).
Há ainda uma pressão, vinda de diversos parlamentares, para a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 308/04, que cria a Polícia Penal, para atuar no sistema carcerário do País.
PEC dos policiais
As três MPs vão para a pauta desta quarta-feira. Temer anunciou ainda que colocará em votação a proposta que cria um piso salarial para os policiais e bombeiros dos estados (PECs 446/09 e 300/08). O texto foi aprovado em primeiro turno em julho. Caso seja acatado em segundo turno, seguirá para o Senado.
De acordo com a PEC, uma lei federal definirá o piso salarial dos policiais e bombeiros. A mesma lei criará um fundo para ajudar os estados a cumprir o novo piso.
Fonte = Agência Câmara

Recadastramento do PRONASCI com Praticidade!


Recadastramento do PRONASCI... com Praticidade!

Com o novo sistema implantado pelo PRONASCI; onde os beneficiados tem que anexar documentos para fazer o seu CADASTRO DE NOVO REQUERIMENTO, isso tem dificultado muito tanto para os veteranos como para os novatos. E pensando em você meu caro amigo, disponibilizo aqui no blog alguns links para evitar que você não tenha "ESTRESS"

É bom salientar a todos que os links disponíveis é para quem trabalha no Ceará.








  • EMISSÃO do Nada consta da companhia
[ Você deverá ir até LÁ.]
 
http://majoradrianizio.blogspot.com/2010/07/recadastramento-do-pronasci-com.html

Postagem nº 1500 - Acusados de lavagem de dinheiro responderão em liberdade

A 2ª Turma do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) negou recurso em sentido estrito ao Ministério Público Federal (MPF) que buscava manter as prisões dos espanhóis Francisco Javier Sanchez Rico, Lísia Palácio, Aitor Sanchez Trigo e do brasileiro José Ivo de Freitas, residentes em Natal, acusados de praticar operação irregular de câmbio (lavagem de dinheiro). A operação de câmbio clandestino se daria entre as cidades de Natal, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, entre os anos de 2003 a 2008.

Francisco Javier Sanchez Rico, Lísia Palácio, Aitor Sanchez Trigo, José Ivo de Freitas, Javier Leonardo Nebot, Joseri de Oliveira Trigueiro, o “Trigueiro”, Marcelo Campos Silva e Marlene Bastos Chueke, foram presos no dia 29 de outubro de 2008, na operação denominada Escambo. Todos foram acusados de lavagem de dinheiro, em um esquema que envolvia agências de turismo, casas de câmbio e mais de dez hotéis e pousadas de Natal. Na residência ou em automóveis dos acusados foram encontradas armas, silenciador e munições.

Na fase inicial da investigação, o pedido de liberdade provisória aos acusados foi negado, mas, após a instrução do processo, com o devido interrogatório dos presos, o magistrado deferiu o pedido de soltura, sob o fundamento de que não mais existiam as razões da prisão. Assim, concedeu a liberdade aos acusados sob várias condições: atender os chamados da Justiça, não se ausentar do Estado sem prévia autorização, recolher-se à residência das 20h às 6h e não portar arma de fogo, sob pena de revogação da liberdade provisória.

O Ministério Público Federal (MPF) enviou o pedido de prisão com a finalidade de ver revogada a decisão do Juízo de primeiro grau, mas a 2ª Turma manteve o decidido, por entender que não havia razão para a manutenção das prisões. O relator do processo, o desembargador federal Paulo Gadelha, afirmou que a instrução tinha ocorrido regularmente e as cautelas de praxe tinha sido tomadas, como o recolhimento dos passaportes, a apreensão dos bens dos acusados e a imposição de severas condições.

Fonte: TRF5
http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/acusados-de-lavagem-de-dinheiro-responderao-em-liberdade/155845

UFRN - Seleção para professores começa hoje



A partir de hoje até o dia 5 será realizado o processo seletivo para professor substituto da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, segundo edital publicado pela Pró-reitoria de Recursos Humanos. A seleção destina-se à formação de quadro de reservas. Os locais de prova serão definidos por departamento ao qual o candidato esteja vinculado.

Os professores substitutos de ensino superior serão destinados aos Departamentos de Direito Privado, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Fisioterapia, Medicina Clínica, Nutrição, Psicologia e Saúde Coletiva, todos no campus Natal. Já os de ensino básico, técnico e tecnológico irão para a Escola Agrícola de Macaíba e para a Escola de Enfermagem de Natal.

Calouros

Na próxima segunda-feira (9), a UFRN vai realizar uma programação especial para recepcionar os mais de 2.500 novos alunos que ingressarão no semestre letivo de 2010.2. A festa está programada para às 16h30, na Praça Cívica do Campus Universitário.

A ocasião contará com a presença de representantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE), da pró-reitora de Graduação Virgínia Maria Dantas de Araújo e do reitor Ivonildo do Rêgo, que fará o discurso de boas-vindas para os ingressantes.

De acordo com a programação, haverá sorteios de brindes, prêmios e distribuição de camisetas para todos os presentes. Além disso, será exibido um vídeo com um tour pelas dependências da UFRN. A festa continuará com bandas e shows musicais.

http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/selecao-para-professor-comeca-hoje/155812

Casal é sequestrado por cinco homens em Macaíba



A Polícia ainda não tem informações precisas sobre as identidades dos cinco homens que assaltaram e sequestraram um casal no loteamento Esperança, em Macaíba, Grande Natal. No entanto, os policiais e o delegado Franklin Albuquerque, titular da delegacia local, sabem que o bando conhecia as vítimas e, inclusive, as havia perseguido durante boa parte do final de semana.
Adriano AbreuEsse é o terceiro sequestro registrado pela polícia em Macaíba, o que deixa a população com medo ainda maior da violênciaEsse é o terceiro sequestro registrado pela polícia em Macaíba, o que deixa a população com medo ainda maior da violência















“Começamos agora a investigação e pretendemos ouvir o casal novamente. O que já deu para perceber é que os bandidos  conheciam as vítimas, sobretudo, o homem”, afirmou o delegado Franklin Albuquerque. Sobre a possibilidade do homem ter envolvimento com o tráfico de drogas, hipótese que inicialmente foi levantada pela própria polícia e que seria a causa do sequestro, foi descartada pelo delegado. “Em depoimento, ele contou que tinha passagem pela polícia por receptação (de mercadoria roubada) e não por envolvimento com drogas”, revelou Albuquerque.

