Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho 21, 2010

Mulher encontrada morta em casa no Vale Dourado

Suspeitas recaem sobre o companheiro da vítima, que é traficante de drogas.Por Melina França





Rita de Cássia de Almeida, 20 anos, foi assassinada dentro de sua própria residência, na rua Henrique Dias, no loteamento Vale Dourado, no bairro de Nossa Senhora da Apresentação, Zona Norte. Ela foi encontrada deitada em uma cama, com um tiro na cabeça.


De acordo com a Delegacia de Plantão da Zona Norte, as suspeitas recaem sobre o companheiro da mulher, que teria abandonado o local do crime e, por isso, não prestou depoimento à polícia.


A informação é de que ele ligou para um tio por volta das 2h desta madrugada, avisando que a mulher estava morta. Conforme o relato dele, um homem teria entrado na casa e tentado matá-lo. Como não conseguiu, atingiu sua esposa.
A vítima era natural de João Pessoa, na Paraíba, e teria conhecido seu marido em visitas a uma cadeia onde ele cumpria pena. Ainda segundo a Delegacia da Zona Norte, ele era traficante de drogas. Foi encontrado na casa amostras de cocaína …

Projeto permite porte de arma de fogo para diversas categorias

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 7073/10, do deputado William Woo (PPS-SP), que permite o porte de arma particular, inclusive de uso restrito (de maior calibre), fora do horário de serviço, para servidores estáveis e aposentados das áreas-fins das seguintes carreiras:
- Forças Armadas;
- polícias Civil, Militar e Federal;
- Polícia Legislativa;
- agentes operacionais da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e do Departamento de Segurança do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI);
- agentes e guardas prisionais, das escoltas de presos e as guardas portuária; e
- auditores da Receita Federal e do Trabalho e auditores-fiscais e analista tributários. Atualmente, esses servidores podem portar arma de fogo fornecida pelos respectivos órgãos, durante o horário de serviço. O texto exige que servidores civis e militares de profissões que usem armas de fogo se submetam a avaliações a cada três anos para comprovar a aptidão técnica e psicológica para o manuseio…

Blog do Cabo Heronides - SARGENTO REGINA PARTICIPA DE REUNIÃO COM OS POLICIAIS DE MACAÍBA

Foi realizada na tarde de ontem (20), na Casa do Empresário, uma reunião como todos os policiais e bombeiros militares do município de Macaíba. O objetivo desta reunião foi discutir a segurança pública de Macaíba e as melhorias nas condições de trabalho dos policiais desta cidade.
Durante a reunião os policiais de Macaíba aprovaram o nome da Sargento Regina ao cargo de Deputada Estadual. Onde todos ficaram comprometidos em ajudá-la a ter uma boa votação em Macaíba.
Em seu pronunciamento a Sargento Regina destacou que o seu trabalho na Assembleia Legislativa será em favor da Policia Militar e de toda sociedade norteriograndense, onde o trabalho em defesa da categoria será o seu ponto forte.
“Ao se eleger a Sargento Regina irá realizar uma grande revolução na Assembleia Legislativa, sendo um exemplo a ser seguido por muitos políticos do nosso estado. Pois com esta mulher não existe corrupção nem tão poucos arrumadinhos ou apadrinhamentos interesseiros. A Sargento Regina irá lutar em favor …

Sargento da PM preso por matar coronel

Marcelo Godoy - O Estado de S.Paulo São Paulo - O sargento da Polícia Militar André Lelces Pires de Morais Junior foi preso ontem, sob a acusação de ter planejado o assassinato do coronel José Hermínio Rodrigues. O sargento e o soldado Pascoal dos Santos Lima tiveram a prisão preventiva decretada pela 3.ª Auditoria da Justiça Militar depois de denunciados pelo Ministério Público - o soldado seria o executor.
O assassinato de Hermínio foi a mais ousada ação do grupo de extermínio formado por policiais na zona norte de São Paulo. Na época do assassinato, em janeiro de 2008, o coronel comandava o policiamento na região e se transformara em um obstáculo para o grupo. Além de chacinas, os policiais estariam envolvidos com a venda de drogas e com caça-níqueis. Com a morte do coronel, os acusados esperavam voltar ao 18.º Batalhão, de onde haviam sido afastados. Os réus alegam inocência.