Segundo o delegado, o homem contou também que tentou recentemente comercializar um veículo no Mercado da Pedra, ou Mercado da 4, no Alecrim. “Ele afirmou que pedia R$ 5 mil no carro, justamente o valor que os bandidos cobraram quando invadiram a casa dele. Por isso, acreditamos que o bando ouviu os comentários lá no Alecrim e ‘levantou a ficha’ dele antes de realizar o sequestro”, explicou o delegado.

Insegurança

João, 32 anos, e Maria, 31 – atendendo a pedido do casal, a TRIBUNA DO NORTE não vai divulgar o nome real das vítimas – haviam se mudado para a casa no loteamento Esperança há cerca de seis meses. Dono de um bar há mais de três anos no Bom Pastor, zona Oeste de Natal, João pensava até em montar um comércio também em Macaíba, devido à tranquilidade da região. “Nunca tinha passado por nada desse tipo desde que me mudei. Agora, já não sei mais o que vou fazer”, afirmou a vítima.

Segundo o casal, era por volta de 1h30 da madrugada quando o bando começou a forçar a porta tentando invadir a casa – ocupada pelo casal e o três filhos deles, crianças de 4, 8 e 12 anos. “Acordei atordoado e fui até à frente da casa ver o que estava acontecendo. Quando cheguei lá, os homens já estavam na sala, armados com pistolas e revólveres”, contou João.

Encapuzados e vestindo moletões e calças pretas, o bando não podia ser identificado. João, no entanto, já era conhecido entre os bandidos. “Eles me chamaram pelo nome e isso me surpreendeu. Em um certo momento, inclusive, um deles falou: ‘O que você estava fazendo na praia com a camisa do Brasil se o país perdeu a Copa’. Realmente estava na praia durante o final de semana. Eles devem ter me seguido durante todo o sábado e domingo”, contou João.

Segundo o casal, os bandidos invadiram a casa se dizendo policiais e que estariam procurando o dinheiro (R$ 5 mil) e as armas. “Falei que não tinha nenhum dos dois, mas eles não aceitaram. Reviraram minha casa inteira e, no final, encontraram apenas R$ 400, celulares e um relógio”, afirmou a vítima.

Insatisfeitos pelo que encontraram, o bando colocou o casal dentro do carro de João, um Gol verde, e um Corsa branco, que estava sendo usado pelos bandidos. “Nos levaram até o distrito de Mangabeira. Lá, eles me devolveram o meu carro e falaram que teria 40 minutos para voltar lá com, pelo menos, R$ 2 mil. Se não conseguisse o dinheiro, nunca mais veria minha mulher”, contou João.

Ele, então, foi até à casa da cunhada, localizada no Alecrim, pegar o cartão do banco para tentar sacar o dinheiro em caixas rápidos. “Estava tão atordoado por tudo que nem refleti que era madrugada e que nunca conseguiria sacar esse dinheiro. Foi então que vi uma viatura da Polícia na avenida 9, no Alecrim. Pedi ajuda a eles e contei toda a história”.

Os policiais já estavam sabendo do acontecido, pois um vizinho do casal havia acionado a polícia pouco depois do arrombamento. Maria foi encontrada por volta das 3h30, próximo a um posto de combustível em Felipe Camarão. “Provavelmente, quando viram os policiais nas ruas, os bandidos ficaram com receio e desistiram da ação”, contou o delegado.

Outros casos

O delegado Franklin Albuquerque descartou qualquer relação desse caso de sequestro com os outros dois registrados em Macaíba neste ano, o de uma  funcionária da agência do Banco do Brasil, sequestrada na manhã do dia 7 de julho e resgatada no mesmo dia, e da farmacêutica Janiere Oliveira Ferreira, filha de uma vereadora de Macaíba, no dia 11 de junho. “Nós já prendemos o responsável por esses dois sequestros, Roberto Teixeira dos Santos, 42 anos. Nesse caso do casal o modo de ação foi completamente diferente. Inclusive, acreditamos que esse bando nem aqui de Macaíba seja. Deve ser de Natal”, explicou o delegado. 


http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/casal-e-sequestrado-por-cinco-homens-em-macaiba/155806

Polícia potiguar cumpre mandados de prisão em João Pessoa

Policiais civis do Rio Grande do Norte, com apoio de agentes da Paraíba, cumpriram dois mandados de prisão na manhã desta terça-feira (3) em João Pessoa. Um policial militar daquele Estado e um assaltante potiguar foram presos. Os policiais também cumpriram outros três mandados de busca e apreensão na capital paraibana.

O primeiro preso foi o assaltante Adriano Teixeira, conhecido por Pica-Pau. Ele é acusado de vários assaltaos na Grande Natal e é foragido do sistema prisional do Rio Grande do Norte.

O outro preso foi um policial militar da Paraíba. "Contamos com o apoio da polícia paraibana para cumprir esse madado. Esse policial estava com uma pistola roubada de policial militar do Rio Grande do Norte, dois coletes da Polícia Rodoviária Federal e ainda uma espingarda calibre 12", contou o subsecretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ben-Hur Cirino de Medeiros, que planejou a ação.

Neste momento, os presos e os policiais potiguares estão na sede da Secretaria de Segurança da Paraíba. Logo após os presos serem autuados, serem trazidos para o Rio Grande do Norte, onde vão aguradar decisão judicial.
 
http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/policia-potiguar-cumpre-mandados-de-prisao-em-joao-pessoa/155844

Mossoró: PM troca tiros com quadrilha e mata um assaltante

Um tiroteio entre policiais militares e uma quadrilha de assaltantes assustou as pessoas que passavam pela rua João da Escóssia, no bairro de Nova Betânia, área nobre de Mossoró. A troca de tiros foi iniciada por volta das 22h, quando os PMs resolveram abordar os homens que estavam em atitude suspeita em um Golf e um Polo. Um dos criminosos foi morto no tiroteio e outros dois acabaram presos.

Após as prisões, a polícia descobriu que o bando é liderado pelo assaltante Diego César Silva de Melo. Diego Neguim, como é conhecido, é considerado um dos criminosos mais perigosos do Rio Grande do Norte. Juntamente com outros 14 homens, ele fugiu da penitenciária estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, no dia 16 de janeiro passado.

A rua João da Escóssia tem várias lojas e liga o Centro de Mossoró ao maior shopping da cidade e a uma universidade privada. "Nossos policiais perceberam que os dois veículos estavam em atitude suspeita na João da Escóssia e resolveram abordá-los. Os bandidos fugiram e começaram a atirar em nossos homens. Foi quando revidamos e conseguimos pegar três deles", contou o comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, coronel Eliézer Rodrigues.

No tiroteio, os policiais mataram um dos bandidos, feriram um outro e capturaram um terceiro. O criminoso morto foi identificado pelo apelido de "Mussum". O corpo dele foi levado para o Itep de Mossoró para a identificação oficial..

O assaltante Tasso Tales Cordeiros Silva foi atingido por um tiro e levado para o pronto-socorro do hospital Tarcísio Maia. Ele não corro risco de morte.

Também foi preso o assaltante Bon Maykon Elias de Almeida. Ele portava um rádio comunicador que copiava a fraquência da Polícia Militar.

Além dos dois carros - suepitos de serem roubados - e o rádio comunicador, os policiais apreenderam ainda uma pistola calibre 45, que é de uso restrito. As bucas por Diego Neguim continuam.

* Atualizada às 8h53.

Quadrilha composta por policial militar rouba Correios e é presa

Quatro homens foram presos, incluindo um soldado da PM, depois que roubaram Correios e trocaram tiros com a polícia em Jardim de Angicos.

Por Thyago Macedo

Mais uma quadrilha foi desarticulada no fim da manhã desta terça-feira (3). Quatro homens foram presos, incluindo um policial militar, depois de um roubo a uma agência dos Correios, no município de Jardim de Angicos. Os criminosos chegaram a trocar tiros com os policiais.

A ação teve início por volta das 10h, quando seis homens chegaram até os Correios da cidade. Eles estavam em um Astra verde e, armados renderam funcionários e clientes da agência.

O bando conseguiu fugir levando a quantia de R$ 5 mil. Depois disso, a Polícia Militar foi acionada e começou uma perseguição. De acordo com o comandante do Policiamento do Interior, coronel Reinaldo, ao perceberem que estavam sendo seguidos, os bandidos trocaram de carro.

“Eles abandonaram o Astra em um povoado e roubaram um Fiat Uno. A partir daí, os policiais os localizaram e teve um tiroteio”, relata. Um dos criminosos, Erick Franklin Valdivino Cavalcante, acabou sendo baleado na barriga. Ele foi socorrido e levado ao Hospital Walfredo Gurgel.

Além dele, foram presos Manoel Nunes de Oliveira, conhecido como “Manoel dos bodes”, e Francisco Damião de Souza Cassimiro. O quarto preso é o soldado da própria Polícia Militar Ricceli Manoel Maciel de Souza Cirino.

Ele trabalhava na delegacia de Jardim de Angicos, juntamente com Francisco Damião, que é funcionário da Prefeitura e fazia serviços de limpeza na unidade policial. Coronel Reinaldo informou que, apesar das quatro prisões, o dinheiro ainda não foi recuperado porque os dois criminosos que fugiram levaram a quantia.

No entanto, dois revólveres foram apreendidos com a quadrilha. Os três presos estão em João Câmara e serão trazidos para a sede da Polícia Federal, em Natal. 

http://www.nominuto.com/noticias/policia/quadrilha-composta-por-policial-militar-rouba-correios-e-e-presa/57835/

CONCURSADOS PROTESTAM POR POLÊMICA EXCLUSÃO DA PM

Mais um caso polêmico no concurso para ingresso no Quadro de Soldados da Polícia Militar de Pernambuco.


Mais um caso polêmico no concurso para ingresso no Quadro de Soldados da Polícia Militar de Pernambuco foi registrado na manhã desta segunda-feira (02). O Quartel do Derby, no Recife, foi palco de protesto de 108 pessoas que iniciaram o Curso de Formação Profissional hoje, mas foram convidados a se retirarem do Batalhão da PM, no Curado, por completarem 29 anos antes do dia 04 de fevereiro de 2011.


De acordo com o edital do concurso, cujas provas foram realizadas em novembro de 2009, um dos requisitos para ingressar na carreira de policial militar é justamente “ter idade máxima de 28 (vinte e oito) anos completos, no ato de ingresso na carreira de militar do Estado, após o Curso de Formação Profissional”. No entanto, o texto não prevê início e término do referido curso, que tem duração de seis meses, o que significa que vários candidatos, mesmo com 27 anos à época do concurso, não estariam aptos a assumir as vagas, mas não tinham conhecimento do fato no ato da inscrição.



“Visaram apenas o dinheiro e não foram honestos com os candidatos. Se soubéssemos deste prazo algum de nós teria gastado dinheiro em vão? Foram quase R$ 1.000 em exames, documentos e enxovais para no último minuto nos dispensarem. Isso é um absurdo!”, protesta Viviane Borges de Souza. “Deixaram que a gente fosse até o início do curso para nos excluir na frente de todo mundo, como se não fôssemos coisa alguma”, denuncia Eliúde Anunciada Feitoza, que completou 29 anos no dia 23 de julho, três dias antes de ser convocada para a corporação.



Vindos do interior do Estado, outros candidatos estão ainda mais desapontados. José Fábio Pereira da Silva fez o concurso aos 27 anos e só completa 29 em dezembro deste ano, mas também acabou expulso. “Desisti do concurso da guarda municipal de Caruaru, onde eu também fui aprovado e pedi demissão para vir ao Recife. Agora estou desempregado e sem perspectivas”, afirma.


Emerson Francisco da Silva, 28, foi outro que pediu demissão, mas dos Correios, onde já trabalhava há dois anos. “Na última semana antes de me apresentar no Recife larguei o trabalho, também público, em Garanhuns. Agora já não sei o que vou fazer e estou com uma casa alugada no Curado só por conta do curso de formação”, explica.

Polêmica – O concurso para preencher 2.100 vagas da Polícia Militar apresenta problemas desde o ano passado. A primeira e principal polêmica do processo foi o fato de vários candidatos terem entrado nos locais de prova de conhecimentos portando aparelhos celulares. O processo não foi suspenso totalmente apenas por conta da decisão da 1ª Vara da Fazenda Pública do Recife, Wagner Ramalho Procópio, que negou o pedido de anulação impetrado pelo Ministério Público de Pernambuco por considerar que a violação parcial da regra que impede o porte de celulares não colocaria o concurso em xeque.

 
Fonte:  Por Ed Wanderley, da redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR, 
 
http://blogdogezi.blogspot.com/2010/08/concursados-protestam-por-polemica.html

Piso salarial de policiais e bombeiros pode ser votado esta semana

As votações no plenário da Câmara dos Deputados serão retomadas nesta terça-feira. Renasce, assim a esperança de policiais e bombeiros verem aprovadas as Propostas de Emenda à Constituição (PECs) 300/2008 e 446/2009, que criam um piso salarial para os servidores da Segurança. Em julho, as PECs foram aprovadas em primeiro turno e há um acordo para que a nova votação aconteça neste esforço concentrado.
Caso isso não aconteça agora, policiais e bombeiros terão que esperar até a virada do mês, já que o próximo esforço concentrado está marcado para os dias 31 de agosto e 1º e 2 de setembro, em virtude da campanha eleitoral. Após a aprovação pela Câmara, as PECs vão para o Senado. O valor do piso será estabelecido por um projeto de lei do Poder Executivo.
Policial e bombeiro, você acredita que as PECs do piso salarial serão votadas esta semana pelos deputados?

http://extra.globo.com/blogs/servidor/

PM preso por estupro estava há 15 dias em liberdade


O soldado da Polícia Militar José Nilson da Silva, lotado no 4ºBatalhão da zona Norte de Natal está preso sob a acusação de estupro. A prisão ocorreu na madrugada desta segunda-feira (2), após a Polícia Militar identificá-lo como autor da violência sexual contra uma dona-de-casa de 26 anos, na noite do domingo (1), na Redinha Nova. Somente neste último fim de semana, o Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) registrou 10 estupros. Nilson estava em liberdade há cerca de 15 dias e cumpria expediente interno no batalhão.

Após o término da partida entre o time do ABC e o Alecrim, no estádio Frasqueirão, em Ponta Negra, a jovem e o marido decidiram passar alguns momentos à sós. Seguiram então para um motel na avenida João Medeiros Filho (estrada da Redinha). Lá, não gostaram das dependências e preferiram ir para um outro motel localizado na mesma avenida. Quando pararam o automóvel para verificar o preço na tabela que fica exposta fora do estabelecimento foram surpreendidos por um homem que estava escondido em um poste.
J. M. 26 anos, foi estuprada por um Policial Militar na Redinha.
Sob a mira de um revólver, Juliana (nome fictício) e o marido (um vigilante) foram obrigados a deixar o homem entrar no veículo. No banco de trás e com um revólver apontado para a cabeça do vigilante, o homem obrigou o casal a seguir para a Redinha Nova. Em uma rua sem iluminação e com pouquíssimas casas, o soldado teria determinado que o vigilante fosse para o porta-malas. “Ele pegou uns cinco preservativos que estavam dentro do bolso da calça que ele usava, mandou que eu tirasse minha roupa e começou. Fez sexo vaginal e oral”, contou Juliana com os olhos cheios de lágrimas.

A arma ficou encima do carro, enquanto, o homem cometia o estupro. Passado algum tempo e não satisfeito, o acusado mandou que o vigilante saísse do porta-malas (que estava entreaberto). “Ele queria que eu fizesse sexo oral no meu marido e ele queria fazer sexo anal em mim. Meu marido pediu para que ele (soldado) desistisse” (enquanto contava, as lágrimas escorriam pelo rosto de Juliana).

Irritado com a recusa do vigilante, o homem determinou que o marido de Juliana voltasse para o porta-malas do veículo e, de acordo com a mulher, continuou a violentá-la. O revólver calibre 38 ficou em cima do carro enquanto ele praticava a violência. “Em um determinado momento ele colocou as mãos na minha cintura. Foi aí que eu joguei a arma longe e comecei a gritar. Meu marido saiu do porta-malas”. detalhou a mulher.

Juliana lembrou que jogou areia nos olhos do criminoso e começou a bater nele. “Ele só era homem enquanto estava com a arma. Depois apanhou muito, mas conseguiu escapar”.

No local, com ajuda de populares que também acionaram a polícia, as vítimas encontraram a arma e um aparelho celular  - onde havia a foto do acusado e uma agenda com telefones de policiais. Seis viaturas da Polícia Militar foram acionadas e seguiram para o local onde estavam as vítimas.

PMs fizeram diligências para localizar o acusado e encontraram o soldado no Hospital Walfredo Gurgel. As vítimas fizeram o reconhecimento. “Eu olhei na cara dele. Não tive dúvidas. Foi ele quem me estuprou. Dizia o tempo todo que iria nos matar”.

Com o revólver calibre 38 apreendido, com o parelho celular do soldado e o reconhecimento das vítimas, a polícia não tinha mais dúvidas. O soldado foi conduzido para a Delegacia de Plantão da zona Norte onde, momentos antes de ser registrado o flagrante, o soldado fugiu. “Foi um corre corre. Mas ele não conseguiu ir muito longe. Depois o soldado foi colocado na cela”, afirmou Juliana.

O tenente-coronel Raimundo Aribaldo Mendes de Souza, comandante do 4º Batalhão, disse que os policiais militares não tinham dúvidas de que o soldado era mesmo o homem que havia praticado a violência contra a mulher. “Temos também o relato de uma testemunha. Ele está detido em uma cela no Bope, na zona Norte”.

O comandante afirmou também que Nilson vai responder na justiça por estupro e lesão corporal. “Sentimos muito por um policial estar envolvido em um fato como esse. Ele estava solto há 15 dias por determinação da justiça”.

Soldado havia sido detido no inicio do ano

Três soldados da Polícia Militar foram presos na madrugada do dia 11 de janeiro deste ano sob acusação de invasão a uma casa, agressão a uma idosa, roubo de uma geladeira e de R$ 30. Os soldados José Nilson da Silva, Dayvison Alexandre Araújo e Fernando Santos de Medeiros estavam encapuzados e armados. Todos são lotados no 4º Batalhão. Após a prisão em flagrante os três foram conduzidos para o quartel do Comando Geral da PM.

Segundo a PM, os três soldados estavam na viatura de número 443 (Redinha) e em uma Pampa, quando, por volta das 4h, seguiram até a casa onde moravam três idosos, agrediram uma mulher de 60 anos e roubaram a geladeira e o dinheiro. A casa, de número 34, fica na rua Alto das Dunas, no bairro Alto da Torre, na zona Norte.

De acordo com o relatório  elaborado pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) os policiais estavam encapuzados e tinham as seguintes características: um baixo gordinho, e dois altos, sendo um deles magro.

Afonso Antônio de Oliveira, 67, conhecido por “Chapéu” (uma das vítimas) teria relatado, na época, que estava em casa dormindo. “Chapéu” disse à polícia que além dele, estavam na residência a mãe, uma senhora de 89 anos e a irmã (espancada quando foram acordados com socos e pontapés, desferidos pelos policiais que se encontravam dentro de sua residência).

Filho de Fernandinho Beira-Mar é preso por tráfico de drogas na Paraíba

Publicada em 02/08/2010 às 15h50m
O Globo
SÃO PAULO - Luan Medeiros da Costa, de 22 anos, filho do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, foi preso na noite deste domingo acusado de tráfico de drogas em Campina Grande, na Paraíba. A prisão de Luan e outros dois rapazes foi realizada pela Polícia Federal (PF), em conjunto com as polícias Rodoviária Federal e Militares.
A PF chegou ao trio após uma denúncia anônima de que havia um buggy transportando drogas. O veículo foi flagrado na rodoviária de Campina Grande. Um dos ocupantes desceu do veículo e embarcou em um ônibus da empresa Guanabara, com uma mochila com aproximadamente 4 kg de cocaína. O rapaz foi preso em flagrante no Posto da Polícia Rodoviária Federal de Santa Terezinha.
O buggy e os outros dois ocupantes foram localizados no parque do Açude Velho, em um trailer de lanches. Os três foram autuados em flagrante por tráfico de drogas, cuja pena varia de 5 a 15 anos de reclusão.
Em abril do ano passado, Luan havia sido detido em flagrante, em João Pessoa, com mais três pessoas com maconha e haxixe. Ele chegava em casa com o tio José Lucena Medeiros quando policiais militares chegaram e surpreenderam o jovem com drogas e cartuchos de munição calibre 12. 

http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2010/08/02/filho-de-fernandinho-beira-mar-preso-por-trafico-de-drogas-na-paraiba-917296651.asp

ATENTADOS CONTRA A POLÍCIA NÃO PREOCUPAM O GOVERNO


São estarrecedoras as notícias de novos ataques contra os policiais paulistas. Estes fatos comprovam a ousadia do crime e nível de violência que vêm assolando o Brasil. Os governantes, as leis e o judiciário estão tão distantes do povo que não percebem o quanto estão vulneráveis e ameaçados o Estado, o cidadão e os instrumentos de coação, justiça e cidadania que deveriam preservar a paz social. Em especial, as populações das capitais São Paulo e Rio de Janeiro convivem diariamente com uma guerra urbana declarada onde a bandidagem já tem poder financeiro e exército particular organizado e com armas de guerra preparados para assaltar, atentar, dominar territórios, aliciar soldados, corromper autoridades e disseminar o terror quando e onde desejarem. E esta corrente do mal se movimenta ao fluxo da negligência e imperícia estatal, ordenadas ou não, decorrentes da inércia do Estado em defender a nação estabelecendo limites, aplicando a justiça, assegurando direitos e punindo de forma exemplar quem violar a lei e aqueles que se desviam do dever, da lei e da probidade administrativa.

Enquanto isto, nos gabinetes, os governantes investidos nos três Poderes de Estado governam para sí, pois permanecem indiferentes, blindados e focados apenas nos privilégios e na manutenção do poder. As leis rigorosas são desprezadas e não aplicadas, as proposições de mudanças permanecem arquivadas e as questões de ordem pública ficam ao vento diante de uma justiça morosa e parlamentos esvaziados pela negligência dos legisladores.

As leis são desmoralizadas pelas divergências, brechas jurídicas e interpretações pessoais. A constituição é esdrúxula, remendada e com dispositivos alterados para atender interesses escusos. As leis coativas não são aplicadas e as benevolentes ditam o rumo da justiça no Brasil. Os instrumentos de estado se desmoralizam diante da astúcia, da ousadia e do desprezo dos poderosos e organizados politicamente. A ética, a probidade, o respeito, a disciplina e a autoridade se tornaram reféns de um sistema anárquico, corporativista, eleitoreiro, desigual, desarmônico, separado e alheio à demanda e aos anseios do povo brasileiro.

As casas prisionais, em número insuficiente, permanecem insalubres e superlotadas diante da impunidade dos Chefes do Poder Executivo responsáveis pela guarda e custódia dos apenados pela justiça. Esta, morosa e burocrata, abandona seus reclusos neste ambiente indigno e vergonhoso, preferindo medidas alternativas, terapeuticas, superficiais, inoperantes e de risco para o cidadão, do que alternativas contundentes para responsabilizar os verdadeiros culpados. Interesses corporativistas não podem impedir a justiça de processar improbidades e crimes da classe política.

Sobra para o policial um esforço sem continuidade, o retrabalho e o risco de morrer no enfrentamento de balas de fuzil e granadas, de prender sempre os mesmos bandidos beneficiados por leis tolerantes, de ser corrompido pelo poder financeiro, de ser alicidado por um bico criminoso, de ser contaminado pelo vício, de se estressar e de se tornar justiceiro, cometendo os mesmos crimes da bandidagem. Mesmo assim, diante de tantos males à sua volta, a maioria dos policiais é valente, dedicado, esforçado, perseverante, cumpridor do dever e solidário com colegas, familiares e pessoas da comunidade onde mora e trabalha, apesar dos salários miseráveis que recebe.

ATENTADOS EM SÃO PAULO

Quartel da tropa de elite de São Paulo é alvo de atentado que deixou um morto - 01/08/2010 às 09h47m; SPTV, Globo News

SÃO PAULO - O quartel da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), na Luz, Centro da capital paulista, foi alvo de um atentado durante a madrugada deste domingo. Segundo informações da tropa de elite da Polícia Militar, um carro com duas pessoas se aproximou do quartel e efetuou cerca de seis disparos contra a parede lateral do prédio. Um dos ocupantes do automóvel saiu do carro e tentou lançar um coquetel molotov contra a corporação. Houve troca de tiros e o bandido que estava fora do veículo acabou baleado e morreu. O segundo suspeito continua sendo procurado pela polícia.

O atentado ocorreu menos de 24 horas depois que o tenente-coronel Paulo Adriano Telhada, comandante da tropa de elite da Polícia Militar de São Paulo, sofreu um atentado . Há um ano e três meses como comandante da Rota, Telhada admitiu que o atentado foi o primeiro que sofreu desde que está à frente do cargo.

O tenente-coronel foi alvo de atiradores, neste sábado, na porta de casa, na Rua Fábio Ferreira Veloso, na Zona Norte da capital, mas não ficou ferido. Dois homens se aproximaram de carro e dispararam mais de 10 vezes. O atentado ocorreu por volta das 11h da manhã, quando o comandante tirava o carro da garagem.

Ainda na capital paulista, pelo menos sete carros foram incendiados em diferentes pontos da Zona Leste , na madrugada deste domingo. Em alguns casos, foram lançadas bombas de coquetel molotov. Todos os carros estavam parados na rua, em frente às casas dos proprietários. Até a manhã deste domingo, a polícia ainda não tinha identificado o autor dos ataques. 


http://blogdainseguranca.blogspot.com/2010/08/atentados-contra-policia-nao-preocupam.html

Policiais armados se transformam em potenciais agressores no trânsito

Renata Mariz - Correio Braziliense
Vinícius Sassine -
Publicação: 03/08/2010 06:39
Brasília – O porte de armas assegurado por lei e a fúria num trânsito caótico fazem de policiais militares e civis potenciais agressores em brigas de trânsito que terminam em morte. Dos 32 casos levantados pelo Estado de Minas em todo o país, pelo menos sete — ou seja, 21,8% — tiveram o envolvimento de policiais. Caso recente, uma briga de trânsito envolvendo um policial militar e um juiz em Salvador (BA), em 10 de julho, acabou em morte. O magistrado Carlos Alessandro Pitágoras Ribeiro, de 38 anos, foi assassinado com um tiro à queima-roupa pelo policial Daniel dos Santos Soares, conforme declaração do próprio militar. O policial deu uma fechada no juiz, que já teria descido do carro com uma pistola 9mm. Depois, o militar disparou no juiz.

No Rio de Janeiro, em 2006, um PM e um policial federal trocaram tiros depois de uma colisão no trânsito. Em Goiânia (GO), no mesmo ano, um promotor de Justiça e o filho, um soldado da Polícia Militar, se uniram para agredir e tentar matar um motociclista envolvido numa briga ao volante, segundo a denúncia do Ministério Público (MP) de Goiás. O caso, que provocou diversas ações na Justiça e ameaças dos dois lados, está longe do fim.
Saiba mais...
O primeiro lance da briga ocorreu entre o promotor Rodaney Ferreira Gandra e o motociclista Marcos Antônio Maciel Lemos, em 18 de junho de 2006. Os dois se envolveram num pequeno acidente de trânsito, e Marcos Antônio teria se ferido numa briga com o promotor. Rodaney decidiu ligar para o filho, o soldado Leonardo Bezerra de Lima Gandra, que compareceu ao local da briga como policial militar. A ocorrência já havia sido registrada pela polícia, mas Leonardo esteve na Marginal Botafogo — a via expressa mais movimentada de Goiânia — e algemou Marcos Antônio. Antes, o policial retirou o pai da cena do crime, no próprio carro da Polícia Militar (PM).

Mesmo algemado, Marcos Antônio tentou fugir. Leonardo o perseguiu e disparou duas vezes contra o motociclista. As balas atingiram as pernas de Marcos Antônio. A 100m dali, um parente do motociclista de nome José (nome fictício) percebeu os disparos contra o rapaz. Marcos Antônio mudou-se de Goiânia logo após a tentativa de assassinato. Não voltou à cidade desde então. “Ele tem dois irmãos da polícia, que tiraram ele daqui de avião. Não quer nem saber de voltar, foi um trauma”, conta José.

Tiros


Há 21 anos, um policial civil do Distrito Federal, armado, mesmo em horário de folga, atirou contra um motorista de ônibus em Ceilândia. O motivo, segundo a sentença que o condenou a 15 anos e seis meses de prisão, foi um “desentendimento relativo a um simples acidente de trânsito”. O agressor, Francisco Marconi Cordeiro, conseguiu anular o primeiro julgamento e, no segundo, foi condenado, mas recorreu da sentença. A reportagem tentou falar com Francisco Marconi, mas ele não atendeu os telefonemas. Seu advogado, Jason Barbosa de Faria, alega a tese da legítima defesa. Ele diz que o policial não foi expulso da corporação, mas se aposentou antes mesmo de o processo ser julgado.


http://www.uai.com.br/htmls/app/noticia173/2010/08/03/noticia_nacional,i=172024/POLICIAIS+ARMADOS+SE+TRANSFORMAM+EM+POTENCIAIS+AGRESSORES+NO+TRANSITO.shtml

Polícia Civil prende policial militar paraibano que assaltava no RN

Além do PM, os policiais prenderam um potiguar conhecido como Adriano Pica-Pau. Os dois foram detidos em João Pessoa (PB).

Por Thyago Macedo

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte cumpriu dois mandados de prisão nesta terça-feira (3), em João Pessoa, na Paraíba. O objetivo era deter dois homens que praticavam assaltos em terras potiguar, entre eles um policial militar paraibano.

Além do PM, a polícia do Rio Grande do Norte prendeu um homem conhecido como Adriano Pica-Pau, que é de Parnamirim. Os dois acusados estavam em João Pessoa.

De acordo com o subsecretário estadual de Segurança Pública e Defesa Social, delegado Ben-Hur Cirino de Medeiros, o trabalho de investigação e prisão foi feito em parceria pelos órgãos de segurança do Rio Grande do Norte e da Paraíba.

O delegado explicou que a dupla vinha sendo procurada há algum tempo. “Com eles, foi apreendida uma pistola, roubada de um oficial da PM no interior do Rio Grande do Norte e uma espingarda calibre 12, com várias munições”, disse.

Ainda segundo informações do subsecretário de Segurança Pública, a dupla também estava com dois coletes à prova de bala, que tinham sido roubados do posto da Polícia Rodoviária Federal, em Lajes.

As informações sobre as investigações e prisões dos dois assaltantes deverão ser repassadas a imprensa ainda na manhã desta terça-feira, na Secretaria Estadual de Segurança Pública.
 
 
http://www.nominuto.com/noticias/policia/policia-civil-prende-policial-militar-paraibano-que-assaltava-no-rn/57802/

DOE divulga hoje a exoneração do Comandante Geral dos Bombeiros no RN




 
Coronel BM CLÁUDIO CHRISTIAN BEZERRIL DA SILVA


O Diário Oficial do Estado, também trouxe hoje, terça-feira, 3 de agosto, republicação do pedido de exoneração do Coronel BM CLÁUDIO CHRISTIAN BEZERRIL DA SILVA. Ele era comandante do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Norte.
Como nós informamos na semana passada por ocasião de sua vinda a Caicó, ele deixou o cargo de comandante geral dos Bombeiros.
A exoneração do Coronel foi à pedido. Agora ele fica aguardando sua transferência para a reserva.
 
Fonte: Sidney Silva

OS MUNICÍPIOS E A SEGURANÇA

Os municípios e a Segurança - Alberto L. Kopittke, Zero Hora de 03/08/2010.

Um dos elementos mais promissores do chamado novo paradigma de segurança pública é o papel que os municípios podem desempenhar em ações de prevenção à violência e à criminalidade.

Por muitos anos essa discussão foi realizada de maneira equivocada. De um lado, as polícias percebiam nos municípios uma ameaça às suas instituições, de caráter estadual. Por outro, os poucos atores municipais que tomavam iniciativas na área, efetivamente davam motivos a esse temor, a partir de uma concepção equivocada sobre o papel das Guardas Municipais, o que sempre resultou num jogo de soma zero.

O Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania, o Pronasci, representou uma nova etapa nesse debate, por dois motivos: viabilizou volumes consistentes de recursos para as prefeituras e, principalmente, fomentou uma nova concepção sobre o papel dos municípios, baseada em quatro pilares inovadores: construção de novos equipamentos e políticas de esporte, lazer e cultura para a juventude, valorização das Guardas Municipais, no contexto de suas prerrogativas, capacidade para análise de dados e formação e implantação de sistemas de videomonitoramento.

Ainda é importante destacar o papel regulador das prefeituras, muitas vezes negligenciado, através do uso do poder de polícia administrativa nas suas mais diversas formas, para que os mais variados problemas de convivência não recaiam, equivocadamente, nas costas da Brigada Militar como hoje acontece. Cabe às cidades vincular as permissões de funcionamento ao compromisso dos estabelecimentos em relação à prevenção à violência e às regras de convivência.

Hoje é possível afirmar que o sucesso de experiências exitosas na redução à violência, como o policiamento comunitário, a eficientização da investigação criminal, a formação cidadã de jovens e a retomada de territórios com altos índices de criminalidade, são proporcionais ao engajamento dos municípios e à qualidade da relação entre eles e os estados, trocando as desconfianças por um engajamento conjunto e um protagonismo compartilhado.

Por esse motivo, a construção de uma integração efetiva entre a administração estadual e as prefeituras municipais, concretizada através dos Gabinetes de Gestão Integrada, deve ser a prioridade para qualquer governo que realmente almeje enfrentar as causas da grave situação de violência, em que se encontra o nosso Estado, nos últimos anos.

*Alberto L. Kopittke É Secretário de Segurança Pública e Cidadania de Canoas

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA

O Secretario Municipal Alberto L. Kopittke acerta em dizer que "a segurança pública é o papel que os municípios podem desempenhar em ações de prevenção à violência e à criminalidade". As autoridades e comunidades municipais são os que mais conhecem os problemas e mais anseiam por segurança.

Porém, não concordo que a afirmação de que "as polícias percebiam nos municípios uma ameaça às suas instituições, de caráter estadual", pois elas, apesar de forças estaduais, se envolvem e são parte do município onde atuam, identificam os problemas e buscam dar um foco específico de acordo com os fatos e desejos da população. Os policiais federais e estaduais conhecem muito bem o papel das Guardas Municipais, e muitos já vislumbram a sua transformação em Polícia Municipal para executar o policiamento preventivo comunitário de bairro, deixando para as forças policiais a investigação e contenção dos delitos.

O Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania, o Pronasci, representa mais uma etapa já que renovou os debates, viabilizou recursos e fomentou a importância do papel dos municípios. Entretanto, alguns vícios ainda continuam ditando as regras. As divergências políticas, os conflitos corporativistas, o distanciamento da justiça, o emaranhado de leis benevolentes, a falta de um sistema integrado de ordem pública e a postura negligente dos três Poderes de Estado travam todas as iniciativas e impedem a continuidade e a eficácia nas questões de ordem pública, apesar do esforço das polícias e das autoridades municipais.

Não concordo com a percepção de que a violência vem sendo reduzida, pois todas estas "experiências exitosas" são têm sido imediatistas, partidárias, superficiais e sem resultados práticos na sua amplitude na preservação da ordem pública.

Quanto aos pilares citados, podemos afirmar que...

- o policiamento comunitário que depende da confiança do povo e do policial no Estado para que ocorra o engajamento de todos. A falta de continuidade e de resultados desmotivam e o interesse se perde junto com confiança. "A retomada de territórios com altos índices de criminalidade" não pode ser superficial e dependente da vontade política. O esforço da pacificação deve ser amparado por salvaguardas jurídicas e judiciárias, sob pena de se transformar em combates onde os moradores são as maiores vítimas e os policiais os invasores, imperitos e justiceiros.

- a eficientização da investigação criminal depende de uma polícia de ciclo completo para investigar os delitos. Os segmentos investigativo e pericial devem trabalhar integrados numa mesma força apoiados por leis fortes, processos ágeis e por uma polícia discreta, diligente e bem paga. Como fazer investigação sem perícia e com agentes e viaturas ostentando cores e símbolos policiais?

- a formação cidadã de jovens é um dos maiores erros da sociedade brasileira. A educação é baseada apenas no ensino científico, o que impede o descobrimento de talentos, vocações e habilidades importante para a escolha de uma universidade e de uma profissão que dá autonomia e dignidade pessoal. A educação do jovens seria mais proveitosa se envolvesse autoridade dos mestres, disciplina consciente e um conteúdo que integrasse os conhecimentos científico, desportivo, artístico e técnico voltada ao potencial humano e não sómente ao aspecto teórico.

Os Gabinetes de Gestão Integrada são sim importantes para "enfrentar as causas da grave situação de violência", mas deveriam ser assistidos por um Conselho Integrado envolvendo representantes dos três Poderes em todos os níveis federativos. Mas isto depende da vontade dos poderes estaduais e federais em querer se envolver com as questões municipais de ordem pública. Para tanto, é preciso que seja rediscutido os termos "independência" e "autonomia" de poderes" que hoje separam e distanciam os poderes uns dos outros e todos das demandas e questões.

CAVEIRÕES NUNCA FORAM ÁS RUAS

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Em vão. Seis meses depois da compra das duas viaturas por R$ 1,4 milhão, elas só foram usadas em treinamentos PM comemora fato de não precisar dos veículos e diz que eles estão "conservados"
Os caveirões, como são conhecidas duas viaturas blindadas que pertencem à Polícia Militar de Minas Gerais, foram comprados por R$ 1,4 milhão. O objetivo era reforçar a tropa de elite da corporação no combate à criminalidade. No entanto, quase seis meses depois, eles ainda não foram usadas nas ruas. O motivo já era previsto por especialistas: não há demanda para o uso dos veículos no Estado.

As viaturas estão na sede do Batalhão de Polícia de Eventos (BPE) de Belo Horizonte, no bairro Gameleira, região Oeste da capital. Elas foram compradas para ficar à disposição do BPE e do Grupamento de Ações Táticas Especiais (Gate). Mas, até hoje, elas estão sendo utilizados apenas em treinamentos de policiais. Para especialistas em segurança pública, a situação é o resultado de um investimento equivocado das autoridades policiais já que o equipamento é de uso esporádico.
Raridade. Os veículos foram adquiridos pela Polícia Militar mineira em um convênio com a Secretaria Nacional de Segurança Pública. O problema é que as viaturas blindadas, feitas especialmente para os militares mineiros, foram compradas com o objetivo de serem usadas em situações que raramente acontecem no Estado: resgatar policiais e pessoas feridas em locais de difícil acesso ou durante conflitos envolvendo multidões, rebeliões, remoção de barricadas, desobstrução de vias públicas e situações de atentados e ataques terroristas.

"O cenário da violência no Estado não exige da polícia um equipamento de guerra como esse", afirmou o pesquisador do Centro de Estudo de Criminalidade e Segurança Pública da UFMG, Luis Felipe Zilli.

A opinião é compartilhada pelo coordenador do Centro de Pesquisas em Segurança Pública da PUC Minas, Luiz Flávio Sapori. Ele afirma que o uso dos caveirões é cada vez mais raro, até mesmo em locais onde ocorrem conflitos constantes e intensos. "Não consigo visualizar uma utilização para esses veículos em Minas. Acredito que essas viaturas se tornarão peças de museu", completou.

O outro lado. Na avaliação do comandante do Policiamento Especializado de Minas Gerais, coronel Sandro Teatini, a aquisição dos caveirões pela polícia mineira foi um reforço na segurança pública. "Ainda bem que não foi necessário o uso das viaturas blindadas. Mas a polícia está preparada para utilizá-las caso seja necessário", afirmou.
Ainda de acordo com Teatini, apesar de não terem sido utilizados em uma ação real de conflito, os blindados estão em excelente condição de conservação. "A tropa treina com eles para mantê-los em condições de emprego, conservados", concluiu.

Verba poderia qualificar elite

Os recursos utilizados na aquisição dos dois caveirões deveriam ter sido investidos na qualificação de pessoal e na qualidade dos equipamentos já utilizados pelo serviço de inteligência da polícia. Essa é a avaliação do pesquisador da UFMG Luis Felipe Zilli.
Ele afirma que, com um serviço de inteligência de qualidade, a polícia conseguiria trabalhar de maneira mais coordenada, rápida e, consequentemente, mais eficiente. "O investimento em inteligência é uma necessidade das polícias de todo o país", ressalta. Para Zilli, a compra dos caveirões vai na contramão do histórico das ações da PM mineira. "A polícia de Minas é reconhecida por um policiamento humanizado, preventivo e próximo do cidadão, e não de confronto ou de guerra", disse.

Também de acordo com Luiz Flávio Sapori, da PUC Minas, o dinheiro poderia ter sido investido em um treinamento mais qualificado das tropas de elites da Polícia Militar. Ele acredita ser difícil a necessidade da utilização do caveirão no Estado. "Essa compra foi uma avaliação equivocada. Infelizmente, esse é um prejuízo que não tem mais como recuperar", lamenta Sapori, que, assim como outros especialistas, já havia criticado a compra dos caveirões na época em que a polícia divulgou a aquisição. (RR)